Qui07092020

Last update11:55:17 AM

 

Back Você está aqui: Home :: Mais +++ Artigos FORMAS E FORMAS

Artigos

FORMAS E FORMAS


Não dá mais para ficar parado.

Ouvindo a CBN, o analista, desses que dão dicas sobre tudo, aconselhou o uso do NIKE TRAINING para exercícios caseiros. Utilizava o NIKE RUN para as minhas corridas de rua. Como estou proibido, por enquanto, pela sociedade e pela minha filha Letícia, aderi ao novo modelo para manter a forma. Necessário, pois tenho mantido a forma (ô) e não a forma (ó) e, se continuar desse jeito, não sei onde irei parar. Minha vida, acho que a de todos, virou de ponta cabeça. As únicas pessoas que ouvi falar que emagreceram na pandemia, até agora, foram a minha irmã Regina e o rapaz da CBN para vender a ideia do novo aplicativo. O resto dos mortais estão pedindo a Deus que a crise passe logo.

De vez em quando, dá umas vontades malucas. Ontem queria assistir a um faroeste. Não um qualquer, queria daqueles de tinir balas pelos cômodos da casa. Fui buscar no NETFLIX e nada encontrei. Dos bons filmes que conhecia, só havia dois ou três disponíveis. Infelizmente, já os havia assistido. Poderia ter pedido uma dica para o Chico Lopes. Aí sim, não teria erro. Como não o fiz, parti para a panificação. Inventei fazer pão com linguiça. Sim senhores! Já havia feito com queijo e presunto, não deu muito certo, o queijo evaporou por completo, mas o presunto ficou à espera das minhas mordidas. Agora, o com linguiça ficou muito bom. Fiz pouco, foi um teste, para ver se daria certo, por isso não ofereço. Perdoe-me, Lauro. Quando fizer uma quantidade que extrapole os comensais caseiros, posso dividi-los com os leitores. Por enquanto, não tenho a prática de Cristo para duplicar o que quer que seja. A não ser as banhinhas que passaram de localizadas para generalizadas.

Da crônica da semana passada sobre balas de leite, a Luciane, agora, quer que façamos aqui em casa. Questionei: “Quem vai comer as balas?” Jogou para a filha. Afirmou peremptoriamente que ela gostava. A Letícia, que estava distante, na espreita, ouvindo como sempre, interveio: “Acho que nunca comi uma bala de leite!” Como pode uma pessoa nunca ter provado uma bala de leite? Pensei comigo. É melhor encontrar o dia apropriado e fazer uma receita pequena. Minha filha precisa, urgentemente, provar essa doce lembrança. Bye.