Qui02202020

Last update03:16:31 PM

 


Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Filme “A Malvada” na Casa da Cultura


A Casa da Cultura através O Departamento de Cultura e Turismo da Prefeitura de Vargem Grande do Sul promove no dia 5 de março, na Casa da Cultura, às 20h00, o consagrado filme “A Malvada”, premiado com seis Oscars (Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Figurino, Melhor Som e Melhor Roteiro), um Globo de Ouro (Melhor Roteiro) e ocupa o 28o  lugar na lista dos 100 Melhores Filmes do Cinema produzida pelo American Film Institute (AFI).

Com exibição gratuita e classificação 12 anos, o sucesso deA Malvada é tão grande e universal que inspirou até mesmo uma novela brasileira, Celebridade (2003/2004). O filme é o ponto máximo da carreira de Mankiewicz e de Davis e impressiona, até hoje, pelo seu humor ácido e pelo seu caráter atual, tocando em diversos temas que continuam pertinentes, como a inveja, a ambição, o desejo de fama a qualquer preço e a dificuldade de se encarar o envelhecimento e de se conciliar amor e carreira.

Segundo o site Cinema em cena, o filme foi um imenso sucesso na época de seu lançamento e é considerado, por muitos, um dos melhores filmes já realizados sobre o mundo do teatro. No entanto, mais do que uma visão sobre o universo teatral, o longa de Joseph L. Mankiewicz, diretor e roteirista com Bette Davis  é um retrato crítico e  impiedoso do show business.  Encabeçando o elenco, temos Davis que nos presenteia com a melhor atuação da sua carreira, numa performance cheia de fúria e intensidade. O maior mérito da atriz é o de humanizar a personagem, revelando também sua vulnerabilidade e seus defeitos. Sua interpretação se contrapõe perfeitamente com a da quase robótica e fria Baxter. Quem também brilha é a eterna coadjuvante Thelma Ritter, que está impagável na pele de Birdie (personagem escrita especialmente para ela). Sanders e Holm também estão excelentes. Esses cinco atores foram indicados ao Oscar, apenas Sanders ganhou. Ainda sobre a premiação, outro recorde obtido por A Malvada, que ainda não foi quebrado, é o de número de indicações (quatro) para atuações femininas em um mesmo filme. O clássico de 1950 também é lembrado por ser aquele que abriu as portas da fama para Marilyn Monroe. A rápida participação da atriz no filme não passou despercebida e, logo a seguir, sua carreira decolou em Hollywood.

Documentário sobre impeachment de Dilma fica em 3º lugar na premiação do público no Festival de Berlim

O documentário 'O Processo', da cineasta Maria Augusta Ramos, ficou em terceiro lugar no sábado (24/02) no prêmio do público na Berlinale, o festival de cinema de Berlim. O filme trata do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e foi ovacionado durante suas exibições no evento.

Em entrevista àDeutsche Welle, Ramos disse não se considerar ativista, mas, sim, uma cineasta. “O processo do impeachment foi muito confuso, muito caótico. Muitos elementos não vieram à tona, ou foram suprimidos para que não viessem à tona, para que não elucidassem as razões da acusação e das denúncias contra a presidente. Para mim era importante retratar essa dinâmica em toda a sua complexidade, possibilitar que essas outras narrativas também viessem à tona. Era importante dar outros elementos ao público, para que ele pudesse refletir sobre esse momento histórico”, disse.

“Acho que um filme, um documentário, não pode ser só a minha visão como ser social e político. Eu não faço filmes para defender uma tese. Se eu soubesse o que dizer, eu diria em duas linhas. Um filme tem que retratar um momento, retratar os argumentos de ambos”, afirmou.

O filme tem previsão de estreia no Brasil em junho.

 

Outros prêmios

Outros filmes brasileiros também ganharam prêmios no festival, que está em sua 68ª edição. “Tinta Bruta”, de Marcio Revlon e Filipe Matzembacher, ganhou o Teddy Award, premiação dada a filmes de temática LGBT. Além dele, “Bixa Travesty”, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, ganhou o Teddy de Melhor Documentário, com Linn da Quebrada.

