Seg12102018

Last update09:50:03 AM

 


Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Com seis indicações, “VICE” é o maior destaque do Globo de Ouro 2019

Depois de quatro indicações no Globo deOuro de2016, o diretorAdam McKayconquista novamente a atenção da premiação com o filme "VICE", líder em indicações . O longa que acompanha a história de ascensão deDick Cheney(Christian Bale) como o homem mais poderoso da política mundial, foi destaque em seis das principais categorias da premiação, incluindo Melhor Filme de Musical ou Comédia, Melhor Diretor, Melhor Ator em Musical ou Comédia (Christian Bale), Melhor Atriz Coadjuvante (Amy Adams), Melhor Ator Coadjuvante (Sam Rockwell) e Melhor Roteiro. É a terceira indicação deChristian Balecomo Melhor Ator em Musical ou Comédia no Globo de Ouro. Bale já levou para casa o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante em 2011 por "O Vencedor".Amy Adamsjá colecionava sete indicações e duas vitórias e se destacou em "VICE" como Melhor Atriz Coadjuvante, concorrendo simultaneamente como Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para Televisão por "Sharp Objects", tornando-se um dos principais nomes nesta edição.Sam Rockwell, como o ex-presidenteGeorge W. Bush, recebe suasegundaindicação a Melhor Ator Coadjuvante, categoria em que venceu ano passado. Os vencedores serão conhecidos dia6 de janeirode 2019.

Além de abordar a vida de uma das figuras mais poderosas e controversas da política americana, "VICE" conta com elenco de peso e direção deAdam McKay, vencedor do Oscar em 2016. É apontado pela crítica especializada como um dos favoritos nesta temporada e as indicações servem como termômetro para o Oscar.Sam Rockwelltambém é apontado como um dos favoritos para a categoria de Melhor Ator Coadjuvante do Oscar, mesma categoria em que saiu vitorioso na edição passada por sua atuação em "Três Anúncios Para um Crime". 

"VICE" será lançado no Brasil pela Imagem Filmes em 31 de janeiro.

OSESP executa a Sinfonia Nº 7 de Anton Bruckner de forma impecável

   Anton Brruckner (1824-1896) é uma das personalidades mais estranhas da história na música. Como artista, foi mais "moderno" que sua época. Como homem, pertenceu à um mundo arcaico. Nasceu numa aldeia da Áustria Alta, região montanhosa e rústica, criou-se em um daqueles suntuosos mosteiros barrocos, Sankt Florian, que no meio de uma paisagem idílica ostentam as artes estupendas dos séculos XVII e século XVIII.

   Foi paupérrimo mestre de escola em aldeia de sua terra, depois em idade avançada foi organista da Catedral de Linz. Mudou para a imperial Viena onde se dedicou a estudar contraponto.

   Ouviu pela primeira vez, música de Wagner. Ficou entusiasmado, e começou a escrever sinfonias de sumo deslumbramento, tendo como fundo fé singela nos moldes religiosos. Sentia a presença de Deus em tudo que escreveu, fosse uma missa, fosse uma sinfonia.

   OSESP em audição inspirada executou na elegante sala São Paulo a Sinfonia nº 7 em mi maior (1883) obra essa de estilo colossal, de dimensões enormes, de crescente habilidade técnica no emprego de recursos orquestrais. Ouvindo o segundo movimento Adágio completado quando Bruckner já tinha recebido a notícia da morte de Wagner: conclui-se ser elegia, canto sacro e hino.

   O terceiro movimento Scherzo se inicia com uma melopeia suave, para em seguida os instrumentos de sopro exporem tremenda força rítmica e dinâmica, divergindo dos dois movimentos anteriores. O Finale, de inicio discreto vai num crescendo para chegar à um final apoteótico.

   OSESP foi regida por Giancarlo Guerrero (foto) nascido na Nicarágua cresceu na Costa Rica e estudou na Baylor University, rege sem a clássica batuta ao modo de Valery Gergiev, com as mãos. Sua condução frente ao corpo musical foi impecável por força de uma leitura da partitura levada à perfeição musical.

