Sex01242020

Last update04:36:17 PM

 


Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Fundação Bienal anuncia a programação da 34ª Bienal de São Paulo

THORISO le MORUSU (2013). Neo Nuyanga com o coral Simon Estes Alumni (Foto: Neosong Company)


Concebida como uma polifonia de vozes e visões a partir da produção artística contemporânea, a 34ª Bienal de São Paulo -- Faz escuro mas eu canto pretende reivindicar o direito à complexidade e à opacidade, tanto das expressões da arte e da cultura quanto das próprias identidades de sujeitos e grupos sociais. Para tanto, a edição adota um novo formato, que propõe criar uma multiplicidade de situações distintas em que possa se dar o encontro entre obras de arte e público. Com esta estratégia, a equipe curatorial, formada por Jacopo Crivelli Visconti, Paulo Miyada, Carla Zaccagnini, Francesco Stocchi e Ruth Estévez, salienta o quanto as interpretações e significações atribuídas às obras são elásticas e influenciadas, entre outros fatores, pelos diálogos possíveis com os trabalhos exibidos ao seu redor.

Além de se alongar no tempo, com a realização de mostras individuais e eventos performáticos no Pavilhão da Bienal já a partir de 
8 de fevereiro, a 34ª Bienal também se expande no espaço, ao trabalhar com 25 instituições da cidade de São Paulo. A ampla rede de parcerias institucionais da Fundação Bienal de São Paulo -- cultivadas ao longo dos anos e motivadas pela potência e riqueza possibilitadas pelo diálogo e por colaborações -- é, nesta edição da mostra, aprofundada, passando a englobar, para além das relações institucionais, uma malha de relações artísticas e curatoriais.

Na maior parte dos casos, a parceria consiste em exposições individuais realizadas em instituições da cidade. Essas mostras oferecem ao público uma oportunidade para construir leituras aprofundadas de artistas que participam da grande coletiva que ocupa o Pavilhão da Bienal a partir
de setembro-- onde os trabalhos se encontram em diálogo com outros artistas e debates. Assim, cerca de um quarto dos artistas que poderão ser vistos na mostra coletiva da 34ª Bienal integram essa rede expositiva, a qual resulta de meses de diálogo entre gestores e curadores dos diferentes espaços, além de curadores convidados. Há, também, casos em que as colaborações assumem outros formatos, como um programa de vídeo e um seminário internacional.

“Localizada no complexo cultural do Parque Ibirapuera e com sua origem entrelaçada com a de outras instituições, como o MAM e o MAC, a Fundação Bienal já nasceu com uma forte vocação para o estabelecimento de conexões. A 34ª Bienal acontece, então, como fruto do encontro e da potencialização mútua entre projeto curatorial e atuação institucional, e pelo reconhecimento de que é preciso,
hojemais do que nunca, ressaltar a importância do diálogo e das relações entre diferentes”, afirma José Olympio da Veiga Pereira, presidente da Fundação.

A 34ª Bienal se estrutura justamente a partir das múltiplas relações que se instauram entre questões artísticas e institucionais num evento desse porte. “Todos os artistas exibidos nas instituições parceiras também estarão presentes no Pavilhão da Bienal a partir
de setembro, mas a experiência do encontro com suas obras por parte dos visitantes, em cada um dos casos, será imensamente diferente. E é nessa multiplicidade de relações possíveis e em constante transformação que esta edição da Bienal encontra um de seus norteadores centrais”, afirma Jacopo Crivelli Visconti, curador geral desta edição.

