Dom03292020

Last update04:44:26 PM

 


Back Você está aqui: Home Cultura

Cultura

Revelando São Paulo começa nesta quarta-feira


 
Branca São mais de 350 expressões culturais de todas as regiões de São Paulo
 
Começa nesta quarta-feira (13) no Parque da Água Branca o Revelando SP, maior evento de cultura tradicional de São Paulo, realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa e produzido pela organização social Amigos da Arte, que mantém contrato de gestão com a Pasta. Mais acessível e sustentável, em seu 22º ano consecutivo, o evento reúne mais de 350 atrações de música, dança, artesanato, gastronomia e expressões culturais populares de mais de 120 cidades paulistas. É uma imersão nos sons, nas cores, nos sabores, nas artes e no jeito de ser dos brasileiros de São Paulo. 
Na Programação Artística, serão mais de 100 apresentações de grupos tradicionais de batuques, folias, jongos, congos, comunidades indígenas, irmandades religiosas, folclore, dança, violeiros, violas e fandangos. Entre as atrações estão a “Folia de Reis Estrela da Guia” de Guararapes, a “Congada Preto e Branco” de Nazaré Paulista, e o “Fandango de Tamancos” de Itaoca, além de shows de Rolando Boldrin (dia 13), Três é Bom (dia 14), Demônios da Garoa (dia 15), Matuto Moderno e Moda de Rock (dia 16) e Renato Teixeira (dia 17). 
Na Estação Gastronomia e no Rancho dos Sabores, estandes das cidades participantes vão oferecer produtos caseiros, como geleias, pães, compotas e vinhos, e de pratos tradicionais da culinária paulista, como o “Feijão Tropeiro” de Bom Jesus dos Perdões e de Monteiro Lobato, a “Galinhada de São Longuinho” de Guararema, a “Polenta Recheada com Linguiça” de Bragança Paulista e o “Bolinho de Mandioca com Recheio de Camarão e Carne Seca” de Ubatuba.
Na Estação Artesanato, dezenas de artesãos de todas as regiões de São Paulo estarão apresentando e vendendo suas criações, como peças de arte, itens de decoração, acessórios, brinquedos e jogos, levando o público a uma viagem pelos cenários e histórias do interior e do litoral paulista. Entre os trabalhos apresentados estão os “Pássaros em Madeira” de Areias, “Arte em Ferro” de Carapicuíba, “Terços de Capiá” de Jacareí e “Bonecos de Tecido de Frei Galvão” de Guaratinguetá. 
No Armazém, o público encontrará esculturas, produtos em barro e argila, quadros e móveis, entre eles, os “Barcos, Canoas e Remos Decorativos” de Caraguatatuba, “Artesanato Quilombola” de Eldorado, “Esculturas em Cerâmica de Argila e Terracota” de Embu das Artes e muito mais. 
No espaço Aldeia, bijuterias, chocalhos, chaveiros, canetas, ervas medicinais e uma variedade de artesanatos indígenas serão expostos e comercializados. Peruíbe traz “Bolsas de Palha e de Fibra de Coroá”, Osasco apresenta
Experiência imersiva 
A 22ª edição do Revelando SP é a maior já realizada, tanto no que diz respeito ao número de artistas e criadores participantes quanto ao de cidades envolvidas. Há também uma série de atrações novas e a criação de um ambiente imersivo, que proporciona ao público diversas experiências com a cultura popular e tradicional do Estado. 
Entre as novidades está uma instalação cenográfica que levará o público a uma viagem pelo Estado de São Paulo a bordo de um trem com janelas que projetam vídeos de paisagens e marcos de cada região. A atração vai oferecer aos visitantes a oportunidade de conhecer melhor as cidades dos artesãos e produtores que estarão expondo suas criações no evento. 
A cenografia tem a assinatura do artista Zé Carratu, que já realizou projetos para televisão, cinema, teatro, shows e exposições, como Criança Esperança, abertura das Paralimpíadas e apresentações de artistas como Gal Costa e Chitãozinho & Xororó.
  
