Qui06302022

Last update02:24:00 PM

Back Você está aqui: Home :: Mais +++ Artigos SÍLABAS DE POEIRA CÓSMICA

Artigos

SÍLABAS DE POEIRA CÓSMICA

 

Do pó terra, ao surgir da água, que constitui a argila,

Poeira cósmica a constituir uma partícula de universo.

Uma parte de Todo, que se faz cigana perdida da origem.

Como que cometa a vagar em busca de um pouso definitivo.

Ao ser parte se sentir aprisionado no limite de ser,

Sentir a perda da liberdade absoluta que está na gênese.

Não há encanto que atinja tamanha contemplação,

Mas apenas um vestígio de saudade,

De sensação de pátria perdida.

De que houve um sonho que a realidade desconstruí.

E por um mísero instante perceber que o tempo não existe,

Que o começo, o meio e fim, pouco é perante o absoluto,

Tão pouco que parece dar a sensação de ser nada.

Daí que somente a resignação, somente a humildade,

Consegue se aproximar de ser tão ínfimo e ainda assim existir.

Não precisa de asas, mas tem a sensação do voo da alma.

E em sendo velha alma apenas anseia encontrar a paz.

Percebe o quanto o silencio está cheio de segredos,

Mas que a Voz lhe murmura aos ouvidos.

E neste momento, não se faz presente apenas a audição,

Pois que o Ser tem todos os sentidos em plenitude.

A linguagem é apenas exercício

Em que parte apenas busca se inserir no Todo.

Em que a descrição, se transforma em prosa,

Para, por fim,  

As métricas gramaticais libertarem-se em poesia.

E na poética estar a revelação,

Pois que é ela que sabe trilhar o caminho de dentro.

É ela que permite o encontro com a própria alma.

É o conheça-te ti mesmo vivenciado

Em descoberta e consolo que esclarece.

É portal em que a razão nas asas da fé,

Através do exercício da Justiça,

Desvenda o Amor.

E em sendo o justo que ama de fato,

Saberá que estará pronto para o retorno a casa paterna,

Estará pronto para confiar num incerto.

Terá a dúvida, mas a confiança.

Se ilusão ou não. Quem sabe?

Quem pode saber?

Apenas o coração pode sentir

E o cérebro pouco a pouco

Tem acesso aos lampejos de Luz.

Não é um amém para palavras vazias,

Mas um amém de gratidão

Que desconhece ao que se agradece,

Que vê nesta uma ponte

Para o grande Autor,

O Poeta da criação.