PROGRAMAÇÃO

Ximena Garrido-Lecca
exposição individual
8 de fevereiroa 15 março

Neo Muyanga
performance
8 de fevereirode 2020, 11h

Clara Ianni
exposição individual
25 de abril8 de junhode 2020

León Ferrari
performance
25 de abrilde 2020

Deana Lawson
exposição individual
25 de julho23 de agostode 2020

Hélio Oiticica
performance
5 de setembrode 2020

Exposição coletiva
5 de setembro6 de dezembrode 2020

34ª Bienal de São Paulo -- Faz escuro mas eu canto
Equipe curatorial
Curador geral: Jacopo Crivelli Visconti
Curador adjunto: Paulo Miyada
Curadores convidados: Carla Zaccagnini, Francesco Stocchi e Ruth Estévez
Curadora convidada para publicações: Elvira Dyangani Ose, diretora do The Showroom, Londres

#MuseumSelfieDay: campanha dá ingressos a quem publicar fotos nos museus


 

Nesta quarta-feira (15), a campanha mundial #MuseumSelfieDay convida pessoas a visitarem museus e publicaremselfiesem suas redes sociais utilizando ahashtagcom o nome da ação. Com o objetivo de incentivar a participação e a visitação aos museus de São Paulo, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado lança campanha que vai presentear o público com par de ingressos para ida a outro museu.

Para participar, o usuário deve fazer uma foto dentro de qualquer museu de São Paulo, publicar no Instagram marcando na imagem o perfil @culturasp e incluir na legenda a frase: “Minha próxima selfie será no...”, com a hashtag #MuseumSelfieDay, indicando qual museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado gostaria de visitar gratuitamente. Os criadores das melhores fotos ganharão um par de ingressos para o museu escolhido.

Participam da ação museus da capital do Estado e do interior.

Criada em 2014, a campanha mundial #MuseumSelfieDay tem como objetivo aumentar o fluxo de visitas aos museus e sua divulgação nas redes sociais, convidando pessoas de todas as idades a publicarem autorretratos fotografados dentro das instituições, utilizando a hashtag #MuseumSelfie, aumentando assim o engajamento do público e mostrando que os museus são espaços atrativos e conectados com as novas mídias.

Políticos reagem à indicação de Democracia em Vertigem ao Oscar

 

 

Reprodução do documentário Democracia em Vertigem de Petra Costa

 

Democracia em Vertigemfoi indicado ao Oscar 2020, incluído como documentário. A produção, distribuída pela Netflix, retrata o processo que levou ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) sob o ponto de vista da diretora Petra Costa. Por isso, sua indicação despertou muitos comentários políticos nas redes sociais, com a oposição comemorando o reconhecimento do Oscar e a direita chamando o documentário de ficção.

A indicação de “Democracia em Vertigem”, que já vinha se destacando com indicações a outros festivais internacionais de cinema, foi anunciada pelo Oscar nesta segunda-feira (13) e ficou entre os assuntos mais comentados nas redes sociais.

A maior parte dos posts partiu de internautas que parabenizaram o feito da diretora brasileira, que pode ser a primeira mulher latino-americana a ganhar um Oscar, e comemoraram a visibilidade recebida pelo processo que alterou o rumo da política nacional ao tirar Dilma Rousseff do poder em 2016.

"A Magia do Cinema" leva a trilha sonora de grandes filmes para o Teatro Iguatemi Campinas

O que seria do cinema sem uma boa trilha sonora? Quem nunca se entusiasmou com a trilha de “Star Wars” ou sentiu arrepios com “Tubarão”? A música é peça fundamental, que garante a emoção necessária para que cada cena ganhe vida na telona. Toda essa magia poderá ser conferida no espetáculo “A Magia do Cinema”, com a orquestra São Paulo Pops Symphonic, que terá apresentações gratuitas dias 22 e 29 de janeiro, às 21h00, no Teatro Iguatemi Campinas.

O espetáculo é um tributo a John Williams, um dos maiores compositores da história do cinema. Considerado o Mozart do século XX, Williams é o criador das trilhas citadas acima e de muitas outras, que serão apresentadas no Teatro Iguatemi Campinas. No repertório, sucessos como Fanfarra Olímpica e trilhas dos filmes Indiana Jones, Contatos Imediatos de Terceiro Grau, E.T: O Extraterrestre, Hook (A Volta do Capitão Gancho), A Lista de Schindler, Jurassic Park, Tubarão, Star Wars, Harry Potter, Superman e Perdidos no Espaço.