Local
 Em 2019, o Revelando SP retorna ao Parque da Água Branca, espaço do Governo do Estado que já sediou edições anteriores do evento e possui fácil acesso à população, a 850m da estação Palmeiras-Barra Funda do Metrô. O local é atendido também por diversas linhas de ônibus e possui estacionamento próprio.
 O evento tem entrada gratuita e atrações para todas as idades.
 
Serviço
 Revelando SP 2019
Datas: 13 a 17 de novembro
Horário: 10h às 20h
Local: Parque da Água Branca (Av. Francisco Matarazzo, 455 - Água Branca, São Paulo – SP)

Estamos Juntos” é a atração do Ponto MIS

Neste mês de novembro, o Ponto MIS está exibindo filmes que mostram sexualidades. Conhecer e entender as próprias diferenças e como elas se apresentam na vida em sociedade, a descobertas, os medos, e a superaçã são os enfoque sobre as abordagens sobre gênero e orientação sexual em diferentes contextos e como o preconceito e os obstáculos são enfrentados por cada narrativa nos filmes que compõem a programação.
Nesta terça-feira, dia 12, a atração é o filme “Estamos Juntos (Brasil, 2011 - 95 minutos - 14 anos). Carmem (Leandra Leal) é uma talentosa médica que tem uma vida independente em São Paulo, uma aventura amorosa com o músico argentino (Nazareno Casero) e uma relação de intimidade com um enigmático homem. Mas sintomas de uma doença grave surgem na rotina desta médica residente e sua vida se transforma para sempre.
A exibição do filme acontece na Sala Dilo Gianelli, no Theatro Municipal, às 19h30, com entrada gratuita.

Exposição "O Pasquim 50 anos" rememora espírito irreverente e revolucionário do semanário carioca


Sesc Ipiranga comemora cinquentenário da publicação ao revisitar sua história

Apartir do dia 19de novembro, o Sesc Ipiranga recebe a exposiçãoO Pasquim50anos, que comemorao aniversário demeio século da primeira edição do jornal cariocafundado em 1969. Com curadoriadeZélioAlves PintoeFernando Coelho dos Santos, a abertura da exposiçãoacontece conjuntamente ao lançamento da página do Jornal na plataforma digital da Biblioteca Nacional, a qualdisponibilizarátodas as edições do periódico para pesquisa.

O Pasquimsurgiu no final da década de 60 como um projeto do cartunista Jaguar edos jornalistas Tarso de Castro e Sérgio Cabral. Jovial edebochado,tornou-se símbolo do jornalismo alternativo durante a ditadura civil-militar brasileira, regime instaurado entre 1964 e1985. Seu ar cômico e irreverentedesafiava os preceitos morais da elite carioca. Reportagens e artigos comportamentais que falavam sobre sexo, drogas e divórcio, conquistavam leitores e promoviam discussões singulares para a época.

Responsável por realizar um jornalismo maisoralizado, o semanário ficou conhecido por suas longas entrevistas, feitas principalmente em ambientes festivos, cheias de intromissões dos colaboradores. Batizada de"a patota",as reuniões de pauta uniam jornalistas, cartunistas e intelectuais como Millôr Fernandes, Ziraldo, Jaguar, Chico Buarque, Ivan Lessa, Paulo Francis, Vinícius de Moraes, Glauber Rocha, Odete Lara, CarlosPrósperi,Sérgio Augusto, Henfil, Fortuna, Cacá Diegues, Miguel Paiva, CarlosLeonam, entre tantos outros.

A exposição

Definida como uma exposição "eminentemente gráfica" por Daniela Thomas, cineasta e cenógrafa que assina a expografia junto a FelipeTassarae StellaTennenbaum, a história do semanário ocupa toda a Unidade com diferentes formatos.

Na Convivência, área destinada principalmente a leitura e encontro,aintervenção O Som do Pasquimt raz discos de vinillançados ao longo da história do jornal. Com fones de ouvidos e banquinhos, a estruturaapresenta obras comoaprimeira gravação deÁguasde Março,de Tom Jobim, produção que lançou João Boscono lado B; Caetano Velosolançando Fagner;JorgeBem e Trio Mocotócomparticipação de Leila Diniz;entre outros.Além disso, ovisitante pode ouvir oLP Anedotas do Pasquim compiadas contadas por Ziraldo, ChicoAnisio, Golias e Zé Vasconcelos. Ainda no espaço, uma Linha doTempo que através de 50 capas, e textos complementares, proporcionamuma viagem pelo tempoentre 1969 e 1991, ano da última publicação do periódico.

