Ter04072020

Last update03:53:49 PM

 


Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Com "Sertanejo em Casa", Sony Music leva entretenimento para todos

A Sony Music, por meio de sua plataforma de entretenimento, o Filtr, lançou o projeto “Sertanejo em Casa”, que leva grandes nomes do seu casting sertanejo para a casa das pessoas neste momento delicado de confinamento.

O projeto teve seu início com a dupla Diego & Victor Hugo, no dia 27/03, seguido da parceria com o “Buteco em Casa”, do Gusttavo Lima, no dia seguinte, sucesso que deixou aplaylist“Sertanejo 2020’ em destaque e contou com 10 milhões de visualizações e 750 mil acessos simultâneos em 5 horas de transmissão.

As próximas atrações são Diego & Arnaldo, Lucas Lucco, Guilherme & Benuto, Marcos & Belutti e Yasmin Santos (confira agenda abaixo). Todas as “lives” são transmitidas do canal do YouTube de cada artista e contam com o comando do influenciador Renato Sertanejeiro.

PRÓXIMAS ATRAÇÕES

03/04 – Diego & Arnaldo – 19h

04/04 - Lucas Lucco – 16h

07/04 – Guilherme & Benuto – 19h

10/04 – Marcos & Belutti – 19h

14/04 - Yasmin Santos - 19h

MIS exibe o filme Bacurau em sessão on line


Em tempos de quarentena, o Pontos MIS realiza sua segunda edição de cinema on line com bate bate papo ao vivo com o elenco logo após a exibição. O evento cultural acontece no próximo sábado, dia 4, no canal do MIS no YouTube às 15h30. O filme em cartaz será “Bacurau” e é necessário se inscrever para participar na sessão digital a partir desta quinta-feira (2), no site do MIS, a partir das 11h00. A inscrição é necessária pois as vagas são limitadas – 100. A equipe do Pontos MIS entra em contato via e-mail para confirmar a inscrição e participação.

No programa ao vivo, o oficineiro @lafonso86 faz uma análise de "Bacurau" (produção de 2019 com direção de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles), que é seguida por uma conversa com o ator @thomasquino, que interpretou o personagem Pacote no longa.

O Pontos MIS é uma realização do MIS (Museu da Imagem e do Som) em parceria com a Prefeitura Municipal de São João da Boa Vista.

Novos teatros têm dois professores como patronos


Prof. Antonio Cândido e Profa. Lucila Martarello Astolpho dão nomes aos espaços públicos

O Prefeito Vanderlei Borges de Carvalho sugeriu e os vereadores aprovaram duas leis que dão nomes aos dois Teatros construídos na Estação das Artes (Largo da Estação) e Cidade das Artes (antiga CEAGESP). 

O Teatro da Estação das Artes, com 500 m² de área e capacidade para 165 espectadores, passa agora a ser identificado como Teatro “Prof. Antonio Cândido”.

Na Cidade das Artes, a lei estabelece que o galpão de 559 m², adaptado para espetáculos, shows, palestras e outros eventos, com planejamento para acomodar 250 pessoas, seja nomeado como Teatro “Profa. Lucila Martarello Astolpho”.

Os documentos, que são dedicados a homenagens ao sociólogo, crítico literário, ensaísta e professor Antonio Cândido, e a professora e autora da letra do hino de São João, Lucila Martarello Astolpho, foram aprovados na sessão do Legislativo realizada na segunda-feira, 16 de março. 

Os dois locais - Estação das Artes João Roberto (Beto) Simões  e a Cidade das Artes – foram restauradas e adaptadas  através de uma parceria entre Prefeitura Municipal e Governo Estadual, com recursos do Fundo de Interesses Difusos (FID).

"São duas homenagens muito justas. O professor Antonio Cândido, renomado escritor brasileiro, concluiu o ginásio em São João da Boa Vista e a partir daí sempre manteve lastros culturais e várias amizades em nossa cidade. E a professora Lucila Martarello recebe esta homenagem em vida, também justíssima pelo trabalho que desenvolveu na área educacional de São João, na direção do Museu Histórico e sempre lembrada como autora do nosso hino da cidade”, afirmou Hélio Corrêa Fonseca Filho, diretor municipal de Cultura de São João.