Nesta homenagem ao compositor John Willians são inseridas projeções visuais e também conversas didáticas e educativas, que contam em pequenos trechos a vida, a obra e as curiosidades deste grande artista, aproximando a plateia do maestro e da banda sinfônica, proporcionando novas informações culturalmente relevantes numa viagem sonora e cinematográfica.

A entrega dos vouchers que dão direito a um ingresso devem ser retirados na loja Fillity, patrocinadora do evento, localizada no primeiro piso do Iguatemi Campinas, até o término dos lugares disponíveis no teatro. Haverá o limite de dois ingressos por CPF.

A MAGIA DO CINEMA


GÊNERO:
Orquestra
CLASSIFICAÇÃO: Livre
VALORES: Gratuito 

DATA: 22 e 29/01
HORÁRIO:
 21h00
LOCAL:
 Teatro Iguatemi Campinas
ENDEREÇO:Av. Iguatemi, 777, Vila Brandina, Campinas, SP

Governo do Estado anuncia conclusão da obra de restauro do Museu da Língua Portuguesa

Inauguração será em 25 de junho de 2020

O Governador do Estado de São Paulo João Doria e o Secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão anunciaram nesta segunda-feira, dia 16, durante uma visita ao Museu da Língua Portuguesa, a finalização da obra de restauro e readequação interna do espaço. Localizado no antigo prédio da Estação da Luz, o imóvel e seu conteúdo foram destruídos por um incêndio ocorrido em 2015.

Agora começa a última etapa antes da reinauguração, em 25 de junho de 2020, que inclui a instalação da museografia e a seleção da organização social responsável pela gestão.

“A partir de agora começa a montagem do acervo e de toda a experiência do Museu da Língua Portuguesa, com algumas novidades e evoluções, inclusive tecnológicas”, disse o Governador João Doria.

O Secretário anunciou o lançamento do edital de licitação para a contratação da organização social que fará a gestão do Museu. As instituições qualificadas como Organização Social de Cultura que possuírem interesse devem manifestar suas propostas até o dia 29 de janeiro.

A obra do Museu da Língua Portuguesa aconteceu em três fases: restauro das fachadas e esquadrias; reconstrução da cobertura; e recuperação dos espaços internos. Também foram realizadas ações de conservação da cobertura da Ala Oeste, que não foi atingida pelo incêndio.

A área ocupada pelo Museu foi expandida. A readequação interna inclui novos espaços, como um café no terraço com vista para o Parque da Luz e integração dos pátios laterais, que darão acesso aos saguões e a local em que é possível observar a Estação da Luz.

Em quase 10 anos de funcionamento (2006-2015), o Museu recebeu cerca de 4 milhões de visitantes.

Reforço contra incêndio

O restauro trouxe melhorias de infraestrutura e segurança, especialmente contra incêndio, que superam as exigências do Corpo de Bombeiros. Entre as novas medidas está a instalação de sprinklers (chuveiros automáticos). O museu também terá certificação ambiental e atenderá de forma mais ampla a acessibilidade.

Parceria

A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo em parceria com a Fundação Roberto Marinho. O custo total do restauro foi R$ 81,4 milhões.

Experiências inéditas

O Museu da Língua Portuguesa celebra a língua como elemento fundador e fundamental da nossa cultura. Por meio de experiências interativas, conteúdo audiovisual e ambientes imersivos, o visitante será conduzido a um mergulho na história e na diversidade do nosso idioma.

Em sua expografia renovada, o Museu terá experiências inéditas, como “Línguas do Mundo”, que destaca 20 das mais de 7 mil faladas hoje; “Falares”, que traz os diferentes sotaques e expressões no Brasil; e “Nós da Língua Portuguesa”, que aborda sua presença no mundo, com a diversidade cultural da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Permanecem no acervo experiências de grande comunicação com o público, como a instalação “Palavras Cruzadas”, que mostra as línguas que influenciaram o português no Brasil; e a “Praça da Língua”, espécie de “planetário do idioma’” que homenageia o português escrito, falado e cantado, em um espetáculo imersivo de som e luz.

