Seg03082021

Last update04:06:58 PM

 

Back Você está aqui: Home :: Mais +++ Artigos Conheça-te

Artigos

Conheça-te

Conheça-te

É preciso sonhar,

Nem que essa seja a última gota de prazer.

Um brinde com a própria loucura,

Um degustar dos petiscos da solidão.

Um só, que não é de gente,

Um só que é de si.

Um só que se isola exausto,

Que ora por paz em meio à guerra.

Mas a paz não vem,

Só a guerra é companheira.

Então, antes só do que mal acompanhado.

Toda a harmonia será sem graça.

Seria estética sem o pecado humano,

Mas todo o conflito também se esvai.

Perde-se no movimento sem ritmo

No ondular caótico que nada faz,

No desgosto que não alimenta.

Na fome de existência

Daquele que já não quer mais ser.

E ser é tanto, pesa tanto.

Quanto alivio haveria no nada.

Não o nada da destruição,

Mas o nada antes do constituído,

O nada incriado,

Na página limpa,

No potencial puro

Que ainda não se tornou concreto.

Um nada abstrato,

Onde o vazio parece preenchido,

E nisto se baseia a aventura de tanto ser,

No exaurir-se de ser,

Do não querer.

E então a questão,

A primeira afirmação:

Não seria a negação original?

E como ser original ao negar algo?

Original é negar nenhum.

Depois de tanto,

Apenas entender

Que do contraste de ser ou não

Não existe escolha,

Há que ser.