Seg08102020

Last update03:21:35 PM

 

Back Você está aqui: Home Brasil

Brasil

SP planeja retomada gradual de aulas presenciais em julho


O Governador João Doria anunciou nestasexta-feira (24) que as aulas presenciais nas redes públicas estadual e municipais serão retomadas de forma gradual e regionalizada a partirde julho. Para alunos de creches e unidades de educação infantil, o retorno pode ser antecipado. Porém, o cronograma depende de aval do Centro de Contingência do coronavírus de São Paulo.

A Secretaria de Estado da Educação informou que a retomada será feita de maneira controlada e planejada, zelando pela saúde e segurança da comunidade escolar e da sociedade. As atividades na educação infantil só serão retomadas uma vez que as regiões estejam autorizadas pela Secretaria Estadual da Saúde.

“A educação infantil, que tem atendimento de creche, será priorizada pensando especialmente nas mães que trabalham fora e nas demais configurações de famílias que necessitam de cuidados integrais aos filhos, para que retornem ao trabalho”, disse o Secretário Rossieli Soares.

Na primeira semana da retomada, os alunos serão avaliados sobre eventuais prejuízos de aprendizado durante o período de suspensão das atividades presenciais. Nasegunda semana, ainda de forma escalonada, as equipes darão prioridade ao acolhimento dos alunos.

As primeiras semanas serão utilizadas também para que professores planejem estratégias de reforço e recuperação. O planejamento será baseado nos resultados das avaliações realizadas durante a primeira semana do retorno às aulas.

As datas de retorno poderão ser diferentes entre as regiões do Estado. As escolas municipais e particulares devem seguir a orientações de retorno gradual, com foco em diagnóstico e estratégia de acolhimento, reforço e recuperação.

Aulas em casa

No último dia3 de abril, o Governo do Estado lançou o Centro de Mídias da Educação de São Paulo (CMSP). A plataforma vai permitir que estudantes da rede estadual tenham acesso a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos durante o período de quarentena.

O CMSP conta com dois aplicativos: o CMSP para Ensino Fundamental dos Anos Finais e Ensino Médio e o CMSP Educação Infantil e Anos Iniciais. Os aplicativos estão disponíveis para os sistemas Android e IOS.

O Estado também entrou em acordo com a TV Cultura, que vai transmitir as aulas por meio dos canais digitais 2.2 - TV Univesp e 2.3 - TV Educação. A Secretaria da Educação está patrocinando acesso a planos móveis de internet para que alunos e professores tenham acesso aos conteúdos via telefone celular.

Calendário

As aulas na rede estadual de São Paulo estão suspensas desde o dia23 de março como medida de controle à propagação do coronavírus. O Estado antecipou o período de férias e recesso escolar. As aulas à distância que contarão como dias letivos recomeçam no dia 27 de abril.

Governo de SP entrega 3,5 milhões de kits com material pedagógico e de orientação para período de aulas em casa

 

Material impresso será distribuído aos alunos a partir do dia 27

 

       O Governador João Doria anunciou nesta quinta-feira (16) a distribuição de kits com material impresso contendo apostilas de matemática e língua portuguesa, gibis da Turma da Mônica, livros paradidáticos e manual de orientações às famílias e do Centro de Mídias da Educação de São Paulo (CMSP). A entrega ocorrerá a partir do dia 27 de abril

       "O kit contém apostilas de matemática e português, livros didáticos e gibis da Turma da Mônica. O investimento é de R$ 19,5 milhões do Governo do Estado de São Paulo. O material contempla informações aos pais, aos seus filhos e contribui para o estudo à distância", disse Doria. 

       Além de ser um material de estudos aos alunos, os kits contemplam informações também aos pais e responsáveis sobre como estudar em casa no período de suspensão das aulas presenciais. 

       O material organizado pela Secretaria de Estado da Educação será entregue para os 3,5 milhões de alunos matriculados na rede estadual de São Paulo. Além dos estudantes das escolas estaduais, alunos de mais de 470 redes municipais do Estado também serão contemplados com o manual de orientação aos pais. 

              O material inclui brincadeiras que as famílias podem desenvolver com os bebês ou crianças; sugestões de como podem apoiar os adolescentes em seus estudos e atividades adequadas aos alunos de diferentes idades.