Jorge Pardo instala ambiente interativo no Octógono da Pinacoteca

Primeira exposição no Brasil de um dos mais importantes artistas da atualidade


Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, apresenta, de 
7 de dezembrode 2019 a2 de março de 2020, a exposiçãoJ orge Pardo: Flamboyant, que ocupa o Octógono do edifício Pina Luz. Com curadoria de Jochen Volz, diretor-geral do museu, a mostra apresenta uma instalação interativa inédita composta de 14 peças que convida o público a experimentar um momento de fruição e de contemplação. Considerado um dos mais importantes artistas da atualidade, o cubano vem utilizando-se das linguagens do desenho e da escultura a fim de explorar os limites entre a arte, o design e os espaços de convivência.

Para o Octógono da Pinacoteca, Pardo desenvolve um “espaço de estar” composto de um tapete redondo listrado de amarelo, de cobre e de laranja, treze luminárias e de sete cadeiras de balanço, todos desenhados e fabricados por ele. O conjunto propõe evocar uma experiência familiar à do descanso sob o pé de uma árvore, convidando o visitante a desfrutar das frondosas peças que, assim como o flamboyant, exalam uma beleza transitória.

Concebidas digitalmente, compostas de centenas de pedaços de plástico reciclado, de aço e de alumínio, cortadas a laser e finalizadas à mão pelo estúdio do artista, as luminárias estão penduradas em uma malha de cabos de aço rebaixada no espaço do Octógono. Seus efeitos serão revelados somente no espaço. "Gosto de trabalhar dessa maneira", comenta Pardo a respeito da técnica digital que permite criar arranjos complexos. "Você não sabe como será até acender a luz."

A composição do ambiente homenageia a pinturaThe Painter´s Studio [O ateliê do pintor], 1855, de Gustave Courbet. Tal como o artista francês concebeu aquela obra como espécie de alegoria de seu tempo e em referência a diversos signos de seu universo de influências (figuras da sociedade, a modelo nua como referência à academia, entre outras), o cubano presta sua própria homenagem ao celebrado pintor realista, transformando algumas das figuras de sua obra em ornamentos para as cadeiras. “Essa imagem de Courbet me chamou atenção porque evidencia uma negligência organizacional na qual a profundidade de campo é inexistente, revelando um ar de inacabado. O que me inspira a criar uma atmosfera na qual há um balançar em uma boa cadeira sob uma bela luz”, reflete o artista.



SERVIÇO
Jorge Pardo: Flamboyant
Curadoria de Jochen Volz
Abertura:
7 de dezembrode 2019,sábado, às 11h
Visitação: de
7 de dezembrode 2019 a2 de março de 2020
De
quartaasegunda, das 10h às 17h30 -- com permanência até as 18h
Pinacoteca de São Paulo:
Edifício Pina Luz
Praça da Luz 2, São Paulo, SP -- 1º andar -- Octógono
Ingressos: R$ 10,00 (entrada); R$ 5,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha)
Menores de 10 anos e maiores de 60 anos são isentos de pagamento.
Aos sábados, a entrada da Pina é gratuita para todos.

”Escola do Rock”, uma das mais espetaculares produções da Broadway chega ao Brasil


“Escola do Rock”, baseado no filme da Paramount escrito por Mike Stevens, com libreto de Julian Fellowes, músicas do conhecido compositor Sir Andrew Looyd Webeer, chegou ao Brasil. A montagem brasileira é dirigida por Mariano Detry que elaborou um projeto cênico inédito em um musical encantador. Este projeto trouxe uma arrojada cenografia e figurinos desenvolvidos para o Brasil pela figurinista Anna Louizes de Nova York, com pinturas de tecido feitas à mão e diversas aplicações de Hotstamps, penas e lantejoulas que embelezaram mais o musical, remetendo às tradicionais escolas americanas e ao mundo Rock.

