Seg08102020

Last update03:21:35 PM

 

Back Você está aqui: Home Brasil

Brasil

Maior Romaria do ano chega ao Santuário Nacional no fim de semana

(Foto Thiago Leon-arquivo)

 

Romaria do Terço dos Homens vai refletir o tema  ‘Terço dos Homens: Fonte de graças!’  e o lema  ‘Confiantes como Maria’.

A Romaria do Terço dos Homens, maior peregrinação acolhida pelo Santuário Nacional deve atrair dezenas de milhares de homens à Aparecida no próximo fim de semana. Na peregrinação do último ano, foi contabilizada a participação de 78 mil romeiros de todas as regiões do país. Neste ano, a programação foi estendida, passando a contar com três dias de atividades e não mais dois, como nas edições anteriores. Além das orações, o encontro quer promover a caridade entre os grupos, com a doação de alimentos não perecíveis para as instituições de caridade auxiliadas pela Arquidiocese de Aparecida.

A programação se inicia na sexta-feira (14), com a Missa de Abertura, celebrada no Altar Central da Basílica Nova às 20h. Logo após, uma Procissão Luminosa pela Passarela segue até a Basílica Velha, onde acontece uma adoração campal ao Santíssimo Sacramento. Até às 0h, uma vigília reúne os grupos em oração no local. Após esse horário, tem início outra vigília ao longo de toda a noite na Capela do Santíssimo do Santuário Nacional.

No sábado (15), a programação começa cedo com a Missa Solene, considerada a principal da Romaria, às 7h30. Para acolher o grande número de fiéis, a celebração acontece do lado externo da Basílica Nova, na Tribuna Dom Aloísio Lorscheider. No mesmo dia, às 13h, no Altar Central da Basílica, homens testemunham suas vivências de fé a partir da oração do Rosário. O momento prepara os participantes para a oração do Terço Solene, às 13h45, no mesmo local. A tradicional Consagração à Nossa Senhora Aparecida, às 15h, encerra as atividades da tarde de sábado.

Já no período da noite, às 19h, uma Procissão Luminosa vai percorrer os pátios da Basílica, saindo da Tribuna Papa Bento XVI, em direção à Tribuna Dom Aloísio Lorscheider. No local, acontece um show às 20h00, onde participam da apresentação a cantora Mariângela Zan e os Padres Antônio Maria, Camilo Júnior e Reginaldo Carreira.

No domingo (16), a programação chega ao fim. Às 6h45, acontece um momento de formação no Altar Central. A atividade prepara os fiéis para a Missa de Encerramento, às 8h00, no interior da Basílica Nacional. Às 9h00, na Tribuna Dom Aloísio Lorscheider, o programa Terra da Padroeira será transmitido ao vivo pela TV Aparecida, com programação especialmente dedicada aos homens do terço.

Gesto concreto

Além das atividades religiosas, neste ano, os participantes da peregrinação são convidados a participarem do gesto concreto da Romaria, doando alimentos não perecíveis. A ação vai beneficiar 15 obras sociais que recebem auxílio da Arquidiocese de Aparecida.

Terço dos Homens

A Romaria do Terço dos Homens é uma das maiores acolhidas pelo Santuário Nacional ao longo do ano. Este será a 12° peregrinação deste movimento católico formado exclusivamente por homens.

O movimento, que iniciou tímido há alguns anos no Brasil, ganhou força com o passar do tempo. Atualmente, todos os estados brasileiros possuem grupos de homens dedicados à oração do rosário mariano. De acordo com Dom Gil Antônio Moreira, Arcebispo de Juiz de Fora (MG) e Referencial para o Terço dos Homens, já são mais de um milhão e quinhentos mil homens rezando o terço.

Pela primeira vez no Carnaval, monociclos elétricos vão invadir o Sambódromo

A escola de samba Sociedade Rosas de Ouro, uma das mais tradicionais do carnaval paulistano, vai inovar no desfile em 2020. A escola vai levar para o Sambódromo do Anhembi o enredo “Tempos Modernos”, misturando diferentes experiências digitais interativas desenvolvidas em parceria com grandes empresas de tecnologia e centros acadêmicos, como a Poli – USP, o Centro Universitário FEI e o Instituo Mauá de Tecnologia. A ideia é unir arte, cultura e tecnologia num desfile inovador, destacando o que há de mais moderno atualmente, como a realidade aumentada, os aplicativos e os gadgets especiais. Dentro desse conceito inovador, uma das atrações mais surpreendentes da Rosas de Ouro neste ano será o grupo cênico chamado de “Future-se!”, no qual vão desfilar 20 monociclistas conduzindo monociclos elétricos de última geração. Eles estarão vestindo fantasias e representarão uma nova proposta de mobilidade urbana para a sociedade. Será a primeira vez que esse tipo de veículo participará do Carnaval no Brasil. O desfile da Rosas de Ouro vai dar visibilidade a uma tecnologia e uma proposta de mobilidade urbana que vem conquistando um número cada vez maior de usuários, sobretudo nas grandes cidades.

