Sab04172021

Last update01:58:07 PM

 

Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Dia Nacional do Livro Infantil: Cinco histórias para divertir e ensinar a criançada

Próximo domingo, 18 de abril, é a data que reforça a importância da produção literária voltada ao público infantojuvenil. Em formas de fábulas, contos, poemas e ficções, as obras infantis ajudam na base da formação dos pequenos novos leitores, expandindo sua percepção do mundo e instigando o gosto pela leitura. Na quarentena, a literatura ganhou um significado ainda mais relevante, permitindo que as crianças viajem em sua imaginação. Para ajudar nesse desenvolvimento de amor pelos livros, especialistas do Clube de Autores, maior plataforma de autopublicação da América Latina, selecionaram cinco títulos, que vão levar um universo de possibilidades criativas e imaginativas aos público infantil, confira:

O Segredo de Kiki, por Israel Foguel

A história narra a amizade entre Kiki, uma gatinha dengosa e vovó Sabrina, que achou a gatinha miando na rua após voltar da padaria e não perdeu tempo e levou ela para casa.

Letrinhas Encantadas, por Christinny Olivier

Por meio destas páginas de contos e versos, os pequenos leitores poderão mergulhar em uma realidade fantástica, onde piratas e seres míticos ganham vida, ocupando cenários e sonhos, estimulando, desde cedo, o essencial hábito da leitura.

Olhos do Coração, por Raquel Gomes Abreu

O livro aborda a história de Lara, uma garota alegre, de boa família, que possui deficiência visual. E pela primeira vez irá à escola, onde terá novas experiências de vida no convívio com outras pessoas.

O Menino que Gostava de Matemática, por Enzo de Abreu e Raquel Gomes

A história infantil fomenta a ideia e contagia a vida da criança que, com o estudo, esforço, apoio da família, consegue conquistar seus sonhos, e também, por meio da leitura, pode ter possibilidades de viajar no mundo da imaginação.

A Carroça de Fogo, por Emiliana Tasso

A narrativa conta a famosa lenda da cidade de Rancharia no interior de São Paulo. Juquinho, um menino esperto acaba tendo que enfrentar seus medos ao se deparar com esse causo do interior paulista.

Musical QUANDO A GENTE AMA

Crédito das fotos: Marcos Gullo

 O musical Quando a gente ama estreia nos dias 19, 20, 21, 27 e 28 de março, às 20h, de forma gratuita e on-line para todo o Brasil. O elenco canta os altos e baixos do amor, a partir do repertório do sambista Arlindo Cruz e parceiros. O público poderá ouvir grandes sucessos como Casal Sem Vergonha, O Show tem que Continuar e O Que é o Amor, entre outros. Baseada na obra do cantor e compositor, a peça foi assistida por mais de 10 mil pessoas ao longo de 6 anos, no Rio de Janeiro. O texto é de João Batista e a produção é de Bruno Mariozz, da Palavra Z. 

O espetáculo quanto será exibido no Canal do Youtube da Palavra Z. A iniciativa tem patrocínio da Lei Aldir Blanc, Governo Federal e Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

O elenco é acompanhado por cinco músicos que animam uma roda de samba em cena. “Quando a gente ama” tem dez histórias curtas cada uma delas relacionada a uma canção do repertório de Arlindo Cruz, a quem o espetáculo é dedicado.

Ficha Técnica: 

Com: Cris Vianna, David Junior, Edio Nunes, Jessica de Souza, Milton Filho, Patricia Costa, Vilma Melo e Wladimir Pinheiro.

Direção Geral: João Batista

Direção Musical: Marcelo Alonso Neves

Direção de Produção: Bruno Mariozz

Produção: Palavra Z Produções Culturais

Serviço: Quando a gente ama

Temporada on-line e gratuita para todo o Brasil: 19, 20, 21, 27 e 28 de março, às 20h, no Canal do Youtube da Palavra Z

Canal do Youtube Palavra Z: www.youtube.com/palavraz

Duração do espetáculo: 90 minutos

Classificação: 14 anos

Netflix bate recorde de indicações ao Oscar

Fotos: 'Soul' Imagem: divulgação/Disney Pixar

 

Como era de se esperar, em ano de cinemas fechados por causa da pandemia, os serviços de streaming brilharam no Oscar 2021. A lista de indicados, revelada hoje, trouxe um recorde de 35 lembranças para produções originais da Netflix. A plataforma bateu com folga o seu melhor desempenho anterior, que ocorreu no Oscar 2020, quando conseguiu 24 indicações. Neste ano, filmes lançados apenas no streaming (sem passagem pelo cinema) puderam concorrer ao prêmio da Academia.

