Ter12112018

Last update02:24:44 PM

 


Back Você está aqui: Home Brasil Identificado nova espécie de dinossauro de 80 milhões de anos no interior de S.Paulo

Brasil

Identificado nova espécie de dinossauro de 80 milhões de anos no interior de S.Paulo

Imagem: Museu de Paleontologia Pedro Candolo/Divulgação

Pesquisadores do Museu de Paleontologia Pedro Candolo, da cidade de Uchoa, a 500 quilômetros de São Paulo, comemoram o registro de uma nova espécie de dinossauro que viveu há 80 milhões de anos: o Thanos simonattoi, que tinha cerca de cinco metros de comprimento e disputava com os megaraptores o topo da cadeia alimentar.

A espécie foi descrita pelos paleontólogos Fabiano Iori e Rafael Delcourt, que analisaram fósseis de sítios arqueológicos de Ibirá e Uchoa, cidades próximas a São José do Rio Preto. O animal pertencia à família dos abelissaurídeo, caracterizados como animais carnívoros e bípedes. 

"Trata-se do primeiro dinossauro formalmente descrito do período cretáceo. Estava entre os principais predadores da América do Sul", disse Delcourt, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Desde a década de 1960, sabe-se que há fósseis na área. Pesquisadores da cidade de Uchoa e professores de diversas universidades se dedicaram, nas últimas décadas, a coletar material. Uma descoberta resultou na criação do Museu de Paleontologia Pedro Candolo, em 2016. No início de 2018 o professor Rafael Delcourt, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), do interior de SP, analisou o fóssil e observou características não presentes em nenhum outro dinossauro. Concluiu, assim, que estava diante uma nova espécie.

A parceria de Delcourt e Iori resultou num estudo publicado neste mês na revista Historical Biology. O nome do bicho traz, além da homenagem a Simonato, uma referência a Tânato, a personificação da morte na mitologia grega, e também nome de personagem da Marvel.

Na próxima quinta-feira (6), o Thanatos simonattoi será apresentado publicamente pelos pesquisadores do Museu de Uchôa. A pequena cidade de 10 mil habitantes está orgulhosa de ter, agora, um dinossauro para chamar de conterrâneo.