“As pessoas que estão trocando o uso diário do automóvel ou do transporte coletivo pelo monociclo elétrico fazem parte de um perfil de público voltado para um novo propósito de vida, mais econômico, divertido e eco-friendly. É uma nova tendência dentro da mobilidade urbana dos grandes centros, na qual a qualidade de vida (sem congestionamentos, por exemplo), o tempo gasto para se locomover e os custos envolvidos formam um pacote que atrai um número cada vez maior de consumidores”, afirma Márcio Canzian, sócio da Eletricz, distribuidora com sede em São Paulo (SP), empresa referência no transporte. 

Associação de servidores considera reforma da previdência paulista mais nociva do que a federal


AFPESP e outras entidades entregarão nesta segunda-feira (10) ofício para pleitear diálogo com o Governo do Estado


“A reforma da previdência estadual é muito mais nociva do que a realizada pelo Governo Federal e coloca em risco direitos adquiridos pelos servidores paulistas.” 
Com estas palavras, o médico Álvaro Gradim, presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo (AFPESP), resume o sentimento da entidade, que conta com mais de 250 mil associados, diante da Proposta de Emenda à Constituição do Estado de São Paulo (PEC) nº 18/2019 e do Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 80/2019, que tratam de reforma da previdência para os servidores paulistas. Gradim entregará nesta segunda-feira (10), juntamente com entidades parceiras, um ofício pleiteando a abertura de diálogo com o governo estadual. 
Programada para as 11 horas, a entrega será feita no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, e terá como objetivo alertar a população e a opinião pública para o impacto negativo da aprovação de propostas contidas na reforma da previdência estadual. 
Caso aprovado, o pacote de medidas pode impactar 1,2 milhão de servidores públicos ativos, inativos e pensionistas, além de seus familiares, totalizando mais de seis milhões de pessoas atingidas direta ou indiretamente. 
Um dos objetivos da AFPESP é alertar para os efeitos colaterais do texto proposto, que pode gerar ainda mais gastos para o governo. 

O dirigente destaca ameaça atrelada à supressão de direitos adquiridos, conforme artigo 3º da PEC 18/2019. “O direito adquirido não é benesse ou liberalidade, pois se trata de cláusula pétrea constitucional. Caso não seja garantido expressamente na PEC 18/2019, nos moldes da Emenda Constitucional Federal, as consequências serão catastróficas, havendo aposentadorias em massa, diante da insegurança jurídica, e premente necessidade de reposição, o que onerará indevidamente o erário estadual”, alerta Gradim. 
Outro ponto que pode estimular o aumento do número de pedidos, pressionando ainda mais o Estado, é a ausência de um dispositivo nesta PEC que obrigue o pagamento de abono de permanência aos servidores que já cumprem os requisitos para aposentadoria, mas decidem permanecer na ativa. “Ao oferecer incentivos para que esses funcionários permaneçam trabalhando, o Estado economiza recursos importantes, já que deixa de realizar novas contratações”, diz. 
Além disso, o presidente da AFPESP aponta como possível causa de graves prejuízos medida que poderá obrigar o servidor a permanecer mais tempo na ativa do que o período exigido por lei. Atualmente, o trabalhador poder cessar o exercício da função 90 dias após protocolizar seu pedido no órgão em que trabalha, mas, com a nova norma, esse prazo só passará a contar após entrada do procedimento na São Paulo Previdência (SPPrev), entidade que gere as aposentadorias estaduais. Como não há prazo determinado pela Constituição Estadual para a apreciação do pedido, o trabalhador não terá qualquer controle sobre o dia em que o procedimento aportará na SPPrev. Há casos em que o resultado chega a levar dois anos. 
“O risco é de ajuizamento de grande número de ações contra o Estado, gerando indenizações em razão de se obrigar indevidamente as pessoas a trabalharem além do tempo exigido em lei”, ressalta Gradim. 