Os títulos mais lembrados da Netflix em 2021 foram "Mank" (10 indicações, líder entre todos os filmes), "Os 7 de Chicago" (seis indicações) e "A Voz Suprema do Blues" (cinco indicações). Este também foi o melhor ano da história do Amazon Prime Video no Oscar. Foram 12 indicações: seis para "O Som do Silêncio" (incluindo melhor filme); três para "Uma Noite em Miami"; duas para "Borat: Fita de Cinema Seguinte"; e uma para o documentário "Time

O bom ano para o streaming ainda se estendeu às primeiras indicações ao Oscar da história do Disney+ e da Apple TV+. A plataforma da Disney emplacou indicações em melhor animação por "Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica" e "Soul" — este último ainda foi lembrado em melhor trilha sonora e melhor som. Já "Mulan" apareceu em melhor figurino e melhores efeitos visuais; e "O Grande Ivan" também recebeu indicação nesta última categoria.

Enquanto isso, a Apple conseguiu nomeações para "Greyhound: Na Mira do Inimigo" (melhor som) e "Wolfwalkers" (melhor animação). Para fechar a conta dos serviços de streaming, o Hulu também entrou na disputa com "The United States vs. Billie Holiday", lembrado em melhor atriz pela performance de Andra Day.

1º Festival Nacional de Contadores de Histórias no Ciberespaço liga Brasil de norte a sul

Cia Ih, Contei! – foto de Fernando Tribino

Se existe um ofício inspirador e potente, este é o do contador de histórias. Afinal, é ele quem dá vida às palavras, às memórias e aos personagens dos contos, poemas, crônicas, parlendas e outros elementos da tradição oral. O Dia do Contador de História foi criado em 1991, na Suécia, com o principal objetivo reunir os contadores e promover a prática em todo mundo.

Para marcar o Dia Nacional do Contador de Histórias, celebrado em 20 de março, 19 profissionais de diferentes regiões do Brasil estarão reunidos no 1º Festival Nacional de Contadores de Histórias no Ciberespaço.

Contemplado pelo ProAC (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo), com recursos da Lei Aldir Blanc, o 1º Festival Nacional de Contadores de Histórias no Ciberespaço terá apresentações transmitidas pelas redes sociais, além de oficinas com conteúdos que desvendam as técnicas e os encantamentos do tema entre os dias 14 e 20 de março. Importante destacar que todos os espetáculos contarão com recursos de acessibilidade, como tradução em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e audiodescrição.

Imagine mergulhar num Brasil carregado de sotaques, mistérios, sabores e aromas. Durante os sete dias de agenda, o internauta poderá conferir uma programação intensa que revisita as identidades regionais de maneira lúdica e poética.

Após o show de abertura “Palavra Tagarela”, sobre tradição oral e elementos do folclore com os artistas Poliana Savegnago, Allan George da Silva, Márcio Bah e Devanir Mille, o público poderá acompanhar 10 apresentações, que reunirão os contadores de histórias Aline Alencar e Auritha Tabajaras (região Nordeste), Joca Monteiro e Joana Chagas (região Norte), Ciro Ferreira e Rosilda Figueiredo (região Centro-oeste), Camila Genaro e Cia “Ih, Contei!” com Elton de Souza Pinheiro, Leandro Pedro da Silva e a fantoche Tifanny MeiaLoka (região Sudeste), Liz Ângela de Almeida e Lucélia Clarindo (região Sul), além de 10 oficinas.

Para encerrar essa agenda caprichada, os artistas Ademir Apparicio Júnior, Fabiana Massi, Andrés Felipe Giraldo e Cimara Gomes Ferreira Fróis apresentam “A História de Maria Dançarina ou A menina que desafiou o demo”.