O Quintal da Unidade recebe diferentes intervenções:As Máximas do Pasquim, coletânea de frases lema que foram publicados em todas edições, entre elas"Pasquim, um jornal a favor do contra" e "Na terra de cego quem lê Pasquim é rei" ocupam a parede do solário.

Estruturas giratóriasqueapresentam quadrinhos de diferentes artistas também são destaque na exposição. Cerca de 12 produçõesinéditastrazem Histórias da Patota contadas porartistas comoPaulo Caruso,Luiz Gê, Miguel Paiva ePryscilaVieira.

Na área superior,a Praça de Ipanemar elembra o famosobairro cariocaonde oPasquim nasceu e fez sucesso.

No Galpãoda unidade, uma Redação com 26 rotativas de diversos trabalhos publicados é recriada para o público imergir na realidade do periódico. Uma mesa-vitrine traz fotos, livros e revistas selecionados pela curadoria. Além disso, os visitantes também podem ouvir histórias dos colaboradores em um telefone e redigir suas ideias em uma máquina de escrever.

Em frente a principal áreaexpositiva,o espaço Turma do Pasquim exibecerca de33 integrantes dapatotaem homenagem aos mais de 4 mil colaboradores do jornal.Nomes como Millôr, Chico Buarque,Caetano Veloso,Vinicius de Moraes,JôSoares eElkeMaravilha sãorepresentados em tamanho realacompanhados por uma curta biografia.

Também na área externa, A Gripe do Pasquimr evive o momento em que onze integrantes do semanário foram presos. O motivo da detenção teria sido uma brincadeira: entre os conteúdos da 71ªedição eo quadroIndependência ou Morte, de Pedro Américo, que ganhouum balão sobre a cabeça deDomPedro Iquedizia: "Eu queromocotó! ".Nesse espaço serão apresentadas histórias dapatotano "tempo de xilindró"através de vídeos, cartuns censurados e diversos outros registros.

Outras duas salas brincam com as diferentes formas que os redatores trabalhavam astemáticas da época. Na sala Pasquim Ativistac artazes e placas com frasescobrem as paredes e rememoram o comprometimento do semanário com assuntos como a sustentabilidade, anistia e asdiretas já.O segundo espaço, denominado Pasquim Incorreto, é composto por módulos quelembrammonóculos, etrazrecortes de diversosconteúdosque fizeram parte da publicação, com a proposta deque sejam vistos pelas lentes do passado eprovoquem reflexões sobre o presente.

Para Fernando Coelho dos Santos, um dos curadores da exposição, "a seleção dos trabalhos que compõem a exposição propõe um olhar na trajetória desse periódico de humor através da história dos costumes e da política brasileira, tendo como protagonistas autores geniais que, mesmo nas dificuldades, mantiveram o jornal rodando. "

Sobre a plataforma

Conjuntamenteaexposição,aFundação Biblioteca Nacionallançaum site dedicado ao semanário. Além de todas as 1.072 edições digitalizadas, a plataforma possibilita a pesquisa no conteúdo por meio depalavras-chaves. O trabalho de digitalização levou mais de um ano eteveo apoio da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e do cartunista Ziraldo, que cederam exemplares para completar a coleção da Biblioteca Nacional,além da colaboração deFernando Coelho dos Santoscom a produção de conteúdo.

A plataforma conta também com uma seção de "memórias", com textos produzidos por colaboradores do Pasquim e índices de seções do jornal, trazendo uma nova experiência para o público. Foram identificados mais de quatro mil colaboradores e mais de 200 seções ao longo dos 22 anos em que o Pasquim circulou.

Digitalizadas e disponíveis no portal de periódicos da Biblioteca Nacional - a Hemeroteca Digital Brasileira - a plataforma integra um acervo de mais de sete mil títulos históricos em formato digital.

Serviço

Abertura:dia19 de novembrode 2019, às 19h

Visitação:20/11 de 2019 a 12/4de 2020

Terça asexta, 9h às 21h30

 Sábados, 10h às 21h30

Domingos e feriados, 10h às 18h30.

