Sex12132019

Last update07:53:46 PM

 


Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Jorge Pardo instala ambiente interativo no Octógono da Pinacoteca

Primeira exposição no Brasil de um dos mais importantes artistas da atualidade


Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, apresenta, de 
7 de dezembrode 2019 a2 de março de 2020, a exposiçãoJ orge Pardo: Flamboyant, que ocupa o Octógono do edifício Pina Luz. Com curadoria de Jochen Volz, diretor-geral do museu, a mostra apresenta uma instalação interativa inédita composta de 14 peças que convida o público a experimentar um momento de fruição e de contemplação. Considerado um dos mais importantes artistas da atualidade, o cubano vem utilizando-se das linguagens do desenho e da escultura a fim de explorar os limites entre a arte, o design e os espaços de convivência.

Para o Octógono da Pinacoteca, Pardo desenvolve um “espaço de estar” composto de um tapete redondo listrado de amarelo, de cobre e de laranja, treze luminárias e de sete cadeiras de balanço, todos desenhados e fabricados por ele. O conjunto propõe evocar uma experiência familiar à do descanso sob o pé de uma árvore, convidando o visitante a desfrutar das frondosas peças que, assim como o flamboyant, exalam uma beleza transitória.

Concebidas digitalmente, compostas de centenas de pedaços de plástico reciclado, de aço e de alumínio, cortadas a laser e finalizadas à mão pelo estúdio do artista, as luminárias estão penduradas em uma malha de cabos de aço rebaixada no espaço do Octógono. Seus efeitos serão revelados somente no espaço. "Gosto de trabalhar dessa maneira", comenta Pardo a respeito da técnica digital que permite criar arranjos complexos. "Você não sabe como será até acender a luz."

A composição do ambiente homenageia a pinturaThe Painter´s Studio [O ateliê do pintor], 1855, de Gustave Courbet. Tal como o artista francês concebeu aquela obra como espécie de alegoria de seu tempo e em referência a diversos signos de seu universo de influências (figuras da sociedade, a modelo nua como referência à academia, entre outras), o cubano presta sua própria homenagem ao celebrado pintor realista, transformando algumas das figuras de sua obra em ornamentos para as cadeiras. “Essa imagem de Courbet me chamou atenção porque evidencia uma negligência organizacional na qual a profundidade de campo é inexistente, revelando um ar de inacabado. O que me inspira a criar uma atmosfera na qual há um balançar em uma boa cadeira sob uma bela luz”, reflete o artista.



SERVIÇO
Jorge Pardo: Flamboyant
Curadoria de Jochen Volz
Abertura:
7 de dezembrode 2019,sábado, às 11h
Visitação: de
7 de dezembrode 2019 a2 de março de 2020
De
quartaasegunda, das 10h às 17h30 -- com permanência até as 18h
Pinacoteca de São Paulo:
Edifício Pina Luz
Praça da Luz 2, São Paulo, SP -- 1º andar -- Octógono
Ingressos: R$ 10,00 (entrada); R$ 5,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha)
Menores de 10 anos e maiores de 60 anos são isentos de pagamento.
Aos sábados, a entrada da Pina é gratuita para todos.

”Escola do Rock”, uma das mais espetaculares produções da Broadway chega ao Brasil


“Escola do Rock”, baseado no filme da Paramount escrito por Mike Stevens, com libreto de Julian Fellowes, músicas do conhecido compositor Sir Andrew Looyd Webeer, chegou ao Brasil. A montagem brasileira é dirigida por Mariano Detry que elaborou um projeto cênico inédito em um musical encantador. Este projeto trouxe uma arrojada cenografia e figurinos desenvolvidos para o Brasil pela figurinista Anna Louizes de Nova York, com pinturas de tecido feitas à mão e diversas aplicações de Hotstamps, penas e lantejoulas que embelezaram mais o musical, remetendo às tradicionais escolas americanas e ao mundo Rock.

   Coreografia de Escola do Rock é assinada pelo inglês Philip Thomas, criando um ritmo elétrico. As músicas de Andrew Lloyd Webber estão reproduzidas na formação original da orquestra, como foi realizado em Londres e Nova York. No espetáculo brasileiro o regente Daniel Rocha rege uma orquestra de nove músicos. Elenco consta de 63 atores (42 crianças e 21 adultos).