Programação

14/03 – 14h30: Show de Abertura: Palavra Tagarela
Com Poliana Savegnago, Allan George da Silva, Márcio Bah, Devanir Mille

15/03 – 10h: Histórias Aya
Contadora: Liz Ângela Gonçalves Almeida

15/03 – 14h: História da Mala e da Cachola e o Conto: o couro do pandeiro
Contadores: Lucélia Clarindo e João Carvalho

16/03 – 10h: Cardápio de Lendas Caiçaras
Contadora: Camila Genaro

16/03 – 14h: Histórias para brincar
Contadores: Ih, Contei! (Elton de Souza Pinheiro, Leandro Pedro da Silva e a fantoche Tifanny MeiaLoka)

17/03 – 10h: O Afeto das Histórias
Contador: Ciro Ferreira

17/03 – 14h: A fruta desconhecida
Contadora: Rosilda Figueiredo

18/03 – 10h: Ê boi! A lenda do bumba meu boi.
Contadora: Cia. Forrobodó de Teatro (Aline Alencar)

18/03 – 14h: A onça pintada que nasceu no pescoço da kunhataim.
Contadora: Auritha Tabajara

19/03- 10h: Atividade: A mulher que fazia chover
Contadora: Joana Chagas

19/03 – 14h: Histórias da Encantaria Amazônica
Contador: Joca Monteiro

20/03 – 14h Encerramento: “A história de Maria Dançarina ou A menina que desafiou o demo”
Com: Tem História na linh@! (Ademir Apparicio Júnior, Fabiana Massi, Andrés Felipe Giraldo e Cimara Gomes Ferreira Fróis)

PROGRAMAÇÃO DE OFICINAS

15/03 – 15h: Oficina de Contos Afro
Ministrante: Liz Ângela de Almeida - Duração: 2h
Público Alvo: Oficina para adultos – maiores de 18 anos – Acadêmicos de pedagogia, Acadêmicos de letras, Magistério, formação de docentes.

15/03 -19h: A leitura em verso e Prosa
Ministrante: Lucélia Clarindo - Duração: 2h
Público alvo: Pessoas interessadas na arte de contar as próprias histórias, em verso e prosas, a partir dos 18 anos.

16/03 – 15h: Fios da Narrativa – os recursos internos para contar histórias em diversos espaços
Ministrante: Camila Genaro - Duração: 3h
Público Alvo: Professores, Psicólogos, cuidadores, educadores, Pais, Mães, Avós, Avôs e outros Responsáveis por Crianças que queiram 
ter um vínculo afetivo e duradouro através das histórias, com idade superior a 18 anos.

16/03 – 19h: Arte de Criar Brinquedos e Contar Histórias
Ministrante: Ih, Contei! - Duração: 2h
Público: livre

17/03 – 15h: Histórias na Sala de Aula
Ministrante: Ciro Ferreira - Duração: 2h
Público Alvo: Professores, bibliotecários, brincantes, artistas, fazedores de danuras e pessoas interessadas na arte da oralidade

17/03 – 19h: O brincante que mora em mim
Ministrante: Rosilda Figueiredo
Público Alvo: Contadores de Histórias, atores, professores, brincantes e interessados na arte da oralidade.

18/03 – 15h: A arte de contar histórias
Ministrante: Aline Alencar - Duração: 2h
Público Alvo: Contadores de Histórias, atores, estudantes de teatro, professores e interessados na arte de contar histórias.

18/03 – 19h: O Grafismo Indígena
Ministrante: Auritha Tabajaras – Duração: 2h
Público Alvo: Contadores de Histórias, atores, estudantes de teatro, professores e interessados na arte de contar histórias.

19/03 – 15h: Nós, As Matintas
Ministrante: Joana Chagas - Duração: 2h30
Público Alvo: Mulheres a partir de 16 anos (estudantes, mães, avós, professoras, contadoras de histórias e mediadoras de histórias).

19/03 -19h: A Interpretação para a Arte de Contar histórias
Ministrante: Joca Monteiro - Duração: 3h
Público principal: Contadores de histórias, professores e agentes de leitura (a partir de 12 anos)

Para acompanhar:
- YouTube: bit.ly/festcontahistorias
- Facebook: @festcontahistorias
- Instagram: @festcontahistorias

BARDO SEM FILTRO

Valorizar a comédia escondida por trás das cenas contidas em quatro peças de William Shakespeare foi o desafio imposto a si mesma pela diretora Eliete Gigaarini ao montar Bardo sem FiltroCom a proposta de aproximar o público destes textos de William Shakespeare - Trabalhos de Amor PerdidoA Megera DomadaBem Está o que Bem Acaba e Muito Barulho Por Nada –, a diretora, que já encenara com o grupo as peças no teatro, escolheu as cenas que melhor se adequariam ao ambiente digital. “Como as peças de Shakespeare tem uma trama bem elaborada por trás, com personagens bem construídos, e algum momento trágico e dramático, eu trouxe para o Bardo Sem Filtro as passagens de mais humor. Mesmo a cena dramática do diálogo entre Beatriz e Benedito, de Muito Barulho por Nada, também tem uma pegada cômica”, comenta Eliete.

