Ter12112018

Last update02:24:44 PM

 


Back Você está aqui: Home Brasil Promotoria pede transferência de membros do PCC para presídios federais

Brasil

Promotoria pede transferência de membros do PCC para presídios federais

Divulgação PC/ASSECOM

Decisão está com Juiz nascido em São João da Boa Vista

O Ministério Público de São Paulo solicitou ao Judiciário a transferência de 15 membros do PCC - incluindo o chefe da facção, Marcos Camanho, conhecido como Marcola. O pedido poderá ser aceito ou rejeitado pelo Juiz da 5ª Vara de Execuções Criminais de São Paulo, o sanjoanense Dr. Paulo Eduardo de Almeida Sorci. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Pauloneste domingo (2). De acordo com a publicação, o Juiz Paulo Sorci deverá consultar o governo de Mário França, mas o magistrado tem independência para tomar sua decisão.

Caso a transferência seja decretada, caberá ao Governo Federal encontrar vagas em uma unidade penitenciária federal. Há prisões desse tipo em: Porto Velho/RO, Mossoró/RN, Campo Grande/MS, Catanduvas/PR e Brasília/DF.

Ainda de acordo com a Folha, o Governo Federal é favorável à transferência dos presos do PCC e já ofereceu infraestrutura e apoio para um esquema de segurança especial. 

Dr. Paulo Eduardo de Almeida Sorci é o mesmo magistrado que determinou no mês passado a transferência ao sistema penitenciário federal de seisintegrantes do PCC, incluindo dois deles do primeiro escalão: Cláudio Barbará da Silva, o Barbará, e Célio Marcelo da Silva, o Bin Laden.

Ambos são suspeitos de comandar crimes de dentro da prisão, conforme investigação da Polícia Civil e Promotoria. Já o pedido de transferência de Marcola e de outros 14 presos é motivado pelo plano de resgate de chefes do PCC da penitenciária estadual de Presidente Venceslau (interior de SP), descoberto pela inteligência da administração penitenciária em outubro.

.

PLANO DE RESGATE

O plano descoberto pelo governo paulista previa o resgate de Marcola e comparsas dele com a utilização de exército de mercenários e helicópteros de guerra, uma ação estimada em até R$ 100 milhões. Em razão dos detalhes descobertos, a Polícia Militar enviou umgrande aparato a Presidente Venceslau, incluindo as tropas de elite Rota e COE (operações especiais).

A Folha de SP mencionou também que os  detalhes do plano de resgate foram conhecidos no mês passado, quando o deputado federal e senador eleito Major Olímpio (PSL) enviou ofícios às Forças Armadas e ao governador falando sobre eles e pedindo providências.