 

Distribuição 

       Os kits serão disponibilizados nas escolas e os alunos deverão retirá-los por meio de um escalonamento, a partir do dia 27 de abril, a ser organizado pelas Seduc e Diretorias de Ensino, para que não haja aglomerações.

       A distribuição para cerca de 10% dos alunos da rede que estão localizados em áreas rurais e mais afastadas será feita por meio do transporte escolar. A Polícia Militar e as Guardas Municipais também darão apoio à logística de distribuição dos materiais.

       Cada aluno dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio receberá um kit com quatro apostilas: de língua portuguesa, de matemática, com orientações gerais e sobre a utilização do Centro de Mídias SP. Serão impressos 13 milhões de materiais.

       Já os alunos dos anos iniciais do ensino fundamental receberão kit com quatro apostilas, além de um livro, um gibi da Turma da Mônica e uma ficha de leitura cada. Ao todo, são 1,2 milhão de unidades de livros e gibis.

       Com as cartilhas, os pais poderão ajudar seus filhos e contribuir com sua formação, independentemente de sua escolaridade. Para isso, é importante que organizem uma rotina para que os filhos possam estudar todos os dias.

       Para o desenvolvimento das atividades escritas, familiares alfabetizados ou professores, à distância, poderão apoiar os alunos e responsáveis no entendimento dos materiais enviados.

 

Calendário

       As aulas na rede estadual de São Paulo estão suspensas desde o dia23 de março como medida de controle à propagação do coronavírus. A Seduc antecipou o período de férias e recesso escolar, e as aulas que contarão como dias letivos recomeçam no dia27 de abril.

       De 22 a24 de abril, professores e todos os servidores das 5,1 mil escolas estaduais receberão formação com orientações sobre a forma de atuação durante o período de aulas suspensas.

 

Aplicativo para educação infantil e anos iniciais

       O Governo de São Paulo lançou, no dia 3, o Centro de Mídias da Educação de SP (CMSP), uma plataforma que vai permitir que os estudantes da rede estadual tenham acesso a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos mesmo durante o período do isolamento social. 

       A partir da próxima semana também estará disponível um segundo aplicativo para download, o CMSP Educação Infantil e Anos Iniciais, com conteúdo exclusivo para essas etapas de ensino.

       O aplicativo do Centro de Mídias SP já está disponível para os sistemas Android e IOS. Parateracesso, estudantes e professores da rede estadualterão de fazer o login com os mesmos dados usados na Secretaria Escolar Digital (SED). O aplicativo Centro de Mídias SP foi desenvolvido pela IP.TV e doado à Secretaria de Estado da Educação durante a suspensão das aulas.

       Além da ferramenta que vai viabilizar o ensino presencial mediado por tecnologia, o Governo de São Paulo também entrou em acordo com a TV Cultura, que vai transmitir as aulas por meio dos canais digitais 2.2 - TV Univesp e 2.3 - TV Educação.

       A Seduc vai patrocinar internet para que alunos e professores da rede tenham acesso aos conteúdos via celular, sem qualquer custo. Para isso, firmará contrato com cada uma das quatro maiores operadoras de telefonia: Claro, Vivo, Oi e Tim.

       Dessa forma, todo estudante da rede poderá desfrutar das atividades do aplicativo sem utilizar o pacote 4G do celular, sinal de internet wi-fi, ou mesmo quando estiver sem créditos.

Médicos Sem Fronteiras começam ação contra COVID-19 no Brasil

A organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) iniciou as atividades de combate à COVID-19 no Brasil. O trabalho começou na cidade de São Paulo, focado em pessoas em situação de rua, migrantes e refugiados, usuários de drogas, idosos e pessoas privadas de liberdade. Esses grupos, que já se encontravam em estado de grande vulnerabilidade mesmo antes da chegada da pandemia, enfrentam agora uma situação ainda mais grave.

A perspectiva é de que o aumento excepcional da demanda geral sobre serviços de saúde intensifique ainda mais as dificuldades de acesso a cuidados de saúde por parte dessa parcela da população. As condições de vida precárias enfrentadas por essas pessoas também dificultam a adoção de medidas de distanciamento social, essenciais para conter o avanço da doença e diminuir sua mortalidade. 

As atividades em São Paulo estão sendo realizadas em parceria com outras organizações e com as autoridades locais que já atuam com grupos em situação de vulnerabilidade, foco da ação de MSF. O trabalho contempla a realização de consultas médicas em pessoas em situação de rua para detecção de casos suspeitos de COVID-19 e triagem com encaminhamento dos doentes em estado grave para hospitais. 