Como os atores interpretam de suas casas, a diretora optou por lançar mão do chroma key, recurso da plataforma de streaming que permite a fusão de imagens. Para tirar maior proveito e investir na qualidade técnica, o grupo fez pesquisa na plataforma digital. “Trabalhamos a cena do ponto de vista de cada ator. Para que cada um contracene, de forma imaginária, com o outro, e que o público tenha a nítida impressão de que ambos estão no mesmo espaço”, explica

Sinopse

Três cenas de Trabalhos de Amor Perdidos abrem Bardo sem Filtro. O Rei de Navarra, Ferdinando, decreta um édito à toda população: os homens, para nutrirem seus conhecimentos em todos os âmbitos, serão isolados por três anos com abstinência de sono, comida e do contato com mulheres. No caso de perjúrio o homem poderia perder a língua. Dom Adriano de Armado está apaixonado por Jaqueneta e jurou que faria os três anos de abstinência. Depois de um breve encontro com Jaqueneta para marcar uma visita às escondidas, desabafa sua paixão e seu receio de ser descoberto para seu soldado Cisco. A segunda peça é A Megera Domada. A guerra dos sexos de Petrúquio e Catarina. Catarina e Bianca brigam pela preferência e afeto do pai, Batista. Catarina conhece seu pretendente, Petrúquio. O servo de Petrúquio, Grúmio, tenta controlar a ira de Catarina que está há dias sem comer e dormir por ordem de seu marido Petrúchio.

Na terceira esquete, a cena é inspirada na peça Bem Está O Que Bem Acaba. Helena, a protagonista da trama, não é nobre porém é filha de um médico muito reconhecido na corte francesa e herdou todos os conhecimentos de medicina do pai. Para agarrar seu apaixonado, Bertran, faz um acordo com o Rei oferecendo a cura para sua enfermidade em troca de ela própria escolher seu marido. A cena escolhida é de Helena com o melhor amigo de Bertran, Parolles. Helena e Parolles debatem sobre uma questão até hoje objeto de polêmicas: a virgindade. A última peça selecionada é de Muito Barulho por Nada. Uma comédia que também envolve guerra dos sexos, porém discute-se profundamente sobre o julgamento quanto à conduta social feminina. Beatriz e Benedito encontram-se na Igreja após a prima de Beatriz, Hero, ter sido humilhada e difamada no dia do casamento. Na foto o ator Renan Villas que interpreta  Petruquio (A Megera Domada). Imagem de  Renan Villas de Nóvoa.

Ficha Técnica

BARDO SEM FILTRO – Audiovisual ao vivo inspirado nas obras de William Shakespeare - A Megera DomadaTrabalhos de Amor PerdidosMuito Barulho Por Nada e Bem Está Que Bem Acaba.

Dias 6 e 7 de março; 13 e 14 março, 20 e 21 de Março , 27 e 28 de março.

Encenado ao vivo com atores em suas casas. Sábados e domingos às 20 horas. 

Ingressos a partir de 12,50. Transmissão online pela plataforma Sympla.

Link para compra - https://beta.sympla.com.br/eventos?s=Bardo&tab=eventos

Orquestra Vereda Cultural define datas para Concertos Didáticos

Estão definidas as datas das seis apresentações que a Vereda Cultural irá realizar nas cidades de São João da Boa Vista, Aguaí, Águas da Prata e Engenheiro Coelho, com o espetáculo musical online “Concertos Didáticos – Conhecendo uma Orquestra de Câmara”. Este projeto é contemplado pelo PROAC – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo, através dos recursos da Lei Aldir Blanc e realização do Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

O evento é destinado a crianças e adolescentes, mas por conta da pandemia do Coronavírus e na dependência da classificação do Plano São Paulo que a região atravessar nos dias das apresentações, a plateia terá número reduzido – ou não haverá público. De qualquer forma, os eventos terão transmissão digital através das redes sociais da Vereda Cultural (Youtube e Facebook), após as apresentações.