Grátis

Sesc Ipiranga

Rua Bom Pastor, 822 - Ipiranga | (11) 3340-2000

Paula Santisteban no Theatro Municipal e Walgra Maria no Baile na Praça


Duas artistas são destaques no último final de semana de outubro. O show da cantora e compositora paulistana Paula Santisteban acontece na noite destesábado, dia 26, às 20h30, no Theatro Municipal de São João da Boa Vista. A entrada é gratuita.

A artista traz para São João uma versão intimista do seu disco produzido por Carlos Eduardo Miranda. Ao lado do guitarrista e parceiro de composições Eduardo Bologna, Paula destaca o repertório do seu material, canções inéditas do seu próximo trabalho e releituras de compositores como Elliot Smith, Chico Buarque, Ray Charles, entre outros.

De família de músicos e artistas, Paula estudou canto lírico com Mariuccia Lourenção, violão clássico com Silvio Santisteban e piano com seu pai, Rubens Santisteban. Escritora e educadora, é idealizadora do projeto Música em Família que leva arte e música para mais de 400 instituições de ensino pelo Brasil, com o qual já lançou 2 discos e 4 livros de poemas e músicas, todos compostos e produzidos em parceria com Eduardo Bologna. 

“Baile na Praça” com Walgra Maria

Um show diferente, que será interpretado pela cantora Walgra Maria está marcado para a noite dedomingo,27 de outubro, às 20h00, no Fonteatro Emílio Casline, na Praça Cel Joaquim José.

Será a primeira vez que a compositora, violonista e percussionista estará abrilhantando o Baile na Praça, e faz um convite especial para que o púbico compareça ao show e embarque numa rica viagem musical.

“Eu vou fazer um show bem eclético, mas focar bastante no xote, baião e [ritmos] mais alegres como o samba e músicas dos meus recentes CDs. Quero fazer uma viagem por esse universo regional da música”, afirma Walgra.

No palco, com seu violão, ela estará junto com o percussionista Rubinho Freitas, músico da Orquestra Jazz Sinfônica de São João.  No show, o públicoterá a oportunidade de ouvir uma lista de obras de Alceu Valença, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, entre outros renomados artistas.

Canções que fizeram sucessos nas vozes de Roberto Carlos, Tim Maia e Jorge Ben Jor, assim como os clássicos do samba de Adoniran Barbosa e Ivone Lara também constam no repertório da noite.

Organizado pelo Departamento Municipal de Cultura, o “Baile na Praça” é realizado no últimodomingode cada mês, sempre na folga da Banda Dona Gabriela.

A ARTISTA

Walgra nasceu em Pindamonhangaba (SP), mas desde o início da década de 1970 reside em São João. Ao todo, são 32 anos de carreira. Em 1999, após diversas exibições em festivais regionais e eventos importantes, a cantora fez sua primeira turnê pela Europa, acompanhada de seus irmãos também músicos.

Talento musical desde a infância, Walgra também carrega no currículo musical participação no renomado Festival “Viola de Todos os Cantos”, realizado pela EPTV/Globo, ocasião em que conseguiu ser finalista do evento.

No exterior, especialmente na França, teve a oportunidade de lançar o CD “Fantasias e Canções”, em parceria com sua irmã Valdette Carvalho, pianista e arranjadora.

O álbum mais recente de Walgra é o “Estrelas”, gravado em 2018, com obras de autoria de poetas de São João.  

Governo de SP inaugura MIS Experience com exposição sobre Da Vinci

Museu da Imagem e do Som ganha novo espaço voltado para experiências imersivas e interativas e homenageia gênio do Renascimento

Um novo espaço cultural do Governo do Estado, o MIS Experience, será aberto ao público a partir do dia2 de novembro, com a exposição “Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio”. Trata-se de uma experiência imersiva, que possibilitará ao visitante conhecer a vida e o legado de Da Vinci por meio de uma mostra interativa inédita no país. 

Considerada a investigação mais completa e detalhada sobre o trabalho de Leonardo da Vinci já feita, a mostra apresenta 18 áreas temáticas que contam a trajetória do grande gênio renascentista e trazem réplicas de máquinas desenhadas pelo artista italiano.