Nos primeiros dias de trabalho, iniciado na semana passada, foram atendidos 278 pacientes em atividades realizadas na rua, em abrigos e em um centro de atendimento de migrantes. Do total de atendimentos, 37 pacientes apresentaram sintomas suspeitos de COVID-19 e três destes casos, com sinais de gravidade, tiveram de ser encaminhados para hospitalização. 

Também são oferecidas orientações de higiene e distanciamento social àqueles com sintomas, para tentar evitar a disseminação do novo coronavírus. As equipes também vão atuar em albergues e prestarão atendimento em locais da região central de São Paulo por onde circula a população mais vulnerável. 

Estamos trabalhando para oferecer assistência a essas populações, já que a pandemia tende a acentuar a marginalização e exclusão à qual elas já estavam submetidas”, explica a médica Ana Leticia Nery, coordenadora do projeto de MSF em São Paulo.Precisamos garantir que os mais vulneráveis sobrevivam a esta crise de saúde sem precedentes”. 

Além das ações na rua, em abrigos e asilos, profissionais de MSF estão capacitando trabalhadores da área de saúde sobre utilização de equipamentos de proteção, higiene e procedimentos de distanciamento social. Na semana passada, foi realizado um treinamento para cerca de 200 funcionários da Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente). 

Paralelamente à atuação em São Paulo, MSF está se preparando para iniciar atividades relacionadas à pandemia de COVID-19 no Riode janeiro, também com foco na população mais vulnerável.

Médicos Sem Fronteiras é uma organização humanitária internacional criada em 1971 na França por médicos e jornalistas para levar cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem nenhum acesso à assistência médica. Oferece ajuda exclusivamente com base na necessidade das populações atendidas, sem discriminação de raça, religião ou convicção política e de forma independente de poderes políticos e econômicos. Também é missão da MSF chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas atendidas em seus projetos.

Governo de SP paga benefício do Merenda em Casa a 92,6 mil alunos da região de Campinas

  

Valor-base é de R$ 55 mensais para compra de alimentos

  

O Governo de São Paulo está repassando o primeiro pagamento referente ao mêsde abrildo programa Merenda em Casa. Cerca de 92,6 mil estudantes da rede estadual de Campinas vão receber subsídio no valor-base de R$ 55 mensais para a compra de alimentos.  

  

"Esta ação representa um investimento de R$ 40 milhões em abril e mais R$ 40 milhões em maio. Neste momento a decisão é para atender 60 dias, mas se necessário for, dadas as circunstâncias e seguindo a orientação médica, nós poderemos estender por um período ainda maior", disse Doria.  

  

Em todo o estado, o benefício é oferecido a 732 mil estudantes cujas famílias recebem o Bolsa Família ou vivem situação de extrema pobreza e não recebem o benefício federal, de acordo com o Cadastro Único do Ministério da Cidadania. 

  

Durante dois meses, o benefício para 113 mil estudantes mais carentes será dobrado e passará para R$ 110. A verba extra será garantida por meio de uma iniciativa da Comunitas, organização social especializada em parcerias público-privadas. O grupo iniciou a mobilização de recursos privados para potencializar esforços e levar renda para as famílias mais vulneráveis do Estado.  

  

O repasse de R$ 55 é subsidiado integralmente pelo Governo de São Paulo e será oferecido enquanto as aulas da rede pública estadual permanecerem suspensas. 

  

O pagamento será feito por meio do aplicativo PicPay, que pode ser usado em qualquer smartphone. O cadastro no aplicativo deve ser realizado no nome do responsável pela família de cada estudante com direito ao subsídio. 

  

Passo a passo

  

- Pesquise por "PicPay" nas lojas virtuais Apple Store (para dispositivos iOS) ou Google Play (para dispositivos Android) e faça o download do aplicativo. 

  

- Crie uma conta no PicPay com seu nome, CPF e data de nascimento. 

  

- Valide sua identidade. O usuário receberá notificações no aplicativo pedindo o envio de uma selfie e uma foto do RG ou carteira de habilitação. A medida garante a segurança do usuário no aplicativo e a confirmação da família como beneficiária do programa. 

  

- Após a confirmação da selfie e do documento, o benefício é creditado na conta PicPay do usuário. 

