Qua02202019

Last update04:00:19 PM

 


Back Você está aqui: Home Brasil São Paulo bate novo recorde na vacinação contra a brucelose. São João atingiu 99,54% de cobertura

Brasil

São Paulo bate novo recorde na vacinação contra a brucelose. São João atingiu 99,54% de cobertura

Dados do sistema informatizado Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave), vinculado à Coordenadoria de Defesa Agropecuária mostram que o índice de vacinação contra a Brucelose durante o ano de 2018 foi de 94,23 por cento das fêmeas bovídeas (bovinas e bubalinas) com idade entre três e oito meses. O índice anterior foi de 2017, com 93,50 por cento.

 Em relação ao ano anterior houve redução no número de fêmeas na faixa etária de vacinação obrigatória. Em 2017 foi registrado um total de 923.620 fêmeas e em 2018 esse número reduziu para 887.357 fêmeas.

 

Dados do segundo semestre

Durante o segundo semestre de 2018 estavam aptos a receber a vacinação contra a brucelose, 392.796 fêmeas bovídeas. A cobertura vacinal foi de 93,55 por cento. O sistema recebeu no semestre a declaração de 39.368 propriedades representando 85,62 por cento do total de propriedades com fêmeas bovídeas com idade entre três a oito meses.

O médico veterinário da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Klaus Saldanha Hellwig, que junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária responde pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose (PECEBT) disse que “a vacinação contra a brucelose é realizada uma única vez na vida das fêmeas, quando elas estão com idade entre 3 e 8 meses, mas o criador deve estar atento ao calendário estabelecido no Estado”. Fêmeas vacinadas entre dezembro e maio devem ser declaradas no sistema Gedave até o dia 7 de junho, e as vacinadas entre os meses de junho e novembro devem ser informadas até o dia 7 de dezembro.

Os criadores que deixaram de vacinar, ou deixaram de informar, foram notificados pelo órgão oficial de Defesa Agropecuária.  A autuação pelo descumprimento da legislação é de 5 Ufesps por cabeça por deixar de vacinar e 3 Ufesps por cabeça por deixar de comunicar.

O valor da Unidade Fiscal do Estado de São Paulo (Ufesp) para 2019 é de 26,53 reais.

Na relação divulgada pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, a regional da Defesa Agropecuária de São João da Boa Vista (EDA), tinha 13.929 bovídeos com idade entre 3 a 8 meses no segundo semestre de 2018; foram vacinado 13.865 animais; uma cobertura de 99,54%.

 

Dados do sistema informatizado Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave), vinculado à Coordenadoria de Defesa Agropecuária mostram que o índice de vacinação contra a Brucelose durante o ano de 2018 foi de 94,23 por cento das fêmeas bovídeas (bovinas e bubalinas) com idade entre três e oito meses. O índice anterior foi de 2017, com 93,50 por cento.

 Em relação ao ano anterior houve redução no número de fêmeas na faixa etária de vacinação obrigatória. Em 2017 foi registrado um total de 923.620 fêmeas e em 2018 esse número reduziu para 887.357 fêmeas.

 

Dados do segundo semestre

Durante o segundo semestre de 2018 estavam aptos a receber a vacinação contra a brucelose, 392.796 fêmeas bovídeas. A cobertura vacinal foi de 93,55 por cento. O sistema recebeu no semestre a declaração de 39.368 propriedades representando 85,62 por cento do total de propriedades com fêmeas bovídeas com idade entre três a oito meses.

O médico veterinário da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Klaus Saldanha Hellwig, que junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária responde pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose (PECEBT) disse que “a vacinação contra a brucelose é realizada uma única vez na vida das fêmeas, quando elas estão com idade entre 3 e 8 meses, mas o criador deve estar atento ao calendário estabelecido no Estado”. Fêmeas vacinadas entre dezembro e maio devem ser declaradas no sistema Gedave até o dia 7 de junho, e as vacinadas entre os meses de junho e novembro devem ser informadas até o dia 7 de dezembro.

Os criadores que deixaram de vacinar, ou deixaram de informar, foram notificados pelo órgão oficial de Defesa Agropecuária.  A autuação pelo descumprimento da legislação é de 5 Ufesps por cabeça por deixar de vacinar e 3 Ufesps por cabeça por deixar de comunicar.

O valor da Unidade Fiscal do Estado de São Paulo (Ufesp) para 2019 é de 26,53 reais.

Na relação divulgada pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, a regional da Defesa Agropecuária de São João da Boa Vista (EDA), tinha 13.929 bovídeos com idade entre 3 a 8 meses no segundo semestre de 2018; foram vacinado 13.865 animais; uma cobertura de 99,54%.