Diálogo 
Na ocasião, o presidente da AFPESP, Álvaro Gradim, e os integrantes das demais associações presentes entregarão um ofício solicitando uma audiência com o governador João Doria, para que sejam debatidos pontos que apresentam inconstitucionalidades, equívocos e injustiças, colocando em risco as contas do próprio Estado, que poderá sofrer com elevado número de ações e pedidos de aposentadoria em massa. 
“Trata-se de reforma mais dura do que a realizada pelo Governo Federal, sobretudo pela criação de burocracias desnecessárias e que fogem ao controle do servidor. Não podemos aceitá-las da forma como estão sendo apresentadas. Por isso, pleiteamos a comunicação com o governador, para que possamos apresentar soluções positivas para os dois lados”, conclui o dirigente. 
Atualmente, a Reforma da Previdência estadual está com sua tramitação suspensa pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Propostas pelo governador Doria, as mudanças constam da PEC 18 (Proposta de Emenda à Constituição do Estado) e PLC 80 (Projeto de Lei Complementar). 
A Reforma Administrativa deve ser apreciada pela Assembleia Legislativa ainda neste primeiro semestre. 

Elektro firma parceria com UNICEF para doação via conta de energia


Antônio Casanova, Presidente da Elektro com Florence Bauer, Presidente do Unicef no Brasil

A Elektro, distribuidora controlada pela Neoenergia, acaba de firmar parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para viabilizar doações por meio da conta de luz. Desta forma, os beneficiados poderão contar com o apoio do maior estado do país, já que não há iniciativas semelhantes em São Paulo, e também no Mato Grosso do Sul, estados de atuação da empresa. 

Com este importante passo, todas as distribuidoras da Neoenergia (Elektro (SP/MS), Coelba (BA), Celpe (PE) e Cosern (RN),se tornam parceiras do projeto que estimula a solidariedade e apoia às ações promovidas pelo Fundo. As contribuições serão destinadas às áreas de educação, saúde e proteção de crianças e adolescentes no semiárido brasileiro.

 “Sabemos da importância de iniciativas como essa para ajudar crianças e jovens de todo o Brasil e ter a UNICEF como parceira é um grande orgulho. Nosso objetivo é facilitar a união de nossos clientes aos projetos realizados pelo Fundo, além de expandir ainda mais o desenvolvimento e a solidariedade em nosso país”, ressalta Antônio Casanova, Presidente da Elektro.

 Os interessados em doar, por meio deste formato de parceria, poderão se inscrever pelo telefone 0800 605 2020 e solicitar o valor que desejam incluir todo mês na conta de luz. A quantia poderá ser alterada ou suspensa a qualquer momento pelo titular. Após a inscrição, os clientes da Elektro também receberão periodicamente informações relacionadas aos projetos apoiados, com o objetivo de ampliar o conhecimento das vidas de crianças e jovens transformadas a partir da iniciativa.

 Os recursos arrecadados com as doações serão utilizados para dar continuidade e ampliar os projetos desenvolvidos pelo UNICEF numa das regiões mais pobres e castigadas do país. Atualmente, as ações da instituição já estão presentes em Pernambuco, na Bahia e no Rio Grande do Norte, por meio do Selo UNICEF Município Aprovado. 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Elektro firma parceria com UNICEF para doação via conta de energia


Antônio Casanova, Presidente da Elektro com Florence Bauer, Presidente do Unicef no Brasil

A Elektro, distribuidora controlada pela Neoenergia, acaba de firmar parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para viabilizar doações por meio da conta de luz. Desta forma, os beneficiados poderão contar com o apoio do maior estado do país, já que não há iniciativas semelhantes em São Paulo, e também no Mato Grosso do Sul, estados de atuação da empresa. 

Com este importante passo, todas as distribuidoras da Neoenergia (Elektro (SP/MS), Coelba (BA), Celpe (PE) e Cosern (RN),se tornam parceiras do projeto que estimula a solidariedade e apoia às ações promovidas pelo Fundo. As contribuições serão destinadas às áreas de educação, saúde e proteção de crianças e adolescentes no semiárido brasileiro.

 “Sabemos da importância de iniciativas como essa para ajudar crianças e jovens de todo o Brasil e ter a UNICEF como parceira é um grande orgulho. Nosso objetivo é facilitar a união de nossos clientes aos projetos realizados pelo Fundo, além de expandir ainda mais o desenvolvimento e a solidariedade em nosso país”, ressalta Antônio Casanova, Presidente da Elektro.