   Coreografia de Escola do Rock é assinada pelo inglês Philip Thomas, criando um ritmo elétrico. As músicas de Andrew Lloyd Webber estão reproduzidas na formação original da orquestra, como foi realizado em Londres e Nova York. No espetáculo brasileiro o regente Daniel Rocha rege uma orquestra de nove músicos. Elenco consta de 63 atores (42 crianças e 21 adultos).

   Para expor essa magnífica montagem foi escolhido o Teatro Santander, um dos mais modernos palcos do país. Essa grandiosa produção Hit na Broadway e West End mostrou ser um espetáculo teatral emocionante cativando os espectadores.

   A responsabilidade de trazer ao Brasil a Escola do Rock se deve ao Atelier de Cultura que possui uma equipe criativa de nível internacional.

   Hall de entrada do Teatro Santander fervilhava de crianças conduzidas pelos pais para assistirem na matinê dominical o suntuoso espetáculo. Atores do porte de Arthur Borges (Dewey Finn) e Cleto Baccic (Ned Schneebly) que obtiveram sucesso em musicais anteriores com suas experiências são chaves na atual representação conduzindo enorme elenco, constantes de atores adultos e de crianças que sustentam a verve de Escola do Rock.

    Por sua vez raramente visto no palco brasileiro um meticuloso laboratório criado com as crianças resultou numa interpretação do grupo  infantil que assinalam eles como uma das partes principais do espetáculo.

   A peça teatral contou com Cenógrafa/Figurinista Anna Louizos, Philip Michael Thomas na Coreógrafia, incidência de luz por Mike Robertson e demais criativos projetistas que produziram uma encenação à altura da produção realizada na Broadway. Não é espantoso que tenham atingido esse patamar pois nosso pais possui amadurecimento na arte teatral.

    Sucesso total dessa encenação se deve ao diretor Mariano Detry que procedeu a criteriosa seleção de elenco, músicos, sonorização, visagismo e milhares de itens que uma produção deste porte demanda.

    Ao final do espetáculo enorme ovação e prolongados aplausos ao elenco no, que por sua vez em alegre empatia com o público coroavam o sucesso da encenação.

   

Serviço:

Peça teatral: Escola do Rock

Onde: Teatro Santander (1.100 lugares)

Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041

Hor. 5a. e 6a. feira às 20,30 horas/ Sáb. e Dom. às 15 e 19,30

Quanto: De R$75 à R$310

Duração: 120 min. (intervalo de 20 min) - Classificação: Livre - Gênero musical

Até: 15/12

Avaliação: Excelente

Campinas recebe Festival que mistura experiências gastronômicas, cinematograficas e artísticas



O Cinegastroarte acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro com sessões na Sala Prime do Shopping Iguatemi Campinas.

Se muitos apostam que o futuro das salas de cinema será feito de experiências que vão além do ato de sentar em uma poltrona comum e assistir a um filme, o Festival Cinegastroarte Comgás é um excelente exemplo, que fará com quem ainda seja descrente diante dessa previsão possa entender que, na verdade, o futuro já é presente.

Apresentado pelo Ministério da Cidadania, Secretaria Especial da Cultura, Comgás e com realização da NTICS Projetos, o Festival Cinegrastroarte Comgás chega ao seu 3º ano consecutivo unindo três vertentes que têm em comum o poder de despertar no ser humano sentidos que muitas vezes não conseguimos colocar em palavras: cinema, gastronomia e arte.

O Festival proporcionará aos participantes uma experiência sensorial única. Na cidade, as sessões serão realizadas entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro no Shopping Iguatemi Campinas. 