Antonio Cândido

Nascido no Rio de Janeiro, em 24 de julho de 1918, Antonio Cândido de Mello e Souza foi sociólogo, crítico literário, ensaísta e professor brasileiro. Filho de Aristides Cândido de Mello (médico) e de Clarisse Tolentino de Mello e Souza.

Foi casado com Gilda de Mello e Souza, professora de Estética no Departamento de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

O casal teve as filhas Ana Luísa Escorel (designer e escritora), Laura e Mariana (professoras de história).

Ainda criança, Cândido mudou-se com a família para Poços de Caldas (MG). Em São João da Boa Vista, ele fez o curso secundário no ginásio. Na capital paulista cursou o Colégio Universitário da Universidade de São Paulo (USP).

Antonio Candido escreveu uma inovadora história literária que abertamente excluiu autores e períodos que não correspondiam à noção de “literatura propriamente dita”. A obra explicitou o caráter narrativo de toda história cultural. Morreu em São Paulo, na data de 12 de maio de 2017.

Lucila Martarello Astolpho

Filha de Jordano Martarello e Emma Gallo, Lucila Martarello Astolpho nasceu em São João da Boa Vista, em 17 de junho de 1931.

Lucila é lembrada pela competência profissional e por ter escrito a letra do hino de São João. Na trajetória, constam o curso de Formação Profissional de Professor na “Escola Normal Cel. Cristiano Osório de Oliveira” e o curso de Pedagogia na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Guaxupé (MG).

Atuou como encarregada do Museu Histórico e Pedagógico “Dr. Armando Salles de Oliveira” e coordenadora pedagógica da Escola de Educação Infantil “Pequeno Polegar”.

Eleita para a Academia de Letras tomou posse em 1977. A partir de novembro de 2006, tornou-se membro correspondente. Lucila está perto de completar 89 anos de idade.

Mostra celebra 55 anos do MACC


O artista em sua oficina em Pernambuco

O Museu de Arte Contemporânea de Campinas (MACC) recebe a exposição “Eu Vi o Mundo...”, uma mostra de José Barbosa da Silva, um artista brasileiro de carreira internacional. Ele utiliza múltiplos meios de expressão: é pintor, desenhista, entalhador, escultor, ilustrador e gravador. A abertura será no dia 5 de março, às 19 horas e o público poderá visitá-la de 6 de março até 29 de maio, com entrada gratuita. A exposição é inédita em Campinas.

José Barbosa da Silva tem 72 anos e já marcou a história das artes brasileiras: participou do início da Tropicália, do Cinema Novo e do movimento Nova Figuração, de artes plásticas. A mostra reúne mais de 60 obras - esculturas, talhas e telas.

José Barbosa é de Olinda, Pernambuco, aprendeu a entalhar ainda menino com o seu pai, marceneiro, e a pintura, que descobriu de fato mais tarde, quando foi viver em Paris na década de 1970. O título da exposição “Eu Vi o Mundo...”, remete à obra do pintor pernambucano Cícero Dias, “Eu Vi O Mundo... Ele Começava no Recife”. “A monumental tela do modernista pernambucano, realizada em 1929 e considerada como um dos marcos fundadores do Modernismo no Brasil, pertence ao mesmo universo onírico e aventuroso de Barbosa”, diz a curadora da exposição, Maria Hirszman, que escreveu o texto de apresentação.

Nele, a curadora descreve como José Barbosa da Silva sabe combinar, como poucos, um profundo interesse pelo mundo a sua volta com um fascínio permanente por elementos alegóricos, carregados de potência simbólica. “Suas telas e talhas são povoadas por seres místicos, que o acompanham há décadas, como o pássaro branco de asas abertas e bico perfurante, os peixes arredondados que nadam por toda a parte, as figuras femininas ao mesmo tempo sensuais e maternas, ou os buquês de flores que deslumbram por suas formas e cores. São composições complexas, cuidadosamente simétricas num equilíbrio elegante. Uma de suas qualidades é a capacidade de aventurar-se por diferentes caminhos em busca de uma expressão ao mesmo tempo autoral e universal. A capacidade de aliar diferentes referências, temáticas e gêneros dão liberdade à obra do artista”.

Serviço:

Exposição “Eu Vi o Mundo” do artista José Barbosa da Silva

Abertura: Dia 5/3, às 19h

Visitação ao público: Dia 6/3 a 29 de maio

Local: MACC - Av. Benjamin Constant, 1633 – Centro.