   Como só acontece no princípio suas Sinfonias não foram aceitas pelo público; entretanto nos dias atuais são peças musicais requisitadas pelas grandes orquestras e reputadas como obras de envergadura musical.

   Bruckner escreveu nove Sinfonias, a última a nona (1896) ficou incompleta, é um epílogo triste, mas não desolado, de um homem seguro de sua salvação.

   OSESP em audição fulgurante com destaque para instrumentos de  sopros, seguidos das 

cordas, expôs seu nível musical idêntica ás grandes orquestras internacionais.

   Intensa ovação e aplausos prolongados do público finalizaram a magnífica performance musical.

Serviço:

OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Audição realizada na sala São Paulo sob auspícios da Fundação OSESP

Compositor Anton Bruckner 

Regente: Giancarlo Guerrero

Sinfonia nº 7 em mi maior 

Oficina de Produção de Storyboard gratuita

David Ribeiro dirige nos dias 28, 29 e 30 de novembro uma Oficina Gratuita de Storyboard, viabilizada através de uma parceria entre POIESIS / Oficinas Culturais e Prefeitura Municipal.   

São 20 vagas a interessados a partir dos 14 anos, e será realizada no Teatro Estação das Artes, sempre das 18 às 22h00 nos três dias.

STORYBOARD

Na elaboração de um filme, muitos desconhecem o que é um Storyboard. Este ‘desenho de cena’ é essencial para guiar o diretor e toda sua equipe de forma que todos entendam qual a composição do plano a ser gravado na cena e como produzí-lo. Esta oficina busca trazer entendimento sobre como funciona o processo de criação de um Storyboard e realizar atividades práticas, permitindo ao participante trabalhar o conceito de como olhar para o filme e enxerga-lo com um enfoque diferente, trazendo inovação e sensibilidade para a tela de cinema e para suas futuras produções. 

E não é necessário saber desenhar pra participar da oficina. As inscrições, gratuitas, devem ser realizada no Departamento de Cultura, no Largo da Estação.

 

OFICINEIRO

David Ribeiro é quadrinista e bacharel em cinematografia pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). Já roteirizou e dirigiu vários curtas em 16mm e foi diretor, apresentador e roteirista do programa de cinema ‘Cineclaquete’ durante 6 anos pela TV União.  Em 2014 dirigiu e produziu o filme ‘Malgrado’ na região de São João da Boa vista, que é adaptação de um conto francês, e roteirizou e dirigiu, em 2018 um documentário sobre a poeta sanjoanense Orides Fontela. 

“Amor Profano” retrata embate entre a dúvida e a fé

Foto Priscila Prade/Divulgação

CRÍTICA TEATRAL

Tarcilio de Souza Barros

   Dramaturgo israelense Motti Lerner em Amor Profano analisa a relação entre a dúvida e a fé, o agnosticismo e a heresia, mas acima de tudo, discorre sobre o amor.

   Em cena Vivianne Pasmanter na personagem Hannah e Marcelo Airoldi como Zvi, interpretam um casal que vive uma instigante história de amor. Um triângulo amoroso no qual Deus surge como terceiro protagonista.

   Hannah e Zvi se reencontram pela primeira vez após 20 anos do seu traumático divórcio. Ambos foram criados numa comunidade ultra-ortodoxa judaica em Jerusalém. O casamento acabou quando Zvi, em uma crise de fé, resolveu abandonar as leis religiosas e seguir uma vida secular em Tel Aviv.

   Sobrevindo o reencontro, os dois tiveram que finalmente confrontar o amor, a fé, suas escolhas e seus temores mais profundos. O despertar da paixão, do desejo assoma em convulsão entre os dois; nesse momento o autor coloca para o espectador a questão de ser possível o amor superar a fé e as diferenças religiosas?