   Para expor essa magnífica montagem foi escolhido o Teatro Santander, um dos mais modernos palcos do país. Essa grandiosa produção Hit na Broadway e West End mostrou ser um espetáculo teatral emocionante cativando os espectadores.

   A responsabilidade de trazer ao Brasil a Escola do Rock se deve ao Atelier de Cultura que possui uma equipe criativa de nível internacional.

   Hall de entrada do Teatro Santander fervilhava de crianças conduzidas pelos pais para assistirem na matinê dominical o suntuoso espetáculo. Atores do porte de Arthur Borges (Dewey Finn) e Cleto Baccic (Ned Schneebly) que obtiveram sucesso em musicais anteriores com suas experiências são chaves na atual representação conduzindo enorme elenco, constantes de atores adultos e de crianças que sustentam a verve de Escola do Rock.

    Por sua vez raramente visto no palco brasileiro um meticuloso laboratório criado com as crianças resultou numa interpretação do grupo  infantil que assinalam eles como uma das partes principais do espetáculo.

   A peça teatral contou com Cenógrafa/Figurinista Anna Louizos, Philip Michael Thomas na Coreógrafia, incidência de luz por Mike Robertson e demais criativos projetistas que produziram uma encenação à altura da produção realizada na Broadway. Não é espantoso que tenham atingido esse patamar pois nosso pais possui amadurecimento na arte teatral.

    Sucesso total dessa encenação se deve ao diretor Mariano Detry que procedeu a criteriosa seleção de elenco, músicos, sonorização, visagismo e milhares de itens que uma produção deste porte demanda.

    Ao final do espetáculo enorme ovação e prolongados aplausos ao elenco no, que por sua vez em alegre empatia com o público coroavam o sucesso da encenação.

   

Serviço:

Peça teatral: Escola do Rock

Onde: Teatro Santander (1.100 lugares)

Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041

Hor. 5a. e 6a. feira às 20,30 horas/ Sáb. e Dom. às 15 e 19,30

Quanto: De R$75 à R$310

Duração: 120 min. (intervalo de 20 min) - Classificação: Livre - Gênero musical

Até: 15/12

Avaliação: Excelente

Campinas recebe Festival que mistura experiências gastronômicas, cinematograficas e artísticas



O Cinegastroarte acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro com sessões na Sala Prime do Shopping Iguatemi Campinas.

Se muitos apostam que o futuro das salas de cinema será feito de experiências que vão além do ato de sentar em uma poltrona comum e assistir a um filme, o Festival Cinegastroarte Comgás é um excelente exemplo, que fará com quem ainda seja descrente diante dessa previsão possa entender que, na verdade, o futuro já é presente.

Apresentado pelo Ministério da Cidadania, Secretaria Especial da Cultura, Comgás e com realização da NTICS Projetos, o Festival Cinegrastroarte Comgás chega ao seu 3º ano consecutivo unindo três vertentes que têm em comum o poder de despertar no ser humano sentidos que muitas vezes não conseguimos colocar em palavras: cinema, gastronomia e arte.

O Festival proporcionará aos participantes uma experiência sensorial única. Na cidade, as sessões serão realizadas entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro no Shopping Iguatemi Campinas. 

Durante as sessões de cinema, que acontecem na Sala Prime do Cinemark Campinas, o público terá a oportunidade de assistir a uma seleção de filmes com temas que têm a culinária como assunto principal ou como pano de fundo, e saborear menus especiais elaborados por chefs de restaurantes como Rios Restaurante, James Italian, Coco Bambu e Outback. Essa experiência que mistura cinema e gastronomia no conforto de uma sala Prime é chamada de Sensações Emocionantes.

No dia 29/11,os destaques da programação ficam por conta do longa “Madame” (2018), na sessão das 19h, e “Encontro de Casais” (2009), às 21h30. As sessões serão acompanhadas por pratos oferecidos pelo restaurante Coco Bambu. No menu, o camarão é o astro das preparações.