O espetáculo conta com a presença de diversos músicos da região, nos instrumentos violino, violoncelo, viola, contrabaixo, piano e flauta. Um dos diferenciais das apresentações didáticas é a participação do compositor Vivaldi, que neste ano será interpretado pelo ator João Guilherme Pellegrini, o ‘Poke’, professor de artes da escola COC São João e atual diretor de Cultura da Prefeitura de São João da Boa Vista.

A direção artística da Orquestra é do maestro André Russo.

SÃO JOÃO

Em São João a apresentação está marcada para o dia 26 de fevereiro, às 15h00, para um público limitado na Cidade das Artes (antiga Ceagesp) no Bairro do São Benedito; e no dia 4 de março, uma apresentação digital às 15h00 pelas redes sociais.

No dia 28 de fevereiro a apresentação será na Fazenda Alegre; e no dia 7 de março, às 15h00, a apresentação digital.

No dia 12 de março, às 15h00, a apresentação será novamente na Cidade das Artes no Bairro São Benedito, para um público limitado; e a apresentação digital está marcada para o dia 17 de março, às 15h00.

ÁGUAS DA PRATA E AGUAÍ

Na vizinha Águas da Prata o evento será no dia 21 de fevereiro, às 15h00, no Espaço Cultural Boca do Leão, para um público limitado; e no dia 22 de fevereiro às 15h00, a apresentação digital.

Em Aguaí o evento acontece no Cine Esmeralda no dia 25 de fevereiro, sem público, mas com apresentação digital.

AULAS

A Academia de Música Vereda Cultural segue com as inscrições abertas para as aulas de educação musical e canto coral para crianças, adolescentes e adultos de São João da Boa Vista e Aguaí, de forma gratuita. O início será na primeira semana de março.

Em São João, as aulas ocorrerão no Oratório Padre Donizetti, no bairro Santo Antônio. Em Aguaí, será na Escola Municipal Luiz Carlos Simon, no Jardim Aeroporto. Apesar dos locais, pessoas de qualquer bairro poderão participar.

'Sunset dos Catioros Ao Vivo na Serra da Mantiqueira' estreia neste domingo

O ‘Sunset dos Catioros Ao Vivo na Serra da Mantiqueira’ estreia neste domingo (17), às 20h, no canal do Youtube Nego Moura Oficial, propondo um registro único com repertório selecionado que mescla músicas autorais do grupo com canções de artistas da nova cena da música brasileira. Viabilizada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Poços de Caldas a proposta é uma produção conjunta da Carvalho Agência Cultural e Camará Records, com apoio institucional da Secretaria Municipal de Cultura e incentivo da empresa Ouro Mix Concreto Usinado. Inicialmente seria realizada em espaços públicos no ano de 2020, entretanto, devido a pandemia da Covid-19, foi adaptada para conteúdo digital. 

A proposta é apresentada por Nego Moura e sua banda Os Catioros, foi gravada no espaço cultural Vale Santo Mato com cenário de pôr do sol nas montanhas da Serra da Mantiqueira, e tem como objetivo proporcionar uma experiência diferenciada para amantes de brasilidades. 

Nego Moura e os Catioros estão em processo de produção do disco ‘Camará’, que será lançado no primeiro semestre de 2021, com produção musical de Fubá e Breno Oliani. Uma série de conteúdos estão sendo produzidos visando se consolidarem no cenário independente. 

O grupo explora gêneros regionais como o maracatu e o samba, enquanto também apresentam uma estética sonora mais moderna, com a mistura de novos elementos eletrônicos e do hip hop, onde o resultado é um ritmo pulsante com letras inspiradas na simplicidade, alegria e força do povo brasileiro para (sobre)viver, além de valorizar a diversidade religiosa, com exaltação a Orixás, remetendo às origens da cultura afro-brasileira, de forma atrativa a todas as pessoas. 

SERVIÇO 

Nego Moura e os Catioros ao Vivo na Serra da Mantiqueira

Dia: domingo17 de janeiro de 2021

Horário: 20h 

YouTube: https://www.youtube.com/negomouraoficial

FESTIVAL TENDAL É CIRCO


Celebrando a diversidade das linguagens artísticas compreendidas pelo circo, o Festival Tendal é Circo retorna no próximo dia 18 e segue até o dia 20 de dezembro com apresentações de espetáculos circenses online. Sim, respeitável público: palhaços, malabaristas, mágicos e contorcionistas entram em cena para levar ao público um pouco de alegria nesta quarentena, e o melhor, todos podem acompanhar de seu smartphone, computador ou Smart TV gratuitamente.