   Na história do teatro há muitas polêmicas, e uma das razões para isso tem a ver com o fato de que a arte, raramente é uma equanimidade. Uma peça teatral do nível de Amor Profano provoca discordâncias e discussões saudáveis, mesmo que desagradáveis.

   Dois atores de categoria como Marcello Airoldi e Vivianne Pasmater descrevem valores morais para espectadores ávidos para concluírem do cumprimento da lei moral, ou da dissolução da moralidade.

   Em cena num duelo de representação Hannah e Zvi exercem seu papel de profunda dramaticidade, envoltos em seus determinados pontos de vista. Desde o princípio o espectador se inclina à favor de Hannah que em nenhum momento de sua vida renuncia ao cumprimento do Torá, mesma submetida ao sacrifício existencial. Svi afastado das leis milenares da religião judaica, e descrente de Deus, se determinou à matéria, envolvido em dúvidas insolúveis.

   Cena final um primor da arte teatral, após Hannah expôr à Zvi suas intenções de justa união matrimonial, e este não aceitar, pela mesma porta que Zvi entrou em sua casa pela primeira vez, Hannah sai silenciosamente. Encerra-se um ciclo de vida. Hannah para a luz da liberdade, Zvi para as sombras da solidão.

   Com admiráveis interpretações Marcello Airoldi e Vivianne Pasmanter elevam a cena teatral à um patamar gigantesco.

   Motti Lerner, com diálogos curtos, de maneira percuciente reflete sobre a complexidade do ser nascido nesse intrigante conflito do casal que perpassa na incomunicabilidade das relações humanas que na atualidade afetam o mundo contemporâneo.

   Amor Perfeito com direção segura de Einat Falbel compondo dois bons atores à trama prende à atenção do espectador num espetáculo raramente levado à cena com esse tema.

   Trilha sonora composta pela cantora Fortuna, cenários e figurinos de Zé Henrique de Paula, são admiráveis numa edição filmada, exibindo cenas de Jerusalém e do Muro das Lamentações. Incidental iluminação de Yuri Cumer sustentam com brilho a encenação.

   

Serviço ao leitor:

Amor Profano

Texto: Motti Lerner

Direção: Einat Falbel

Onde: Teatro VIVO (274 lugares)

Av. Dr. Chucri Zaidan, 2.460 - Morumbi

Hor.:Sextaàs 20h/Sáb. 21h/Dom. 19h.

Quanto:SextaR$50 -Sáb. eDom. R$70

Duração: 80 minutos - Gênero: Drama: 

Uma produção Morente Forte

Avaliação: Excelente

Até: 09/12

“Cavaco e sua Pulga Amestrada” – teatro na Praça Benedito Galli

No próximo sábado, dia 24 de novembro, o Circuito Cultural Paulista contempla mais uma peça de teatro para São João da Boa Vista. O público vai poder assistir, no Anfiteatro da Praça Benedito Galli, no Jardim Nova República, às 17h00,  a peça “Cavaco e sua Pulga Amestrada”, na interpretação da Caravana Tapioca. Com um jogo sutil de interação e improvisação, o espetáculo transporta o público para o universo clássico e imaginário do circo de pulgas: Maria é a pulga adestrada, que chega de paraquedas, canta, faz música com panelas, cospe fogo, doma uma fera, e ainda é lançada por um canhão no espaço sideral, entre outras habilidades. E o palhaço Cavaco, é o excêntrico domador que faz a costura dos números com música ao vivo, malabarismo, magia e comicidade com um estilo brincante do artista.

CARAVANA TAPIOCA

Fundada em Recife, Pernambuco, a Companhia Caravana Tapioca já pisou em palcos e picadeiros de todo o Brasil. O grupo desenvolve uma pesquisa da arte circense na rua como forma de democratização e formação de plateia, que também se estende a outras atividades, como oficinas e cursos,

SERVIÇO:

Dia 24 de novembro, sábado, 17h00.

“CAVACO E SUA PULGA ADESTRADA”, com a Cia. Caravana Tapioca.

Elenco: Anderson Machado.