Cacique e Pajé são homenageados noViola, Minha Viola

(Foto Jair Magr)i

Neste domingo(25/2), oViola, Minha Viola – Especialmostra a arte de cantar a mata, a pesca, os rios e a simplicidade que acompanhaCacique e Pajé. Apresentado pela violeiraAdriana Farias, o programa relembra vários momentos marcantes da carreira da dupla. A atração vai ao aràs 9h, naTV Cultura. 

Nascidos em Rondonópolis, no Mato Grosso, os dois integrantes da primeira formação têm origens indígenas, com parentesco em uma tribo Caiapó. No ano de 1994, Roque Pereira Paiva, o Pajé, faleceu. Depois disso, Antônio Borges de Alvarenga, o Cacique, cantou com alguns outros ‘Pajés’ antes de se juntar a Geraldo Aparecido da Silva, seu grande parceiro atéhoje. A dupla adotou roupas e adornos indígenas como forma de mostrar o quanto se orgulha de sua ascendência.

No repertório estão algumas de suas músicas mais conhecidas, comoMacaco Velho, O Boiadeiro e aViola, Puro Brasileiro, Pensando eu Vejo, Paraná do Norte, Peão Sabido, Nosso Lugarejo e Viola Caipira. Completa esta edição a participação de Pajé e Cacique no histórico show de Tonico e Tinoco realizado no Theatro Municipal de São Paulo, na década de 70.

“Pantera Negra” estréia e registra sucesso de crítica

O filme “Pantera Negra” antes mesmo da estréia é sucesso de crítica. O novo longa-metragem de super-heróis da Marvel atingiu 97% de aprovação pelo site especializado "Rotten Tomatoes", o maior agregador de críticas mundi... É a mais alta aprovação registrada para um filme da Marvel e também da sua rival, a DC. Com relação a todos os filmes de super-heróis, empata com "Os Incríveis", da Disney. Antes, a melhor marca para um filme da Marvel era 94% ("Homem de Ferro"), mesma aprovação de "Batman: O Cavaleiro das Trevas", da DC. Pantera Negra estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (15), e a expectativa é de que recordes de bilheteria.

O filme conta a história de T'Challa (Chadwick Boseman). Após a morte do pai, rei de Wakanda, ele retorna ao seu reino, na África, em um lugar isolado do resto do mundo, mas com um forte potencial tecnológico. Além de Boseman no papel principal, o filme conta com Ryan Coogler como diretor e roteirista, tarefa que compartilhou com Joe Robert Cole. O elenco inclui Michael B. Jordan, Daniel Kaluuya, Forest Whitaker,  Sterling K. Brown, Martin Freeman e Andy Serkis. O rapper Kendrick Lamar coproduziu a trilha sonora, da qual participa com cinco músicas.

Arrojo na descrição de cinco personagens excêntricos


Tarcilio de Souza Barros

   Peça teatral “Coisas estranhas acontecem nesta casa”, é uma comédia do dramaturgo Pablo Diego Garcia, e conta com co-direção de Marisa Orth e direção geral de Márcio Mecena.

   A peça narra a história de cinco personagens excêntricos, presos por uma tempestade, e muitos segredos dentro de uma mansão mal assombrada.   A diversidade de acontecimentos levam à um contexto do absurdo, tema esse tão caro em Samuel Becket. O texto fala sobre a família que podemos escolher, sobre os monstros que temos que matar para sobreviver, e sobre os problemas que devemos enterrar no nosso jardim.

   Fleury, Kleber e Alfredo são três excêntricos e misteriosos homens, que moram juntos em um casarão no alto da serra em Campos do Jordão. O convívio do trio  é de se odiarem mutuamente. Fleury é o mais velho e está perdendo a memória; Kleber é alcoólatra, mal humorado e fumante compulsivo; Alfredo é um costureiro sem talento. Tudo começa quando Fleury esquece uma panela de pressão no fogo e explode o jantar que seria servido para a cliente mais importante de Alfredo, a socialite Marcela Vitanozzi. A encomenda que Marcela faria ao costureiro poderia livrar os três da miséria. Esse contratempo faz com que eles se unam para preparar o melhor jantar já servido atéhoje.

   Mas algo misterioso acontece e a socialite acaba falecendo durante o jantar. Desesperados eles resolvem enterrar o corpo no jardim, mas são surpreendidos por uma visita inesperada de um jornalista querendo entrevistar a socialite. O imbróglio está formado, segredos serão revelados e uma fortuna em dinheiro está em jogo, envolvendo todos em coisas estranhas.