Horário: Terça a Sexta: 9h às 17h
Sábado: 9h às 16h
Fechado segundas, domingos e feriados.

Entrada Gratuita.

Brinquedos que marcaram época ganham exposição

Topo Gigio e Genius são algumas das atrações que chegam ao Shopping Penha

Segura a emoção e cuidado para não entregar a idade! O Shopping Penha, em parceria com a Estrela, traz a exposição Histórias de Brincar. Serão mais de 120 atrações que prometem trazer à tona muitas lembranças boas.

Quem já se divertiu com a boneca Bate Palminha ou até mesmo com o desafiador Genius? O público poderá ainda relembrar as brincadeiras com a Bolinha de Sabão, Tippy, Gui Gui, Mãezinha, Topo Gigio, Ar Tur, Colossus, Máximus, Pégasus, Stratus, Jamanta Comando Eletrônico, Ding - Bô e Bam – Bô e tantos outros brinquedos reservados na atração. As lembranças são muitas e a diversão para quem visitar a exposição será maior ainda.

Além de todas as relíquias, os visitantes ainda poderão interagir com uma caixa gigante do brinquedo Falcon Olhos de Águia Patrulheiro e um totem do Topo Gigio. Perfeitos para tirar aquela selfie e guardar no álbum de memórias, ou melhor, postar nas redes sociais.

Localizado no piso térreo, o acervo promete entreter crianças e adultos. “Queremos promover um encontro único para as famílias. Com as atrações expostas e interativas pais e filhos poderão brincar juntos, preservando memorias e criando novas” comenta Renata Barros, gerente de marketing do Shopping Penha.

A atração é gratuita e fica no empreendimento até o dia 5 de abril.

EVENTO GRATUITO

Serviço

Exposição Histórias de Brincar

Até 5 de abril

Local:Piso Térreo

Endereço:Rua Dr. João Ribeiro, 304, Penha de França- SP

Mais informações:(11) 2095-8240 -http://www.shoppingpenha.com.br/

Evento Gratuito

Fundação Japão promove evento de projeção mapeada no Pavilhão Japonês

O evento estará em cartaz nos dias 7, 8, 13, 14 e 15 de março, das 18h30 às 21h00

A Fundação Japão em São Paulo promove, a partir do dia 7 de março, cinco apresentações exclusivas do evento "Japão Digital - Projeção Mapeada no Pavilhão Japonês", em parceria com a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), no Pavilhão Japonês, localizado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. O evento cultural acontecerá em meio a um dos mais representativos pavilhões japoneses do Brasil, incluindo seus jardins, para celebrar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos que serão realizados neste ano novamente em Tóquio, após 56 anos desde a primeira edição realizada na capital japonesa.

Os visitantes atravessarão projeções mapeadas em sincronia com apresentações de Wadaiko. Simultaneamente, encontrarão projeções artísticas em diferentes espaços e projeções mapeadas interativas, que reagirão de acordo com a movimentação dosvisitantes, atraindo desde as crianças pequenas até os adultos..

Este ano, além das competições esportivas no Japão, o Bunkyo comemora 65 anos de atividades e a Fundação Japão em São Paulo, os 45 anos de instituição no Brasil.

SÍMBOLO DA AMIZADE

Construído conjuntamente pelo governo japonês e pela comunidade nipo-brasileira, o Pavilhão Japonês foi doado à cidade de São Paulo, em 1954, na comemoração do IV Centenário de sua fundação. Desde 1955, a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social - Bunkyo é responsável por sua manutenção. O Pavilhão Japonês tem como principal característica o emprego dos materiais e técnicas tradicionais japonesas, tendo como referência o Palácio Katsura, antiga residência de verão da Família Imperial em Kyoto. Ele reúne materiais trazidos especialmente do Japão, tais como as madeiras, pedras vulcânicas do jardim, lama de Kyoto que dá textura às paredes, entre outros.