  

Compra de alimentos

  

- Não é necessárioterconta bancária ou cartão de crédito. É possível sacar o dinheiro em um caixa eletrônico da rede 24Horas e transferir o valor para outras contas, sem taxa adicional. 

  

- O subsídio de R$ 55 será disponibilizado até o último dia útil do mês, sem descontos de taxas. 

  

- Os beneficiários poderão fazer pagamentos por meio do celular em mais de 2,5 milhões de estabelecimentos que aceitam PicPay. As lojas são identificadas por placas com o QR Code do aplicativo ou no próprio sistema de buscas da ferramenta digital. 

Primeira etapa da vacinação contra a Febre Aftosa está mantida


A primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra febre aftosa será realizada de 1º a 31 de maio para imunização de bovinos e bubalinos de todas as idades, para a maioria dos estados brasileiros, conforme o Calendário Nacional 2020. Diante das preocupações com a ocorrência do novo coronavírus (Covid-19), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) emitiu orientações sobre procedimentos e cuidados para que a vacinação ocorra satisfatoriamente sem colocar em risco a saúde dos produtores rurais e dos servidores do serviço veterinário oficial. 
No entanto, não serão exigidas declarações de comprovação da vacinação que impliquem em comparecimento aos escritórios. A Divisão de Febre Aftosa (Difa) do Ministério orienta que a comprovação da vacinação contra a doença deverá ser realizada, preferencialmente, por meio não presencial (sistemas informatizados, correio eletrônico ou outras soluções à distância). Quando não houver alternativa ao alcance, a comunicação presencial poderá ser postergada para um prazo a ser pactuado entre todas as partes envolvidas com o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) no estado ou no Distrito Federal. 
Ainda de acordo com o calendário de 2020, a vacinação está ocorrendo desde o mês de março em algumas regiões do país, como é o caso do Rio Grande do Sul e de algumas áreas dos estados do Amazonas e do Pará. 
Em 2019, durante a 1ª etapa, foram vacinados 196 milhões de bovinos e bubalinos. 

Em movimento inédito, CNBB, OAB, Comissão Arns, ABC, ABI e SBPC se unem em torno de um Pacto pela Vida e pelo Brasil


Pela primeira vez na história do Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, a Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, a Comissão de Defesa dos Direitos HumanosDom Paulo Evaristo Arns - Comissão Arns, Academia Brasileira de Ciências - ABC, Associação Brasileira de Imprensa - ABI e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC se unem em torno de um Pacto pela Vida e pelo Brasil no dever de alertar e representar a sociedade civil brasileira. As entidades uniram suas forças para clamar pela união de toda sociedade brasileira, de todos os seus cidadãos, governos e Poderes da República, e formar uma ampla aliança para enfrentar a grave crise sanitária, econômica, social e política que vive o país. 

"É hora de entrar em cena no Brasil o coro dos lúcidos, fazendo valer a opção por escolhas científicas, políticas e modelos sociais que coloquem o mundo e a nossa sociedade em um tempo, de fato, novo", diz o texto assinado pelos presidentes das seis entidades. 

O documento de Dom Walmor Oliveira de Azevedo (presidente da CNBB), Felipe Santa Cruz (presidente da OAB-Nacional), José Carlos Dias (presidente da Comissão Arns), Luiz Davidovich (presidente da ABC), Paulo Jeronimo de Sousa (presidente da ABI) e Ildeu de Castro Moreira (presidente do SBPC) foi entregue hoje,terça-feira (07/04), Dia Mundial da Saúde, para o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o presidente do Senado Federal, David Alcolumbre, o ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e também para governadores.

De acordo com as entidades, o momento exige de todos, mas, principalmente, de governantes e representantes do povo, "o exercício de uma cidadania guiada pelos princípios da solidariedade e da dignidade humana, assentada no diálogo maduro, corresponsável, na busca de soluções conjuntas para o bem comum, particularmente dos mais pobres e vulneráveis". Por fim, também convocam os brasileiros para se juntar ao Pacto.

"É urgente a formação deste Pacto pela Vida e pelo Brasil. Que ele seja abraçado por toda a sociedade brasileira em sua diversidade, sua criatividade e sua potência vital. E que ele fortaleça a nossa democracia, mantendo-nos irredutivelmente unidos. Não deixaremos que nos roubem a esperança de um futuro melhor".