Durante as sessões de cinema, que acontecem na Sala Prime do Cinemark Campinas, o público terá a oportunidade de assistir a uma seleção de filmes com temas que têm a culinária como assunto principal ou como pano de fundo, e saborear menus especiais elaborados por chefs de restaurantes como Rios Restaurante, James Italian, Coco Bambu e Outback. Essa experiência que mistura cinema e gastronomia no conforto de uma sala Prime é chamada de Sensações Emocionantes.

No dia 29/11,os destaques da programação ficam por conta do longa “Madame” (2018), na sessão das 19h, e “Encontro de Casais” (2009), às 21h30. As sessões serão acompanhadas por pratos oferecidos pelo restaurante Coco Bambu. No menu, o camarão é o astro das preparações.

No dia 30, a sessão das 15h30 é especial para a garotada. O filme “A Guerra do Hamburger” (1997) poderá ser acompanhado com menu do Outback trazendo miniburguers com queijo e de sobremesa, milkshake de chocolate. No mesmo dia, na sessão das 19h e 21h30, a chef Giovanna Perrone, do Rios Restaurante, apresenta receitas especiais para acompanhar os longas “A 100 Passos de um Sonho” (2014) e “Pegando Fogo” (2015), respectivamente. Nas preparações, pratos como pancetta em baixa temperatura,boeuf bourguignoncom vegetais orgânicos e pescada cambucu, entre outras. 

No dia 01/12, a primeira sessão do CineGastroArte ComGás inicia às 13h, com o filme “Uma Doce Disputa” (2016), que terá o menu preparado pelo chef Lisandro Lauretti, do Jamies Italian. Ele apresentará creme de alho poró, sanduíche deprosciutto cruSan Danielle, mozzarella de búfala, tomates e pesto genovês, servido com saladinha. Para sobremesa, torta brownie com mousse de chocolate. Na sessão seguinte, às 19h, para acompanhar o filme “Sabor da Paixão” (2000), Lauretti trará caldinho de vongolês ou peixe, moqueca de camarão e peixe e, para finalizar, torta mousse de chocolate com crocante de canela e compota de pimenta dedo de moça.

Paralelamente à experiênciaSensações Emocionantes, será realizado no dia 30 de novembro, das 14h às 17h, também no Shopping Iguatemi Campinas, o Encontre o Sabor. É um evento gratuito aberto ao público com experiências comoaula show com Izabel Alvares, e preparação de receitas e degustação, com os chefs Arthur Sauer e André Otero. Cada aula ou preparação terá duração até 40 minutos.

Os interessados em participar podem conferir a programação completa através do site https://cinegastroarte.com.br/encontre-o-sabor/campinas/

“Alguma coisa assim” na programação do Ponto MIS nesta terça-feira


Neste mês de novembro, o Ponto MIS está exibindo filmes que mostram sexualidades. Conhecer e entender as próprias diferenças e como elas se apresentam na vida em sociedade, a descobertas, os medos, e a superação são os enfoque sobre as abordagens sobre gênero e orientação sexual em diferentes contextos e como o preconceito e os obstáculos são enfrentados por cada narrativa nos filmes que compõem a programação.

Nesta terça-feira, dia 26, com entrada gratuita, a atração é o filme “Alguma coisa assim”, uma produção de 2018 de Brasil e Alemanha. O filme tem duração de 96 minutos e mostraCaio e Mari, dois jovens adultos cujo relacionamento está além de qualquer definição. Ao longo de 10 anos, o enredo transita entre 3 momentos marcantes em que seus desejos estão em conflito e seu relacionamento é posto à prova. Entre São Paulo e Berlim, acompanhamos a transformação das cidades e dos personagens, vivendo as dores e as delícias de uma relação sem rótulos.

Dirigido porMariana Bastose Esmir Filho, o filme tem no elenco André Antunes (Caio) e Caroline Abras (Mari).

O público pode assistir ao filme nesta terça-feira, às 19h30, na Sala Dilo Gianelli do Theatro Municipal, Entrada franca.