Localizado às margens do lago do Parque, é composto de um edifício principal suspenso, que se articula em um salão nobre e diversas salas anexas, salão de exposição, jardim, além de um lago de carpas belíssimas. Seu projeto é de autoria do professor Sutemi Horiguchi e caracteriza-se pela composição modular de madeira, com divisórias deslizantes retiráveis, permitindo a criação de áreas mais ou menos amplas, propiciando interação visual com o jardim circundante, e o lago de carpas coloridas, configurando uma concepção integrada entre o espaço interno e o externo. Esta concepção confere o diálogo entre o "tradicional" e o "moderno" da arquitetura de madeira do Japão no período pós Segunda Guerra.

O Salão de Exposição, construído ao lado do edifício principal, abriga peças originais e réplicas dos "tesouros japoneses", representando linguagens artísticas e artesanais de diferentes períodos; doadas e consignadas pelo governo do Japão, entidades, empresas e personalidades japonesas.

Tombado pelos órgãos municipal e estadual de preservação do patrimônio histórico e cultural, o Pavilhão tem sido restaurado pela Nakashima Komuten, tradicional empresa japonesa na construção e restauração de pontes e moradias de madeira. Este é um dos raros pavilhões, fora do Japão, a manter suas características em perfeito estado de conservação.

 

Serviço

Japão Digital - Projeção Mapeada no Pavilhão Japonês

Data: 7, 8, 13, 14 e 15 de março de 2020

Horários: 18h30 às 21h

Apresentações de Taiko com projeção mapeada: às 19h e às 20h

Local: Pavilhão Japonês (Parque Ibirapuera)

Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, entrada pelos portões 3 e 10, São Paulo, SP

Ingressos: R$ 15,00 inteira | R$ 7,50 meia

Produções da UNIFAE estão na Mostra de Cinema da FLIPOÇOS 2020

Programado para o período de 25 de abril a 3 de maio, o renomado Festival Literário Internacional de Poços de Caldas (FLIPOÇOS)dá início ao calendário nacional dos festivais e festas literárias do Brasil em 2020. Além de promover escritores ilustres e editoras, o evento abre espaço para que outros agentes culturais que tenham desenvolvido conteúdo agregador possam apresentar seus trabalhos.

A UNIFAE participa da Mostra de Cinema exibindo quatro curtas, apresentados por alunos do curso de Jornalismo como Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC): "Quem é o Sujeito? - Depoimentos, Reflexões e o Papel da Mídia na Problemática da Dependência Química", "Ciganos - Os Reis da Liberdade", "Cromossomos do Amor - A Síndrome de Down Além da Genética" e "Paralisia Cerebral - Bem-Vindo à Holanda".

A mostra também vai exibir o longa-metragem “Orides, Onde Ninguém Mais”, produzido pelo Núcleo de Documentários e Filmes do Laboratório de Comunicação da UNIFAE - Projeto História, com direção do cineasta David Ribeiro. Vale lembrar que o filme sobre a trajetória da poeta sanjoanense de renome internacional conquistou o primeiro lugar no 7º Prêmio Nuevas Miradas en la Television – Mejor da Producción TV Universitaria Latinoamericana (2019), promovido pela Universidade de Quilmes, Argentina.

PROGRAMAÇÃO

25 DE ABRIL | SÁBADO

14h30 - BIBLIOTECA CENTENÁRIO

Mostra de Cinema | Curtas dos alunos da UNIFAE | " Quem é o Sujeito? - Depoimentos, Reflexões e o Papel da Mídia na Problemática da Dependência Química". Roteiro, produção e direção: Marcela Garcia e Taina Nery. Orientação Prof.ª Me. Aline Fallaci de Almeida. Imagens Joseph Cristhian. Edição e arte Gabriel Dore. Bate-papo após a exibição.

26 DE ABRIL | DOMINGO

17h00 -| BIBLIOTECA CENTENÁRIO

Mostra de Cinema | Curtas dos alunos da UNIFAE | "Ciganos – Os Reis da Liberdade" | Roteiro, produção e direção: Júlia Sartori Cruz e Luana Guislotti da Silva. Orientação Prof.ª Me. Aline Fallaci de Almeida. Imagens: Joseph Cristhian e Gabriela Stanguini Sodre. Edição: Fernando de Souza Andrade. Bate-papo após a exibição.

28 DE ABRIL | TERÇA-FEIRA

18h00 - MUSEU

Mostra de Cinema | Curtas dos alunos da UNIFAE | "Cromossomos do Amor – A Síndrome de Down Além da Genética". Roteiro, produção e direção Maria Beatriz Lourenço Bertholucci e Mariana de Oliveira Guerrero. Orientação Prof.ª Me. Aline Fallaci de Almeida. Imagens: Asaph Teixeira, Guilherme Yoshi e Rogério Dreguer. Edição: Feeling Good Films. Bate-papo após a exibição.