Movimento "#Compre do Bairro" vai oferecer capacitação técnica gratuita para pequenos varejistas profissionalizarem os negócios

Profissionalizar o pequeno varejo brasileiro por meio de capacitação técnica gratuita. Este é o objetivo central do movimento #CompredoBairro, iniciativa de ação socioeconômica lançada nestasegunda-feira (6) pelos empresários Guilherme Weege (Grupo Malwee), Fred Trajano (Magazine Luiza), Artur Grynbaum (Grupo Boticário), Jean Jereissati Neto (Ambev), Marcel Szajubok (Embelleze), André Street (Stone), Alcione Albanesi (FLC) e Ana Fontes (Rede Mulher Empreendedora), com o apoio do Sebrae. As empresas em questão são fazem parte da iniciativa, que é projeto pessoal das lideranças envolvidas.

Gestão Financeira e Contábil, Gestão Fiscal, Marketing Digital, Recursos Humanos, Digitalização e Experiência do Consumidor são alguns dos temas que estão no rol do programa de conteúdos de atualização profissional ao pequeno varejo que estão disponíveis por meio da plataformawww.movimentocompredobairro.com.br. Além do Sebrae, o conteúdo foi selecionado a partir de curadoria da Endeavor e da consultoria LHH.

Parateracesso, basta que os lojistas interessados acessem o portal, podendo futuramente se cadastrar para receber atualizações enviando um e-mail para o seguinte endereço:O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.. Nas redes sociais do movimento no Facebook (@movimentocompredobairro) e no Instagram (@compredobairro) será possível acompanhar postagens com informações relevantes e de interesse para o setor.

Segundo dados oficiais do Sebrae (2019), 6,3 milhões de pequenos negócios compõem o pequeno varejo brasileiro, setor responsável pelo sustento direto de cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil. Ainda de acordo com a entidade, estima-se que o segmento seja fonte de renda para quase 43 milhões de brasileiros no total.

ParaGuilherme Weege, CEO do Grupo Malwee e um dos embaixadores do movimento #CompredoBairro, esses números oficiais retratam “a importância socioeconômica e a força do pequeno varejo nacional”, setor que deve ser um dos mais afetados pela crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19.

Cultura afetiva e empatia

Além da frente de capacitação, em um segundo momento, o movimento #CompredoBairro vai atuar para estimular a população brasileira a consumir produtos nacionais, especialmente dos chamados comércios de bairro. O objetivo é ajudar a levar fluxo para os lojistas e, assim, contribuir com a sustentabilidade da cadeia.

Segundo Weege, a ideia é aguardar a reabertura do comércio brasileiro para iniciar um trabalho de geração de conteúdo de causa que engaje os consumidores a aderir ao propósito do movimento, que é o de valorizar o produto nacional e o pequeno varejo brasileiro.

Sobre o #CompredoBairro

O #CompredoBairro é uma iniciativa de ação socioeconômica e popular voltada para valorização do pequeno varejo brasileiro. Atua em duas frentes principais: capacitação técnica e profissionalizante e estímulo ao comércio de rua. O movimento #CompredoBairro é movido pela crença de que comprar de micros e pequenos negócios é uma maneira de ajudar a economia brasileira e, ao mesmo tempo, manter viva a cultura afetiva de proximidade e confiança para com o comércio de bairro.

Prorrogado vencimento das parcelas do ICMS e ISS para contribuintes


 

Prazos para pagamentos das guias de abril, maio e junho foram adiados por 90 dias


Com voto favorável de São Paulo, o Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) aprovou medida que permite o adiamento do vencimento das parcelas do ICMS e do ISS devida pelas empresas do Simples Nacional. O acordo ocorreu em reunião virtual realizada nasexta-feira (3), em razão dos impactos da pandemia do Covid-19, e estabelece que os vencimentos de 20/4, 20/5 e 20/6 serão prorrogados por 90 dias. 

Desta forma, o tributo estadual (ICMS) e municipal (ISS) apurados no Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional - Declaratório (PGDAS-D) e Programa Gerador do DAS para o MEI (PGMEI) ficam prorrogados da seguinte forma: 

- o Período de Apuração Março de 2020, com vencimento original em20 de abril de 2020, fica com vencimento para 20 de julho de 2020; 

- o Período de Apuração Abril de 2020, com vencimento original em20 de maio de 2020, fica com vencimento para 20 de agosto de 2020; e 

- o Período de Apuração Maio de 2020, com vencimento original em22 de junho de 2020, fica com vencimento para 20 de setembro de 2020. 


