Sab06232018

Last update09:58:13 AM

 


Back Você está aqui: Home Cultura “João Negrinho” e “Chão Bruto” em exibição no Cine Beloca e Ponto MIS

Cultura

“João Negrinho” e “Chão Bruto” em exibição no Cine Beloca e Ponto MIS


Em comemoração do aniversário de São João da Boa Vista e da doação dos Cartazes originas deJoão Negrinho e Chão Bruto, em Junho, o Cineclube Beloca e o Pontos MIS realizam uma Mostra com produções de cinema realizadas na região de São João da Boa Vista, trazendo tanto produções recentes, de jovens cineastas, quanto clássicas, filmados pelo patrono da sala,Dilo Giannelli.

Todas as sessões são gratuitas e começam às 19h30.

DIA 12

No dia 12 de junho, terça-feira da próxima semana serão exibidos produções regionais recentes. A noite reserva duas exibições: “Tinta Seca” e “Agali Awamu – Reinventando Ciclos”.

“Tinta Seca (Ficção)” de São João da Boa Vista, 2018, com duração de 15 minutos e direção de Ana Divino. O filme é uma produção independente, curta-metragem, rodado no interior de São Paulo com artistas locais, que mistura ficção e documentário. O curta aborda a contemporaneidade e o reflexo do tempo nas pessoas e nas relações mais íntimas. Lia e Pietro, um casal inspirado em Colombina e Pierrot da Commedia Dell'arte, vivem uma relação íntima e estão em uma fase de questionamentos. Eles fazem um jogo poético e filosófico que revela essa relação em cenas que misturam a convivência física e virtual dos personagens. A ficção se mistura à realidade no momento em que os personagens param para assistir a depoimentos dos atores do filme respondendo a alguns questionamentos abordados durante o curta, sobre a vida, o tempo, a juventude, o envelhecimento e as gerações. 

“Agali Awamu - Reinventando Ciclos”, de Uganda, 2017, tem duração de 30 minutos com produção Escola em Uganda. O documentário foi produzido pela sanjoanense Elisa Pires, que estará presente na sessão, e retrata a primeira fase do projeto "Escola em Uganda" no vilarejo de Kikajjo, em Uganda. Por demanda da população em construir uma nova sede para a escola St. Mary, jovens brasileiras iniciaram primeiramente um trabalho com os professores, crianças, famílias e líderes comunitários. O projeto tem como base a Psicologia Social Comunitária e durante todo o ano de 2017 foi realizado grupos reflexivos e acompanhamento da dinâmica escolar, sempre caminhando lado a lado com a população local.

“JOÃO NEGRINHO”

No dia 19 de junho será exibido “João Negrinho”, produzido em 1958 com direção de Oswaldo Censoni (85 minutos).O primeiro grande clássico cinematográfico realizado em São João da Boa Vista, um drama que tornou-se um sucesso de público. O filme retrata uma fazenda durante o período pré-abolicionista, onde a discriminação racial ainda é um dos pilares da sociedade. O filme traz a trajetória de amizade de dois garotos, um negro, outro branco, unidos pelo esforço piedoso de um padre liberal que prega a igualdade das raças e combate as crueldades contra os escravos.

“CHÃO BRUTO”

No dia 26 de junho o filme será  “Chão Bruto”, produzido em 1959 / Drama, com direção de Dionísio Azevedo. O filme de 90 minutos é outro clássico do cinema regional, filmado nas fazendas de Águas da Prata. Chão Bruto retrata o início do século XX, onde os caminhos da aventura e da ambição levavam ao Grande Portal, no extremo sudoeste paulista, no qual posseiros e grileiros travavam lutas ferozes pela posse da terra e da mulher amada. A falta de lei faz com que posseiros vivam constantemente ameaçados por grileiros violentos e sem escrúpulos, que fazem qualquer coisa, inclusive matar, para tomar conta das terras dos humildes lavradores. O filme cruza a história de três mulheres, que neste período turbulento buscam esperança para uma vida melhor. Detalhe para atuação de Lima Duarte, no início de carreira.