No dia 30, a sessão das 15h30 é especial para a garotada. O filme “A Guerra do Hamburger” (1997) poderá ser acompanhado com menu do Outback trazendo miniburguers com queijo e de sobremesa, milkshake de chocolate. No mesmo dia, na sessão das 19h e 21h30, a chef Giovanna Perrone, do Rios Restaurante, apresenta receitas especiais para acompanhar os longas “A 100 Passos de um Sonho” (2014) e “Pegando Fogo” (2015), respectivamente. Nas preparações, pratos como pancetta em baixa temperatura,boeuf bourguignoncom vegetais orgânicos e pescada cambucu, entre outras. 

No dia 01/12, a primeira sessão do CineGastroArte ComGás inicia às 13h, com o filme “Uma Doce Disputa” (2016), que terá o menu preparado pelo chef Lisandro Lauretti, do Jamies Italian. Ele apresentará creme de alho poró, sanduíche deprosciutto cruSan Danielle, mozzarella de búfala, tomates e pesto genovês, servido com saladinha. Para sobremesa, torta brownie com mousse de chocolate. Na sessão seguinte, às 19h, para acompanhar o filme “Sabor da Paixão” (2000), Lauretti trará caldinho de vongolês ou peixe, moqueca de camarão e peixe e, para finalizar, torta mousse de chocolate com crocante de canela e compota de pimenta dedo de moça.

Paralelamente à experiênciaSensações Emocionantes, será realizado no dia 30 de novembro, das 14h às 17h, também no Shopping Iguatemi Campinas, o Encontre o Sabor. É um evento gratuito aberto ao público com experiências comoaula show com Izabel Alvares, e preparação de receitas e degustação, com os chefs Arthur Sauer e André Otero. Cada aula ou preparação terá duração até 40 minutos.

Os interessados em participar podem conferir a programação completa através do site https://cinegastroarte.com.br/encontre-o-sabor/campinas/

“Alguma coisa assim” na programação do Ponto MIS nesta terça-feira


Neste mês de novembro, o Ponto MIS está exibindo filmes que mostram sexualidades. Conhecer e entender as próprias diferenças e como elas se apresentam na vida em sociedade, a descobertas, os medos, e a superação são os enfoque sobre as abordagens sobre gênero e orientação sexual em diferentes contextos e como o preconceito e os obstáculos são enfrentados por cada narrativa nos filmes que compõem a programação.

Nesta terça-feira, dia 26, com entrada gratuita, a atração é o filme “Alguma coisa assim”, uma produção de 2018 de Brasil e Alemanha. O filme tem duração de 96 minutos e mostraCaio e Mari, dois jovens adultos cujo relacionamento está além de qualquer definição. Ao longo de 10 anos, o enredo transita entre 3 momentos marcantes em que seus desejos estão em conflito e seu relacionamento é posto à prova. Entre São Paulo e Berlim, acompanhamos a transformação das cidades e dos personagens, vivendo as dores e as delícias de uma relação sem rótulos.

Dirigido porMariana Bastose Esmir Filho, o filme tem no elenco André Antunes (Caio) e Caroline Abras (Mari).

O público pode assistir ao filme nesta terça-feira, às 19h30, na Sala Dilo Gianelli do Theatro Municipal, Entrada franca.

"Minha Vida daria um Bolero” se revela um encantador divertimento


Boleros com letras melodramáticas de paixões não correspondidas, amores proibidos servem de fundo para falar da paixão, dos tempos que sensualmente dançava-se de rostos colados. Letras que mencionam relacionamentos difíceis.

“Minha Vida daria um Bolero” com texto de Artur Xéxeo traz humor, dança, música ao vivo. Tem acurada direção de Rubens Camelo e Paulo Denizot que trouxeram à cena dois consumados atores Françoise Forton (Diana) e Fábio Cadôr (Orlando) num brilhante trabalho teatral.

Vendo a peça concluímos das pessoas se apaixonarem sem estarem presentes fisicamente. Diana expõe, ao vivo, pelas ondas da Rádio Mundo o relacionamento que mantém há vinte anos com Orlando. Porém, eles nunca se viram. Só conversavam por e-mail, mensagens de celular e pelo programa de rádio. A partir desse programa Diana usa boleros para dar conselhos à seus ouvintes. Orlando é um professor de dança que busca o programa para se aconselhar e acaba se apaixonando pela voz da apresentadora.