   No palco um cenário de casa de família conservadora com móveis e utensílios de estilo clássico, onde atores vão narrar acontecimentos através de palavras e da mímica estranhas histórias que acontece na casa. Grupo de atores fazem extraordinários movimentos corporais, cheios de entusiasmo na representação de seus papéis.

   Perpassa na peça contínuas situações hilárias que provocam riso constante na platéia. Nasce empatia entre atores e público, levando ao final longa ovação ao vibrante elenco.

   Para contar esse plot de Pablo Diego Garcia impunha-se da parte do diretor Marcio Macena contar com um elenco a altura para obtenção de sucesso da representação. Este ocorre pela qualidade profissional dos atores, bem dirigidos com impecável atuação. Marcação cênica, dicção e preciso gestual do elenco despontam sentimentos e emoções ao espectador.

Um espetáculo de categoria que ficou em cartaz duas temporadas no Teatro João Caetano no Riode Janeiroonde bateu recorde de publico.

   Sustenta a peça a equipe técnica com cenário de André Diniz, figurinos de Kogen e incidental iluminação de Cesar Pivetti.

  

Serviço ao leitor:

Peça teatral: Coisas Estranhas Acontecem Nesta Casa

Texto: Pablo Diego Garcia

Direção: Marcio Macena e co-direção de Marisa Orth

Onde: Teatro Augusta (328) lugares

Rua Augusta, 943

Hor. Sábados ás 22h/Dom. ás 20h.

Quanto: R$ 50

Duração: 90 minutos - Comédia

Até:4 de março

Avaliação: Excelente

Estação Cultura recebe exposição do Ministério Público de São Paulo

O Estação Cultura, novo espaço expositivo da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, localizado na sede do órgão (Rua Mauá, 51 – Luz), apresenta a exposição Retratos da Cidadania: arte e obras do Ministério Público. A entrada é gratuita e a mostra fica em cartaz até dia9 de março.

“É a primeira de muitas parcerias que esperamos realizar com o Ministério Público de São Paulo, que faz um incrível trabalho na defesa dos direitos da cidadania. Entre as funções da arte está a de expor as feridas da sociedade, gerando um diálogo que leve o espectador a refletir sobre essas questões”, afirma o Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna.

Produzida em parceria com a agência VML (parceira pró-bono do MPSP desde 2013), a exposição conta com 17 obras de artistas paulistas que se inspiraram em entrevistas de promotores de Justiça, cidadãos e especialistas na composição de seus trabalhos, feitos em telas e esculturas. Integram a mostra os artistas Lygia Pires, Pedro Luis Soares, Bernardo Abreu, Nathália Marçal, Henrique Campeã, Alberto Lazarini, Hiram Denf, Gabriel Coimbra, Rodolfo Martins, Henrique Cencini, Carol Coimbra, Feppa Rodrigues, Shun Izumi, Julia Belik, Debora Seiva, Pedro Drunska e Vinícius Marada.

Foram feitas releituras de casos emblemáticos que demonstram a parceria entre o Ministério Público e a população, tais como o retorno para os cofres públicos do dinheiro desviado pelo ex-prefeito Paulo Maluf, o impulso à construção de mais de 85 mil vagas em creches, a operação que gerou a prisão da ex-prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, e o fim de um programa ilegal de retirada de rins de cadáveres.

"Essa exposição é uma verdadeira prestação de contas, criada a partir da sensibilidade desses grandes artistas e do trabalho do Ministério Público em favor da sociedade", diz o Procurador-Geral de Justiça, Gianpaolo Smanio.

Os visitantes também poderão assistir a todas as entrevistas que serviram de inspiração para os artistas. Histórias como a de mulheres atendidas pelo projeto Guardiã Maria da Penha, programa de proteção de mulheres vítimas de violênciadoméstica; o trabalho de combate à crise hídrica no estado de São Paulo; os relatos de catadores de material reciclável que deixaram a invisibilidade após a extinção do lixão de Presidente Prudente e consequente abertura de um aterro controlado; a história de crianças, jovens e adultos que conquistaram o nome de seus pais por meio do projeto Encontre Seu Pai Aqui; a família que conquistou um CEP com a urbanização de uma favela em Itaquaquecetuba; e muitas outras. 

