Qui07092020

Last update11:55:17 AM

 

Back Você está aqui: Home Cidades Futuros médicos alertam sobre impacto dos acidentes de trânsito

Cidades

Futuros médicos alertam sobre impacto dos acidentes de trânsito

Estudantes da UNIFAE utilizam Campanha Maio Amarelo para conscientizar motoristas

A cada hora, quatro pessoas morrem em acidentes de trânsito no Brasil. Números tão elevados levam os estudantes de Medicina da UNIFAE a realizar, anualmente, ações de conscientização junto à comunidade.

As atividades ficam a cargo dos componentes das Ligas Acadêmicas de Cirurgia Geral e Trauma (LIACGT) e de Urgência e Emergência (LIAUE) e ocorrem no quinto mês do ano, durante a Campanha Maio Amarelo, que visa chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

Neste ano, excepcionalmente, em razão da pandemia de COVID-19 e da recomendação do isolamento social, parte das ações não puderam ocorrem. A boa notícia é que a circulação reduzida, provocou uma expressiva redução dos acidentes de trânsito, principalmente nas rodovias. Embora vidas estejam sendo preservadas, infelizmente esta queda é transitória e, na opinião de especialistas, nada tem a ver com o desenvolvimento de uma consciência preventiva e de segurança por parte do cidadão. Reflete, tão somente, menos carros em circulação. Por esta razão, os futuros médicos fizeram questão de enfatizar a importância de atenção redobrada no trânsito.

“A prevenção primária é a forma mais efetiva de diminuir os danos. O programa Maio Amarelo vem no sentido de prevenir acidentes principalmente entre indivíduos de 20 a 29 anos, que é a faixa etária predominante entre os alunos da UNIFAE”, destacou Thaís Arabe do Prado, aluna do sétimo semestre e presidente da LIAUE.

Além de um trânsito mais seguro, ações junto à população também proporcionam desenvolvimento profissional para os graduandos. “Tal interação médico-sociedade é fundamental para que ambos possam cumprir com excelência seu papel. Nada melhor que isso se inicie ainda dentro do ambiente acadêmico”, afirmou Eduardo Bittencourt, do sétimo semestre e presidente da LIACGT.

Eduardo ainda explicou o motivo que leva as Ligas a propor eventos e ações de conscientização: “Geralmente são as especialidades de emergência, trauma e cirurgia que atuam na linha de frente no atendimento de acidentes, tanto no ambiente intra como extra-hospitalar. Os médicos destas áreas são preparados para lidar com situações em que o tempo é crucial e cada segundo faz a diferença. Além do fato que, quando atuamos na equipe de resgate pré-hospitalar, temos de lidar com ambientes hostis e recursos escassos”.

Thaís concorda com o colega e vai além, enfatizando que especialização médica nestas modalidades é fundamental: “Não pode ser de outra forma, para que o paciente com traumatismos múltiplos receba o tratamento mais efetivo possível, visando que os danos agudos ou residuais afetem o mínimo possível a sua qualidade de vida.”