 Os interessados em doar, por meio deste formato de parceria, poderão se inscrever pelo telefone 0800 605 2020 e solicitar o valor que desejam incluir todo mês na conta de luz. A quantia poderá ser alterada ou suspensa a qualquer momento pelo titular. Após a inscrição, os clientes da Elektro também receberão periodicamente informações relacionadas aos projetos apoiados, com o objetivo de ampliar o conhecimento das vidas de crianças e jovens transformadas a partir da iniciativa.

 Os recursos arrecadados com as doações serão utilizados para dar continuidade e ampliar os projetos desenvolvidos pelo UNICEF numa das regiões mais pobres e castigadas do país. Atualmente, as ações da instituição já estão presentes em Pernambuco, na Bahia e no Rio Grande do Norte, por meio do Selo UNICEF Município Aprovado. 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

ANTT altera tarifa de pedágio da Rodovia Presidente Dutra


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou, nesta quinta-feira (6/2),a 24ª Revisão Ordinária, 15ª Revisão Extraordinária e o reajuste da tarifa básica de pedágio da rodovia Presidente Drutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, e que é administrada pela concessionária Nova Dutra. O nosso valores entram em vigor no sábado, dia 8 de fevereiro.

De acordo com as tabelas,  a tarifa básica de pedágio reajustada, após arredondamento, passa de R$ 15,20 para R$ 14,40, nas praças de Moreira César, Itatiaia, Viúva Graça e cabines de bloqueio de Viúva Graça (Viuvinha); de R$ 3,70 para R$ 3,50, na praça de Arujá e cabines avançadas de Arujá (Rodoanel), Guararema Norte e Guararema Sul; e de R$ 6,70 para R$ 6,30, na praça de pedágio de Jacareí e cabines avançadas de Jacareí. A alteração é decorrente da 24ª Revisão Ordinária, da 15ª Revisão Extraordinária e do reajuste.

A ANTT, por força de lei, realiza, anualmente, o reajuste e a revisão das tarifas de pedágio das rodovias federais concedidas. Essas alterações tarifárias são aplicadas no aniversário do início da cobrança de pedágio. As alterações de tarifa são calculadas a partir da combinação de três itens previstos em contrato: reajuste, revisão e arredondamento tarifário.

No caso atual, ocorreu o Arrendondamento Tarifário, que tem por finalidade facilitar a fluidez do tráfego nas praças de pedágio e prevê que as tarifas da categoria 1 de veículos devem ser múltiplas de R$ 0,10. Os efeitos econômicos do arredondamento são sempre compensados no processo de revisão subsequente. Ou seja, se neste ano a tarifa foi arredondada para baixo, no próximo ano, será reequilibrada para cima

2.385 vagas do Programa Novotec Expresso na região

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, está com 2.385 vagasparacursos rápidos e gratuitos de qualificação profissional do programa Novotec Expresso, na região de Campinas. O aluno pode se inscreveraté o dia 9 de fevereiro pelo sitewww.novotec.sp.gov.br.  O objetivo do programa é oferecer ao estudante qualificação profissional de qualidade pelo Centro Paula Souza, aumentando suas chances de empregabilidade. No Novotec Expresso, a carga horária total é de 200 horas/aula feitas em um semestre, de forma presencial, em áreas como TI, turismo, marketing, gestão e negócios, entre outras.

O programa Novotec é voltado aos alunos do ensino médio da rede pública e traz cursos que foram desenvolvidos para alinhar as demandas atuais do mercado de trabalho com as necessidades dos jovens por profissionalização mais rápida.  

Serão priorizados estudantes mais próximos das escolas, que ficam a menos de 2km do local do curso, além da igualdade de gênero nas turmas. Não haverá vestibulinho como forma de seleção.

São 31 cursos oferecidos pelo Novotec Expresso e na região os cursos com vagas são nos seguintes municípios: Casa Branca (Técnicas de Venda e Monitor de Turismo Rural); Espírito Santo do Pinhal (Monitor de Turismo Rural, Marketing Digital, Prática de Gestão de Pessoas); Mococa (Monitor de Turismo Rural, Práticas de Gestão de Pessoas, Programação Básica  para Android e Técnicas de Vendas).

A primeira igreja católica do mundo dedicada às pessoas surdas fica no Brasil


A igreja de Nossa Senhora do Silêncio, em Londrina, no Paraná, é a primeira igreja do mundo projetada especialmente para as pessoas surdas. A congregação Pequena Missão para Surdos, fundada na Itália há mais de 160 anos pelo pe. José Gualandi, adotou a missão de servir às pessoas surdas que, na época, viviam praticamente escondidas em casa por falta de escolas especializadas ou então acabavam abandonadas pelas ruas. A Pequena Missão começou com uma singela casa que acolhia dois surdos e os ajudava a integrar-se melhor à vida em sociedade.

