Qui08222019

Last update03:03:20 PM

 


Back Você está aqui: Home Brasil Aeroporto de Viracopos entre os dez melhores do mundo segundo ranking internacional AirHelp Score

Brasil

Aeroporto de Viracopos entre os dez melhores do mundo segundo ranking internacional AirHelp Score

Aeroporto de Viracopos

 

 

Estudo também avaliou as melhores companhias aéreas para voar

 

O Brasil foi o único país a ter dois aeroportos na lista dos dez melhores do mundo do ranking internacional AirHelp Score 2019, divulgado nesta quinta-feira, 9 de maio. O Aeroporto internacional Afonso Pena, em Curitiba (PR), ficou em 4º lugar, enquanto o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), está na 10ªposição. O melhor do mundo é o Aeroporto Internacional Hamad, no Catar, seguido pelo Aeroporto Internacional Tóquio Haneda, no Japão, e pelo Aeroporto Internacional de Atenas, na Grécia.

Já as companhias aéreas nacionais não entraram no top 10. A Azul Airlines ficou no 29º lugar, enquanto a Gol Intelligent Airlines ficou na 58ªposição. A companhia aérea mais bem cotada no ranking foi a Qatar Airways, que também foi a melhor avaliada em 2018.

A análise levou em conta informações de voos da base de dados da AirHelp e centenas de pesquisas com passageiros. No total, cerca de 40 mil usuários contribuíram com a pesquisa, que contou com a participação de cerca de 2,5 mil brasileiros.

Aeroportos brasileiros bem avaliados

Nesta edição, o ranking avaliou os 132 aeroportos mais conhecidos e mais utilizados do mundo. Para a avaliação, o critério de maior peso foi a performance em pontualidade, responsável por 60% dos pontos. Outros parâmetros analisados foram qualidade do serviço (20% dos pontos) e qualidade do varejo - alimentação e lojas (20% dos pontos).

O Aeroporto Internacional Afonso Pena teve nota 8,4 para pontualidade dos voos, 8,4 para qualidade do serviço e 8,3 para qualidade do varejo, compondo pontuação final de 8,37. Já o Aeroporto Internacional de Viracopos recebeu nota 8,4 para pontualidade, 8,2 para qualidade do serviço e 7,9 para qualidade do varejo, com nota final de 8,25.

Além dos destaques entre os top 10, outros dez aeroportos brasileiros aparecem no ranking entre os 50 melhores do mundo, como o Aeroporto Internacional de Recife (11º lugar), o Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek (13º), o Tancredo Neves - Confins (15º), o Santos Dumont (17º), no Rio de Janeiro, e o Aeroporto Internacional Pinto Martins (19º), em Fortaleza.

“O Brasil foi o país que mais teve aeroportos entre os Top 10 do mundo e também entre os 50 melhores, com representação nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste do país. A pontualidade é o índice em que os aeroportos brasileiros foram mais bem avaliados, sendo que onze dos doze aeroportos tiveram nota acima de oito. Em segundo lugar, vem a qualidade dos serviços e, por último, a qualidade do varejo, que leva em consideração opções de alimentação e lojas”, afirma Karin Herbsthofer, especialista em direitos dos passageiros da AirHelp.

Melhores companhias aéreas do mundo

A companhia aérea mais bem cotada no ranking foi a Qatar Airways, que também foi a vencedora em 2018. A empresa foi avaliada com pontuação 8,23, destacando-se devido à consistência no processamento de reclamações e à alta pontualidade. Com nota 8,07, a American Airlines ficou na segunda posição e a Aeromexico veio como terceira do ranking, com 8,07 de pontuação.

Apesar de terem boa pontuação em termos de serviço e performance de partida e chegada no horário, as companhias aéreas brasileiras foram mal avaliadas no atendimento a queixas de passageiros. A Azul recebeu nota 8,3 para qualidade do serviço, 8,4 para pontualidade, e apenas 5 para processamento de reclamações, enquanto a pontuação da Gol foi 8,1 (serviço), 7,8 (pontualidade), e 3,1 (processamento de reclamações).

O ranking avaliou as 72 principais companhias do mundo com base em três critérios: a pontualidade dos voos segundo a base de dados da AirHelp, que avalia o horário de partida e chegada dos voos de todas as companhias aéreas; a qualidade do serviço das companhias aéreas segundo avaliação de passageiros; e o processamento de reclamações com base na eficiência para o atendimento a pedidos de indenização de clientes. Os três critérios têm o mesmo peso – cada um com 33,33% da pontuação final.