Onde: Anfiteatro da Praça Benedito Galli – Jardim Nova República

Ingresso: Gratuito.

Classificação Livre.

“A Mágica Carruagem de Inácio” é a peça teatral de novembro da Cia Parafernália


 

A Cia de Teatro Parafernália, com patrocínio da Renovias através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), realiza em novembro mais seis apresentações da nova peça teatralA Mágica Carruagem de Inácio,que tem como com foco em sensibilizar as crianças sobre os direitos iguais a todos, bem como aborta a acessibilidade de locomoção e respeito às diversidades. O espetáculo tem texto de Viviane Casteliani e direção de Alexandre Souzah. O elenco é formado pelos atores Gabriely Simoso, Guilherme Santos e Rodrigo Rocha.

As encenações acontecerão em seis cidades da região, e em São João da Boa Vista será no dia 21 de novembro, na EMEB Luiza de Lima Teixeira, às 10h00.

A peça conta a história da menina Ângela, que adora ser chamada por seu apelido – Nina, e é uma criança cheia de energia e muita criatividade. Ângela adora os relatos que os livros trazem. Adora tanto, que também escreve suas próprias histórias, sempre com muita imaginação. Aliás, imaginar é, sem dúvida, a brincadeira favorita de Nina. Ela tem também um grande amigo – o melhor do mundo, Flay, que é imaginário. Porém, Flay anda um pouco enciumado, pois Nina está muito envolvida com o personagem principal de sua mais recente história. O ciúme não é à toa. Nina está escrevendo sobre o menino Inácio, que se tornou seu grande amigo. Inácio é um menino cheio de vida e adora viver e brincar. No entanto, sua deficiência física o impedia de viver plenamente, até o dia em que Inácio ganhou a sua carruagem mágica e, assim, pode mostrar toda sua força e fazer a diferença.

“Num Lago Dourado” aborda temas universais

   Tema de um filme clássico, Num Lago Dourado estrelado por Henry Fonda e Katharina Hepburn, na versão teatral, ora em cartaz, conta a história de Norman Thayer (Ary Fontoura), um professor aposentado que preste a completar 80 anos, vai com sua esposa Ethel Thayer (Cléo Ventura) passar as férias em sua casa de verão às margens do paradisíaco "Lago Dourado", onde a única visita que recebem é a do carteiro Charlie (Fabian Augusto).

   Depois de uns dias chega Chelsea (Tatiana de Marca), a filha do casal, que sempre teve uma relação muito tensa com o pai, em companhia de seu futuro marido Bill (André Carolli) e de seu enteado Billy Ray (Lucas Abdo).

   Inicialmente, Norman se incomoda com a presença do jovem, mas em pouco tempo, o garoto se torna o filho que ele nunca teve.

   Com esses ingredientes Num Lago Dourado expõe que além de abordar o amor na terceira idade, ressalta a importância dos valores familiares, a redescoberta do amor entre o pai e filha, a busca pelo diálogo e pelo entendimento, o saber ouvir e ser ouvido. O garoto tem o condão de reunir a família numa grande amizade.

   Esse o "plot" que vamos perceber na peça. 

   Elias Andreato consagrado e veterano ator dos palcos brasileiros dirige à perfeição essa peça teatral. Marcação harmônica entre atores. Extrai a oscilação entre a comoção e a comédia, o riso franco dos intérpretes, o gestual aplicado por cada ator à narrativa, que prende à atenção do espectador ávido por uma consagrada peça teatral.

   O excelente texto de autoria de Ernst Thompson foi burilado por Célia Regina Forte resultando numa caprichada encenação.

   Cenário de Marco Lima mostra uma sala de uma casa burguesa americana com todo os trastes típicos, iluminação de Wagner Freire, e figurinos de Fause Haten sustentam com brilho a notável performance teatral.

   Por sua vez a direção segura de Elias Andreato dosa de leveza harmônica o elenco  com o texto, fazendo dessa peça a surpresa cênica do ano.