O apostolado já nasceu ligado a Nossa Senhora do Silêncio, uma devoção representada pela imagem de Nossa Senhora com os braços no peito, em forma de cruz.

Em 1985, a Pequena Missão para Surdos chegou ao Brasil e logo começou a celebrar missas para surdos em Londrina. As missas foram celebradas durante anos na garagem do seminário dos padres da missão, até que, em 2012, foi iniciada a construção de um oratório dedicado a Nossa Senhora do Silêncio. É uma bela igrejinha de pedra, que os fiéis surdos visitam para fazer suas orações pessoais.

Segundo o Padre Heriberto, que trabalha na missão, o oratório mudou bastante a realidade dos frequentadores, dado que as pessoas surdas envolvidas no apostolado gostam de atividades dinâmicas em grupo, mas têm mais dificuldade com a realização de algo pessoal. Com o oratório, os fiéis surdos chegam para a missa e passam antes pelo oratório para rezar individualmente.

Depois do oratório veio a construção da primeira igreja do mundo para surdos, a igreja de Nossa Senhora do Silêncio, que se tornará no futuro o Santuário do Silêncio. Ela conta com iluminação especial para que o foco esteja no altar, no sacrário, no ambão, na cruz e em Nossa Senhora, além de possuir chão vibratório para que os fiéis surdos percebam o ritmo dos cantos.

O padre Heriberto afirmou -  “Com essa igreja projetada especialmente para os surdos, eles puderam ser incluídos na comunidade. Em outras paróquias encontramos um projeto feito para ouvintes com a presença dos surdos; aqui a Missa é pensada para o surdo com a presença dos ouvintes”.

O futuro santuário prevê participação maior ainda dos surdos como acólitos, ministros da Eucaristia e responsáveis pela liturgia, além de estarem sempre envolvidos nas decisões, já que tudo é pensado de acordo com a sua realidade.

Quase 2 mil pessoas já mudaram o nome e o sexo nos Cartórios de São Paulo

 

Mais rápida e menos burocrática, alteração de nome e gênero nos Cartórios de Registro Civil se tornou possível em 2018 e conferiu cidadania à população LGBTQIA. Na data em que se comemora o Dia Nacional da Visibilidade Trans, o total de 1826 pessoas já realizaram a mudança de nome e sexo nos Cartórios de Registro Civil do Estado de São Paulo desde a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu o direito de transgêneros e transexuais de adequarem sua identidade percebida à identidade real em seus documentos de identificação. No Brasil, o número total é de 6.086 procedimentos realizados em cartórios.

Publicada em março de 2018, e regulamentada pelo Provimento nº 73 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em junho do mesmo ano, a decisão prevê a possibilidade de alteração de nome e gênero sem necessidade de cirurgia de mudança de sexo e de autorização judicial, possibilitando a realização do ato diretamente em Cartórios de Registro Civil de todo o País, em procedimento que pode ser efetuado até no mesmo dia.

Do total de atos de mudança de nome e sexo nos cartórios paulistas, em 1035 ocasiões as alterações foram solicitadas do gênero masculino para o feminino, enquanto que em 791 ocasiões foram do gênero feminino para o masculino. De julho a dezembro de 2018 foram 765 procedimentos de mudanças, enquanto que o ano de 2019 registrou um total de 1061 pedidos de alteração de nome e gênero.

Processo

Para realizar o processo de alteração de gênero em nome nos Cartórios de Registro Civil é necessário a apresentação de todos os documentos pessoais, comprovante de endereço e as certidões dos distribuidores cíveis, criminais estaduais e federais do local de residência dos últimos cinco anos, bem como das certidões de execução criminal estadual e federal, dos Tabelionatos de Protesto e da Justiça do Trabalho. Na sequencia, o oficial de registro deve realizar uma entrevista com o (a) interessado.

Eventuais apontamentos nas certidões não impedem a realização do ato, cabendo ao Cartório de Registro Civil comunicar o órgão competente sobre a mudança de nome e sexo, assim como aos demais órgãos de identificação sobre a alteração realizada no registro de nascimento. A emissão dos demais documentos deve ser solicitada pelo (a) interessado (a) diretamente ao órgão competente por sua emissão. Não há necessidade de apresentação de laudos médicos e nem é preciso passar por avaliação de médico ou psicólogo.