Esse o "plot". Para os apreciadores desse gênero musical que teve seu apogeu no passado o Bolero renasce em todo seu esplendor de letras e ritmos sensuais. Quem não dançou coladinho à namorada ouvindo Gregorio Barrios, Maria Luiza Landim, Trio Los Panchos e muitos outros?

Numa representação onde expõe sua imensa habilidade de atriz, aliada à uma cativante formosura feminina Françoise Forton desperta uma notável empatia com o público. Secundada pela habilidade de Fábio Cadôr a dupla se lançou à rara interpretação de categoria insuperável.

Direção impecável de Rubens Camelo e Paulo Denizot em marcação, posicionamento dos atores no palco conduz a performance à agradável surpresa.

Ao final ovação e longos aplausos do público coroaram os atores reconhecendo o valor da representação.

Serviço:

Minha Vida Daria um Bolero

Texto: Artur Xéxeo

Dir. Rubens Camelo e Paulo Denizot

Dir. musical: Itamar Assiere

Onde: Teatro Nair Bello (200 lug.)

Shopping Frei Caneca - R. Frei Caneca, 569

Qto.: R$ 100 (Inteira) R$ 50 (meia)

Hor.: Sáb. 19 e 21 h/ Dom. 18h

Duração: 70 min. - Gênero: Comédia

Avaliação: Excelente

Escola da Diretoria de Ensino de São João da Boa Vista na final do concurso ‘Vozes pela Igualdade de Gênero’


Até estaquarta-feira (2) é possível participar da votação online que vai eleger a composição vencedora do concurso musical “Vozes pela Igualdade de Gênero” realizado pela Secretaria Estadual da Educação em parceria com o Ministério Público de São Paulo. A música com o maior número de votos será a vencedora e gravada em estúdio profissional. Os autores das dez composições finalistas também vão receber certificados.

Para conferir os vídeos e votar é preciso acessar o portal da Seduc (https://sed.educacao.sp.gov.br/VotacaoOnline/VotacaoIgualdadeGenero2019) informar município e escola ou selecionar a opção “outros”, caso não seja de nenhuma escola. É possível votar mais de uma vez e em diferentes candidatos.

O concurso está em suaquartaedição e visa estimular o debate sobre a violência e respeito à diversidade de gênero entre os jovens e adolescentes. O tema deste ano é “A cor da minha pele dá poder à minha voz!”

Foram aceitas letras e músicas inéditas em qualquer estilo musical, compostas em língua portuguesa e respeitando o tema. As inscrições foram feitas individualmente ou em grupos de até cinco pessoas. As dez músicas que chegaram até a final passaram antes pela seleção da escola, nas Diretorias de Ensino e por último por uma comissão julgadora formada por representantes do Ministério Público, da Secretaria da Educação e da área musical.

Entre as dez finalistas há uma canção inscrita por escola que pertence a Diretoria de Ensino de São João da Boa Vista: Escola Estadual de Tempo Integral Oscar Villares, da cidade de Mococa. A música “Mãe África” é das alunas Marta Luciano Lucas e Lília Luciano Lucas, que tiveram Maria Izabel Franzon como professora orientadora.

As outras nove escolas finalistas pertencem as seguintes Diretorias de Ensino: Bauru, Guaratinguetá, Itapeva, São Paulo (Leste 3), São Carlos, São Vicente e Sertãozinho e São Paulo (Sul 3)

“Califórnia” é o filme em cartaz no Ponto MIS


Neste mês de novembro, o Ponto MIS está exibindo filmes que mostram sexualidades. Conhecer e entender as próprias diferenças e como elas se apresentam na vida em sociedade, a descobertas, os medos, e a superação são os enfoque sobre as abordagens sobre gênero e orientação sexual em diferentes contextos e como o preconceito e os obstáculos são enfrentados por cada narrativa nos filmes que compõem a programação.