30 DE ABRIL | QUINTA-FEIRA

17h30 - MUSEU

Mostra de Cinema | Curtas dos alunos da UNIFAE | "Paralisia Cerebral – Bem-Vindo à Holanda". Produção: João Guilherme Bretas, Roteiro: Guilherme Coelho. Orientação Prof.ª Me. Wiliam Oliveira. Imagens: Rafael Brunelli. Edição: Hugo Maciel. Bate-papo após a exibição.

03 DE MAIO | DOMINGO

10h30 - BIBLIOTECA CENTENÁRIO

Mostra de Cinema | Núcleo de Documentários e Filmes do Laboratório de Comunicação da UNIFAE - Projeto História | "Orides, Onde Ninguém Mais" | 1h30min. Viva. Bate-papo após a exibição.

 

Cultura oferece vagas para a oficina gratuita Corpo e Voz na Cena


Nos dias 29 de fevereiro e 1º de fevereiro, o Departamento de Cultura da Prefeitura Municipal promove em parceria com o governo estadual a Oficina Corpo e Voz na Cena. São 20 vagas, gratuitas, a interessados a partir de 14 anos. O evento será realizado na Estação das Artes Beto Simões.   

Segundo o Departamento Municipal de Cultura, não há necessidade de experiência artística para participar. As inscrições podem ser feitas até o dia 29, na Cidade das Artes: Parque Urbano Municipal Espaço Jovem Osmar Garcia, localizada à rua Santo Antonio (antiga CEAGESP).

A atriz Paula Carrara vai coordenar a Oficina Corpo e Voz na Cena. Experiente no ramo, Carrara é uma artista independente formada em pedagogia do teatro e mestre em artes cênicas.  Em São João, o conteúdo programado está ligado à expansão de possibilidades individuais e ao uso adequado da voz em cena, incluindo exercícios práticos de respiração, ressonância e ritmo.

A realização da oficina é uma parceria entre Prefeitura e Poiesis Organização Social de Cultura – Programas Oficinas Culturais da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa.  Outras informações podem ser obtidas pelos telefones: (19) 3636-4953 e 3636-4872. 

Campinas recebe Turnê Beethoven Paulista da Orquestra Sinfônica do Estado

Antes da abertura da Temporada 2020, dedicada a Beethoven, Osesp leva a música do compositor para o interior, litoral e cidades da Grande São Paulo

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, vai levar, entre os dias 18 e 20 de fevereiro, a Turnê Beethoven Paulista aos municípios de São José dos Campos,CampinasJacareí, São Bernardo do CampoSalto Santos.

Como parte das comemorações dos 250 anos do nascimento de Beethoven, celebrado pela Osesp e por vários corpos artísticos pelo mundo em 2020, a programação inicia com dois concertos na Sala São Paulo, nos dias 14 e 15 de fevereiro, e segue para os demais municípios nos dias 18, 19 e 20 de fevereiro.

Os concertos pelo Estado acontecerão em dois blocos de apresentações simultâneas, sempre às 20h00. A Osesp viaja dividida em duas orquestras – regidas por Wagner Polistchuk e Emmanuele Baldini –, com tamanhos semelhantes ao que era usado na época do próprio Beethoven. O programa inclui as consagradasQuintaeSétima Sinfonias, tocadas na íntegra pela Osesp, além dos dois Romances para Violino e Orquestra, e duas

Em Campinas o espetáculo está agendado para o dia 18 de fevereiro, às 20h00, no Teatro Castro Mendes. O regente será o Maestro Wagner Polistchuk que terá Davi Graton no violino. No repertório, obras de Ludwig Van Beethoven, como: Abertura Leonora nº 1, Op.138; Romance nº 2 em Fá maior, Op.50; Sinfonia nº 7 em Lá maior, Op.92.

A distribuição de ingressos gratuitos será no local da apresentação, uma hora antes do espetáculo. O Teatro CastroMendes, com 760 lugares, está localizado na Rua Conselheiro Gomide, 62 – Vila Industrial, em Campinas.