 Os visitantes terão  ainda uma experiência multissensorial com animações gráficas em alta definição, combinadas a conteúdo multimídia e narrativa em áudio, o que permitirá uma vivência divertida, educativa e esclarecedora voltada para pessoas de todas as idades e interesses. O público terá a oportunidade de conhecer, pela primeira vez, as realizações do homem que lançou as bases para algumas das invenções mais notáveis da sociedade moderna, como o helicóptero, o automóvel, o submarino, o paraquedas e a bicicleta.

Criada em parceria com o Museo Leonardo da Vinci, em Roma, e contando com a colaboração de diversos especialistas e historiadores da Itália e da França, a exposição foi concebida pela Grand Exhibitions, empresa sediada em Melbourne, na Austrália, com escritórios no Reino Unido e nos EUA.

“Leonardo da Vinci - 500 Anos de um Gênio” também traz a área “Segredos de Mona Lisa”, uma análise profunda da pintura mais famosa do mundo, realizada no Museu do Louvre por Pascal Cotte, renomado engenheiro, pesquisador e fotógrafo de obras de arte.

O MIS Experienceterá uma área expositiva de 1,7 mil metros quadrados e outros 800 metros quadrados de área de projeção. O espaço resulta de uma parceria com a Rádio e TV Cultura e amplia o trabalho realizado pelo Museu da Imagem e do Som de São Paulo, que agora conta com dois espaços para exposições. O MIS é uma instituição cultural do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa e gerida pela organização social Paço das Artes.

Serviço:

MIS Experience

Data:2 de novembro2019 a 1º de março de 2020

Endereço: Rua Vladmir Herzog, 75

Horário: Deterça-feira adomingo, das 10h às 20h.

Valor: R$ 40,00 (sábados, domingos e feriados) e R$ 30,00 (dequarta-feira asexta-feira). Meia entrada para estudantes e acima de 60 anos. Entrada gratuita àsterças-feiras.

Grupo Trapo encena duas peças na Estação das Artes

Os dois espetáculos têm entrada gratuita

Duas peças dos gêneros infantil e dramático, com atores do Grupo Trapo, de São Paulo, serão interpretadas no próximo final de semana, no Teatro da Estação das Artes João Roberto (Beto) Simões.

“A Menina que Andava Sobre Terra Luz” e “As Desmemórias da Marquesa de Rabicó” são os dois espetáculos agendados para São João da Boa Vista; ambos com entrada gratuita. 

O Departamento Municipal de Cultura informou que as exibições fazem parte do Projeto Circulação “Grupo Trapo Sem Fronteiras”, iniciativa aprovada por meio de leis de incentivo, e têm a proposta de mostrar os dois espetáculos em diversos municípios paulistas.                                            

NO SÁBADO

“A Menina que Andava Sobre Terra Luz” é a peça agendada para a noite desábado, dia 19, às 20h00. Com 60 minutos de duração, o conteúdo destaca a situação de Maria, uma menina que nasceu e cresceu num sertão seco e com muitas mazelas. 

O texto ainda mostra a protagonista, ao despertar de um sono profundo, se vê num lugar distante, sozinha e sem as pessoas que amava por perto. Sem consciência, ela é guiada por personagens que a fazem reconhecer a condição real na qual se encontra e nunca havia sido explicada.

NO DOMINGO 

Já na manhã dedomingo, dia 20, às 11h00, os atores voltam ao palco da Estação das Artes para a interpretação do espetáculo infantil “As Desmemórias da Marquesa de Rabicó”, baseado na obra de Monteiro Lobato. 

Na peça, de 40 minutos, Emília (A Marquesa de Rabicó), a boneca mais famosa do mundo da literatura infanto-juvenil, resolve escrever suas “desmemórias”, que segundo ela, são memórias com meias verdades contadas do seu jeito.

A produção reforça ser um espetáculo dedicado para toda a família.

Grupo Trapo

Criado na capital paulista, em 2000, pelo diretor Muriel Vitória, o Grupo Trapo desenvolve trabalhos baseados em comportamentos humanos e cultura popular, utilizando como expressão e estética os elementos corporais pautados no Teatro de Investigação Corporal.