Vale ressaltar que essa decisão é válida para a partir deste mês. Portanto, quem não recolheu os impostos em março, relativos à apuração de fevereiro, não está coberto pelo adiamento de prazo. 



Governo de SP lança aulas em tempo real por TV aberta e celular aos 3,5 milhões de estudantes da rede estadual

 

       O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (3) o lançamento do Centro de Mídias da Educação de SP (centrodemidiasp.educacao.sp.gov.br), uma plataforma que vai permitir que os estudantes da rede estadual tenham acesso gratuitamente a aulas ao vivo, videoaulas e outros conteúdos pedagógicos durante o período do isolamento social provocado pelo combate à COVID-19.

       "O Centro de Mídias SP, por meio de plataforma digital e da TV Cultura, vai permitir que os 3,5 milhões de alunos da rede pública tenham acesso ao ensino de qualidade com professores e especialistas da Secretaria da Educação", disse Doria.

       As aulas na rede estadual de São Paulo estão suspensas desde o dia23 de março como medida de controle à propagação do coronavírus. Como a Seduc antecipou o período de férias e recesso escolar, neste momento é importante que os estudantes acessem e conheçam as ferramentas para se familiarizarem. As aulas que contarão como dias letivos recomeçam no dia22 de abril.

        O download do Centro de Mídias SP está disponível para os sistemas Android e IOS. Parateracesso, estudantes e professores da rede estadual terão de fazer o login com os mesmos dados usados na Secretaria Escolar Digital (SED). O aplicativo foi desenvolvido pela IP.TV e doado à Secretaria de Estado de Educação (Seduc), durante a suspensão das aulas.

       Além da ferramenta que vai viabilizar o ensino presencial mediado por tecnologia, o Governo de São Paulo também fechou um contrato com a TV Cultura, que vai transmitir as aulas por meio do Canal digital 2.3 - TV Cultura Educação.

    A Seduc vai patrocinar internet para que alunos e professores da rede tenham acesso aos conteúdos via celular, sem qualquer custo. Para isso, firmará contrato com as quatro maiores operadoras de telefonia: Claro, Vivo, Oi e Tim. Dessa forma, todo estudante da rede poderá desfrutar das atividades do aplicativo sem utilizar o pacote 4G do celular, sinal de internet wi-fi, ou mesmo quando estiver sem créditos.

       A Amazon Web Services (AWS) vai disponibilizar, sem custo, a infraestrutura de servidores e redes para garantir a transmissão das aulas.

 

MÃO MECÂNICA COM PAPELÃO

       Para marcar o início das aulas ao vivo do canal 2.3 TV Cultura Educação, haverá uma aula inaugural de robótica nasegunda-feira (6) com a professora Débora Garofalo, eleita uma das dez melhores professoras do mundo em 2019.

       A apresentação será transmitida simultaneamente pelo App do Centro de Mídias SP e será sobre cultura maker, robótica e sustentabilidade. O estudante aprenderá como construir uma mão mecânica com papelão e barbante.

        O Centro de Mídias SP vai disponibilizar aulas ao vivo ministradas pelos professores da rede, permitindo que os alunos façam interações por meio de chat e vídeos. As aulas serão operadas em dois estúdios da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores da Educação do Estado de São Paulo (Efape), vinculada à Seduc. Além dos professores da rede, a plataforma vai contar com apresentações de youtubers. 

       No aplicativo haverá diversos canais, focados nos estudantes do 6º ano do ensino fundamental até a 3ª série do ensino médio. Pela TV Cultura, será possívelteracesso a videoaulas e atividades transmitidas inclusive em tempo real. A grade horária será dividida por etapas. Haverá componentes alternados a cada semana, sendo que matemática e língua portuguesa serão aplicados toda semana.

       Os alunos dos anos iniciaisterão programação específica transmitida pela canal TV Cultura Educação, e ainda receberão um material impresso disponibilizado pela Seduc.

       Dessa forma, os alunos da rede estadual poderão contar com diferentes canais de transmissão e interatividade para continuar estudando mesmo durante o período do isolamento social. Será possível assistir aulas pela TV e interagir pelo celular, além de acompanhar aulas pelo celular com interação em tempo real.

        Depois da reabertura das escolas, a ferramenta vai continuar sendo usada para complementar as atividades presenciais.