Para compor a programação foram convidadas companhias do circo tradicional, de rua e contemporâneas, que apresentam um total de sete espetáculos. O festival é organizado pelo Tendal da Lapa, que se destaca como um polo de produção artística, em especial circense, sendo considerado um ponto de referência na cidade de São Paulo por hoje abrigar o CAQ-LC (Centro de Qualificação de Apoio a Linguagem Circense).  

Todas as apresentações serão transmitidas nos canais https://facebook.com/cctendaldalapa e https://facebook.comcaqlcsp

Programação

18/12/2020 – SEXTA-FEIRA

19h00 – Abertura Oficial com o Secretário de Cultura Hugo Possolo e Circo Zanni
19h30 às 20h30 Espetáculo Circo Zanni

Um grande espetáculo de variedades que reúne o que há de melhor dos artistas que integram a companhia, formada por diferentes grupos circenses atuantes na cidade de São Paulo (La Mínima, Circo Amarillo, Artinerant's e Cia Barnabô).

19/12/2020 – SÁBADO
20h00 às 20h45 Espetáculo Cabaré dos Pretos 

20/12/2020 – DOMINGO
10h00 às 11h00 Espetáculo A La Carte - La Mínima

O espetáculo faz uma homenagem à arte do palhaço, apresentando dois personagens em um mesmo espaço, onde a realidade e a fantasia se misturam. Sem um texto como base da narrativa, o roteiro tem como base a magia, as técnicas circenses e os números musicais.

12h30 às 13h30 Espetáculo Circo Show – CircoShow

O espetáculo apresenta artistas de nível internacional em números de malabares, equilíbrio, mágica, palhaçaria, contorcionista e tecido aéreo.

15h00 às 16h00 Espetáculo Circolando - Los Circo Los  

Dirigido por Ésio Magalhães, o espetáculo propõe algumas combinações entre três virtuoses das artes circenses: malabarismo, acrobacia e a comicidade dos palhaços de picadeiro. O público saboreia diversas sensações como suspense, comédia, romance e o encanto, típico do cenário de circo.

17h30 às 18h30 Espetáculo O Circo Fubanguinho -Trupe Lona Preta

Inspirado nas charangas, farsas e bufonarias, o espetáculo traz à cena a história de dois palhaços que, apesar de expulsos do picadeiro e demitidos da trupe pelo dono do circo, tentam de todas as maneiras reconquistar seus empregos.

20h00 às 21h00 Espetáculo Magnific - Arena Circus

A trupe apresenta números clássicos do mundo do circo com toque de luxo e modernidade na sua produção e coreografias. Em cena, personagens e números clássicos do mundo do circo, como o equilibrista, malabaristas, perchista, palhaços, acrobatas e contorcionistas.

Orquestra de Violas tem apresentação com público neste sábado

Apenas 80 pessoas poderão assistir ao espetáculo musical

A Orquestra de Violas de São João da Boa Vista faz uma apresentação especial na noite deste sábado12 de dezembro, às 20h30, no Teatro Professora Lucila Martarello Astolfo, localizado na Cidade das Artes: Parque Urbano Municipal Espaço Jovem Osmar Garcia.

O show reúne a participação de 22 violeiros, sob a regência do maestro e professor Luís Filipini. Formada em maio de 2017, a orquestra tem um repertório marcante com obras tradicionais como “Romaria”, “Carro de Boi”, “Pagode em Brasília”, “Rio de Lágrimas”, entre outras canções enquadradas no estilo sertanejo raiz.

A abertura desta exibição terá a execução do Hino de São João, obra de autoria de Lucila Martarello Astolfo e Fábio Noronha.

Segundo o Departamento Municipal de Cultura, em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus, apenas 80 pessoas (40% da capacidade do Teatro da Cidade das Artes) poderão acompanhar o espetáculo musical, com base nos protocolos do Plano São Paulo. O acesso dos espectadores será permitido por ordem de chegada.

A Cidade das Artes está situada à rua Santo Antonio (antigas Ceagesp).