Partindo de histórias reais, Denise Fraga é destaque em “Eu e Você”

   A peça teatral EU DE VOCÊ com solo de Denise Fraga criada pela atriz, por Luiz Villaça e José Maria foi baseada em histórias reais. Rompendo a fronteira entre o palco e platéia, fator e ficção, experiências de vida ornadas pela arte, ampliam a empatia entre o teatro e o espectador.

   Obra teatral inspirada em narrativas literárias, poéticas e auto-biográficas de renomados autores. Denise Fraga menciona vivamente que a arte ajuda a gente à viver, que quem lê Fernando Pessoa e Dostoievski no mínimo vai sofrer mais bonito, porque seu sofrimento é o mesmo dos poetas.

   Teatro é um ritual de reflexão. Texto que ouvimos através da representação de Denise Fraga foi construído com pérolas da literatura, música, imagens e poesia. Versátil atriz, interpreta com categoria um texto magnífico contido no esplendor que é o teatro com seus dramas e comédias. Sua presença em cena se eleva eis que nada é mais desafiador na arte da representação teatral quanto o monólogo, pois esse o ator não tem a cumplicidade de elenco maior.

   Denise Fraga se encontra no apogeu mental e físico de suas atividades de consumada atriz na arte da representação. Dotada de inata empatia com público cativo à interprete concede no monólogo Eu de Você um estupendo trabalho em cena raramente visto nos palcos brasileiros.

   Narrações reais trazem uma mensagem de vida intensa, por vezes contundentes, por vezes hilariantes, como a passagem de despertar pela manhã absorvida pelo cotidiano de envolvimento por todo o aparato matutino, desde a higiene pessoal, da refeição matinal para toda a família, tirar filhos emperrados da cama no sono para levar à escola, e em seguida rumar para trabalhar o dia todo, frente ao computador, tendo para controlar sua atividade não um chefe, mas de acordo com a palavra atual em moda, um gestor! 

   Suas ações em cena são acompanhadas de vigoroso gestual físico. Pelo "Stage" seu corpo extrapola sucessivos movimentos, que vão dos saltitamentos à quedas corporais no solo.

   O público delira nas passagens vividas pela autora do texto, como a descritiva relação do pai, um cantor fracassado. Aplaude no que esta a ver, e se identifica com a narradora no que está assistindo. 

   Insiste dizer que para ultrapassar o afitivo viver só há um caminho que é o amor que soma, aflora e evolui o ser humano à perfeição espiritual. Embora o monólogo exponha a atriz estar só no palco, em nenhum momento esteve só, pois tinha junto de si enorme quantidades de pessoas amando Denise Fraga.   

   Luiz Villaça dirige à perfeição a atriz Denise Fraga com correta marcação, amplitude gestual, envolvendo a narração, preciosa dicção da intérprete.

   Com cenário admirável, incidência de luz realça a encenação por criação de Fernanda Maia, um atraente score musical de autoria ainda de Fernanda Maia, Clara Bastos e Priscila Brigante sustenta o que estamos a contemplar.

Serviço ao leitor:

Peça teatral: EU DE VOCÊ

Idealização e criação de Denise Fraga, José Maria e Luiz Villaça.

Com Denise Fraga.

Direção: Luiz Villaça

Produção: José Maria

Onde: Teatro Vivo (274 lug) 

Av. Dr. Chucri Zaidan, 2460 - Morumbi

Hor.Sextaàs 20h/Sáb. às 21h./Dom. 19h.

Quanto:SextaR$50 /Sáb. eDom. R$70

Gênero: Comédia dramática - 80 minutos

Até:15 de dezembro

Avaliação: Excelente

Teatro de Bonecos no Theatro Municipal - Senhor dos Sonhos

Neste próximo final de semana são duas as atrações no Teatro Municipal. No sábado, dia 12, às 20h30 o Grupo Blackout encena “A Mansão”. A peça narra a história de quatro amigos que vão acampar e na aventura encontram uma mansão, e ali resolvem passar a noite. A partir daí, uma história assustadora, engraçada e cheia de mistérios.

A produção do espetáculo é de Carlinhos Reis, direção de Lucas Brassaroto, e no elenco estão: Amy Costa, Carol Godoy, Gustavo Henrique, Juninho Gimenes, Kaio Godoy, kleyton Mathias, Letícia Publiesi, Lourenço Zanelo, Nicole Felix, Rodrigo Machado e Victoria Caroline.