A escolha dos artistas e a curadoria da exposição foram realizadas pela agência VML e a impressão e montagem das artes pela BPrint Comunicação Visual, que atuaram de forma voluntária. 

 

Serviço:

Retratos da Cidadania: arte e obras do Ministério Público

Em cartaz até9 de março de 2018

Local: Estação Cultura – Rua Mauá, 51

 

Música no Theatro Municipal nesta quinta-feira


Paulinho Tó apresenta pela primeira vez, em São João da Boa Vista, as músicas de seu mais recente trabalho "De cara no asfalto". Este segundo álbum trazonze músicas inéditas, de sua autoria. Nestas canções, o artista conduz nosso olhar para o Brasil - deonteme dehoje– promovendo um diálogo com a MPB dos anos de 1960/70. "De cara no asfalto" é, ao mesmo tempo, contemporâneo e brasileiro e mostra a que veio esse músico talentoso e promissor.

O show será realizado em formato voz e violão no projeto "Quintas Musicais" do Theatro Municipal, na sala Dilo Gianelli, às 19h30, dia 8 de fevereiro. Ingressos a preços populares. Inteira R$ 10,00 e meia R$ 5,00. 

Inscrições para o Concurso Internacional de Redação de Cartas


Naquinta-feira 1/2), começaram as inscrições para o 47° Concurso Internacional de Redação de Cartas, realizado no Brasil pelos Correios. O concurso, promovido em todo o mundo pela União Postal Universal, tem como objetivo incentivar crianças e adolescentes a expressarem a criatividade e aprimorarem seus conhecimentos linguísticos. 

O tema dessa edição é: “Imagine que você é uma carta que viaja no tempo. Que mensagem você quer deixar para seus leitores?”. Podem participar estudantes da rede pública e privada de ensino com até 15 anos (completos até maio de 2018).

 As redações devem ser em formato de carta, escritas à mão, usando caneta esferográfica preta ou azul e conter no máximo 900 palavras. O estudante interessado em participar deve passar por uma seleção prévia em sua escola. Cada escola pode inscrever no máximo duas redações, até o dia16 de março.

Prêmios

Os três primeiros colocados na fase estadual e as respectivas escolas recebem prêmios em dinheiro. O vencedor da fase nacional, além de troféu e R$ 5.000,00, representará o Brasil na etapa internacional. A escola receberá o valor de R$ 10.000,00.

 A vencedora da etapa nacional, em 2017, é da cidade de Campina Grande, na Paraíba. Sabrina Brito Lira tem 14 anos e cursa o Ensino Médio na Escola Virgem de Lourdes. O Brasil já venceu a fase internacional do concurso, que acontece desde 1972, em três edições, sendo o segundo colocado em número de vitórias, atrás apenas da China, que tem cinco medalhas de ouro.

O regulamento completo do Concurso Internacional de Redação de Cartas está disponível no site dos Correios, no endereçohttp://www.correios.com.br/sobre-correios/sustentabilidade/vertente-social/concurso-internacional-de-redacao-de-cartas

“Gandhi – seja a mudança que você quer ver no mundo”


No domingo, dia 28 de janeiro, no Teatro da Urca, em Poços de Caldas, às 21h00, o público vai assistir a “Gandhi – seja a mudança que você quer ver no mundo”. O espetáculo apresenta grandes momentos da vida de uma das maiores personalidades de todos os tempos, sob o ponto de vista de sua esposa e companheiraKasturbaiGandhi. Pela primeira vez, a real importância dessa guerreira da paz, que por diversas ocasiões liderou os movimentos de libertação da Índia, é revelada de maneira sensível e comovente. O espetáculo intercala cenas de humor, lirismo e dramaticidade; criando um painel rico e marcante no quala sabedoria, dignidade e honestidade de Gandhi, são apresentadas.

A personagem protagonista dessa história morreu como viveu: um homem simples, sem riquezas.

Os promotores do evento divulgaram que

20% da renda do espetáculo será destinada como contribuição à reforma do telhado da Igreja Matriz de Poços de Caldas, Patrimônio Histórico tombado na cidade.