Serviço:

Peça teatral: Num Lago Dourado

Dramaturgo: Ernst Thompson

Direção: Elias Andreato

Versão: Célia Regina Forte

Onde: Teatro Novo (500 lugares)

Rua Domingos de Moraes, 348 - Vila Mariana

Hor. Sexta e Sáb. às 21 horas/Dom às 18 horas

Quanto: Sexta R$ 70/Sáb e Dom. R$ 80

Duração:90 min. - Gênero: Comédia romântica

Avaliação: Excelente

Até 16/12

 

Musical Circense no Theatro Municipal


Neste domingo, 11 de novembro, às 17h00, o público vai assistir um Musical Circense que leva o titulo de “Respeitável Público!!!”

O espetáculo é iniciativa da Escola Rehder Eventos & Música, dirigido por Priscila Rehder, formada em Letras (Unifeob), Pedagogia (Unimes) e pós-graduada em Regência Coral e Educação Musical (Unasp), que há 16 anos realiza cerimônias de casamentos com o Grupo Musical Rehder Eventos.

A escola foi inaugurada em janeiro de 2017 para atender crianças, adolescentes e adultos nos cursos de Musicalização e Canto Popular.

Anualmente Priscila Rehder promove dois eventos públicos envolvendo seus alunos e convidados. No primeiro semestre uma Apresentação Pedagógica, e no segundo, uma Apresentação Artística que neste ano tem como tema O Circo.

Em “Respeitável Público!!!”, os diversos personagens que estarão no palco do Theatro Municipal na tarde de domingo para representar personagens do circo, entre eles: o apresentador, o palhaço, a equilibrista, o malabarista, a bailarina, os domadores, a banda circense e muito mais. Quem comparecer ao espetáculo poderá assistir bebês e crianças à partir de 8 meses demonstrando suas habilidades musicais, cantadas e/ou cantadas, além da interpretação das alunas de canto, com um repertório todo circense.

O espetáculo terá ainda convidados especiais, como Cacá Leal (ator), Luiz Braido (guitarrista), Nestor Alves (violonista), Augusto Moreti (baterista) e o Grupo Garra do professor e dançarino Agenor Adriano.

O ingresso – antecipado ou na bilheteria – é de R$ 10,00 (preço único).

Musical Circense no Theatro Municipal


Neste domingo, 11 de novembro, às 17h00, o público vai assistir um Musical Circense que leva o titulo de “Respeitável Público!!!”

O espetáculo é iniciativa da Escola Rehder Eventos & Música, dirigido por Priscila Rehder, formada em Letras (Unifeob), Pedagogia (Unimes) e pós-graduada em Regência Coral e Educação Musical (Unasp), que há 16 anos realiza cerimônias de casamentos com o Grupo Musical Rehder Eventos.

A escola foi inaugurada em janeiro de 2017 para atender crianças, adolescentes e adultos nos cursos de Musicalização e Canto Popular.

Anualmente Priscila Rehder promove dois eventos públicos envolvendo seus alunos e convidados. No primeiro semestre uma Apresentação Pedagógica, e no segundo, uma Apresentação Artística que neste ano tem como tema O Circo.

Em “Respeitável Público!!!”, os diversos personagens que estarão no palco do Theatro Municipal na tarde de domingo para representar personagens do circo, entre eles: o apresentador, o palhaço, a equilibrista, o malabarista, a bailarina, os domadores, a banda circense e muito mais. Quem comparecer ao espetáculo poderá assistir bebês e crianças à partir de 8 meses demonstrando suas habilidades musicais, cantadas e/ou cantadas, além da interpretação das alunas de canto, com um repertório todo circense.

O espetáculo terá ainda convidados especiais, como Cacá Leal (ator), Luiz Braido (guitarrista), Nestor Alves (violonista), Augusto Moreti (baterista) e o Grupo Garra do professor e dançarino Agenor Adriano.

O ingresso – antecipado ou na bilheteria – é de R$ 10,00 (preço único).