Os ingressos são de R$ 16,00

TEATRO DE BONECOS

No domingo, dia 13 de outubro, a Companhia Truks vai apresentar no Theatro Municipal, às 18h00, o espetáculo infantil “O Senhor dos Sonhos”. O espetáculo chega a São João através de uma parceria entre o SESC/São Carlos e a Prefeitura Municipal, através do Departamento de Cultura, e terá entrada gratuita.

O espetáculo foi indicado e venceu vários prêmios, como o Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Canela (RS), e conta a história de Lucas, um velho e bem sucedido escritor, que relembra os tempos de sua infância, quando era um menino criativo, engraçado, simpático e, principalmente, sonhador! Se não navegava pelos sete mares, certamente estava a pilotar alguma nave espacial em planetas longínquos. E, como sempre, atrasado para ir à escola ou esquecido de suas lições e obrigações.

O "Senhor dos Sonhos", ao confrontar as mirabolantes aventuras de Lucas com a necessidade que o menino tem de "ajustar-se" às regras sociais, é um espetáculo que discute, mesclando momentos divertidos com outros de delicada e leve poesia, o conflito em que vivem as crianças, ao terem que se equilibrar, como que sobre uma corda bamba, entre a fantasia e a realidade.

No elenco da Companhia Truks estão Priscila Castro, Emerson Barros, Maria Angélica Prioste, Luciana Semensato, Driely Palácio e Aguinaldo Rodrigues. Formada na capital paulista em 1990, a Truks apresenta seus espetáculos de repertório em teatros, escolas, instituições ou espaços alternativos de todo o Brasil. 

Coletiva de imprensa inaugura abertura da 43ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

   Coletiva de Imprensa da 43a. Mostra Internacional de Cinema foi realizada neste sábado, dia5 de outubro,na moderna sala do Espaço Itáu de Cinema Augusta com a presença dos patrocinadores e a diretora do evento Renata de Almeida para uma platéia de jornalistas brasileiros e estrangeiros.

   Após pronunciamentos dos representantes dos "Sponsors" Renata de Almeida fez uma brilhante digressão sobre o panorama da Mostra de Cinema deste ano que contará com as mais significativas películas da mais recente safra contando com filmes premiados nas mostras oficiais realizados em vários países do mundo.

   Renata disse ainda que o problema da Mostra é a sustentação econômica pois o custo ascende à cada ano. Contando com parceiros fiéis como Itaú Cultural, Sabesp, SPCINE, SESC, E CPFL conseguiram equilibrar o "Budget" e a Mostra floresce em todo seu esplendor com 300 filmes para uma legião de cinéfilos. O Cartaz e Vinheta desse ano são de autoria de Nina Pandolfo, conhecida pintora paulistana.

   Terminada a Coletiva foi exibido o curta Nimic, de Yorgos Lanthimos, diretor grego nascido em 1973, já conhecido da Mostra. Ano passado na 42a, MIC foi exibido o filme Favorita, de sua autoria, vencedor de um Oscar. Conta a história de um violoncelista profissional que encontra um estranho no metrô. Exposição de duplicidade de seres. Incomunicabilidade, distanciamento do homem que se abstrai de ver o que passa à sua volta.

   Em seguida foi projetado em primeira mão o filme Parasita (Parasite) do coreano Bong Joon-Ho nascido em Daegu, na Coréia do Sul em 1969. Diretor muito conhecido na Mostra com vários filmes projetados anteriormente, entre eles o encantador Okja (2017). O filme narra o (Plot) de um família bastante unida, mas precisa conviver com o desemprego e com um futuro sombrio. Os personagens dotados de dupla personalidade mediante artifícios conquistam a confiança de pessoas para obterem a colocação de empregos e ganhos fáceis se intitulando serem profissionais idôneos, quando na verdade não passam de meros parasitas sociais.Este filme ganhou a Palma de Ouro do Festival de Cannes e foi indicado pela Coréia do Sul para a vaga no Oscar de Melhor filme Estrangeiro.

Locais das exibições, endereços e títulos dos filmes contatar: site:www.mostra.org