Nesta terça-feira, dia 19, a atração é o filme “Califórnia”, às 19h30 com entrada gratuita na Sala Dilo Gianelli, no Theatro Municipal,

O filme de 2015, passa em 1984, e mostra Estela em conturbada passagem pela adolescência. O sexo, os amores, as amizades; tudo parece muito complicado. Seu tio Carlos é seu maior herói, e a viagem à Califórnia para visitá-lo, seu grande sonho. Mas tudo desaba quando ele volta magro, fraco e doente. Entre crises e descobertas, Estela irá encarar uma realidade que mudará definitivamente sua forma de ver o mundo.

"Califórnia", de Marina Person,  tem no elenco Clara Gallo (Estela), Caio Blat (tio Carlos), Giovanni Gallo (Xande) e Caio Horowicz (JM).

Ponto MIS promove oficina gratuita – “da Ideia ao Roteiro”


No dia 21 de novembro,  o Pontos MIS traz mais uma oficina gratuita para São João da Boa Vista - uma atividade de roteiro para audiovisual- “Da Ideia ao Roteiro”.

A oficina será no Teatro Estação das Artes, das 18 às 22h00,  e oferece 20 vagas  para interessados a partir de 16 anos.

Para quem sempre teve vontade de escrever um roteiro, mas nunca soube ao certo como começar, a oficina “Da ideia ao roteiro” visa desmistificar esse processo, ajudando a ultrapassar obstáculos e possíveis amarras criativas que possam existir. O objetivo é trabalhar as etapas da elaboração de um roteiro cinematográfico de ficção partindo das ideias trazidas pelos próprios participantes, o que permitirá trabalharmos com os diferentes estilos de escrita de cada um. A intenção é provocar a criatividade individual e dar um ponto de partida para que os participantes tenham em mãos todas as ferramentas necessárias para desenvolver suas histórias.

Giuliana Monteiro

A oficineira será  Giuliana Monteiro, roteirista e diretora de filmes, nascida em São Paulo. Formada em Multimeios pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Giuliana trabalhou como produtora durante oito anos antes de dirigir seus primeiros projetos. Em 2011, mudou-se para Nova Iorque com uma bolsa de estudos, para cursar mestrado em roteiro e direção de filmes na faculdade de Nova Iorque. Seu último projeto de curta-metragem, “Eu Não Digo Adeus, Digo Até Logo” teve estreia na 64thBerlinale e viajou por mais de 30 festivais nacionais e internacionais, ganhando diversos prêmios, entre eles o de melhor filme no festival Internacional de Viña del Mar. Atualmente trabalha em seu primeiro projeto de longa metragem, “Estrada para Livramento” que recebeu o prêmio Spike Lee Fund para desenvolvimento.

 As inscrições para a oficina são gratuitas e devem ser realizadas no Departamento de Cultura, localizado no Largo da Estação. Outras informações podem ser obtidas no telefone (19) 3631-0313.

Festival União do Rock acontece no sábado, dia 16, na Praça Joaquim José

Evento reúne as bandas Alt 67, The Black Soundtrack, Jack Bravo e Charangas Old Rock

A 7ª edição do Festival União do Rock, com apoio do Departamento Municipal de Cultura, acontece na tarde do próximosábado,16 de novembro, com o início dos shows às 16h, na Praça Joaquim José (Fonteatro Emílio Casline), Centro de São João da Boa Vista.

Canções nacionais e internacionais de consagrados artistas, assim como obras autorais, estão no repertório das bandas Alt 67, The Black Soundtrack, Jack Bravo e Charangas Old Rock. A previsão é de que as apresentações terminem às 21h30.

Elaborado em 2013, o União do Rock tem a proposta de mostrar a diversidade cultural da região por meio da música e abrir espaço para novos compositores, intérpretes e instrumentistas.

“Embora possua pouco tempo, o festival já se consolidou como um dos principais eventos de música independente da região”, afirma Francisco Malagutti, produtor e publicitário responsável pela organização.

As atrações deste ano foram todas convidadas pela produção do evento. Nas próximas edições, a partir de 2020, a ideia é de que sejam abertas inscrições para que outras bandas possam divulgar o trabalho.