Sab12162017

Last update02:23:11 PM

SANTA_CASA_PROP_1.jpg

Back Você está aqui: Home :: Mais +++ Evangelho do dia Evangelho do dia

EVANGELHO DO DIA

Evangelho do dia – Pão da vida!

Quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 - 4ª Semana do Advento

Lucas 1,57-66
57 Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58 Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59 No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60 A mãe, porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61 Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62 Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse. 63 Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. E todos ficaram admirados. 64 No mesmo instante, a boca de Za­carias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65 Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Ju­deia. 66 E todos os que ouviam a notícia ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele. - Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.

Reflexão
Santo Inácio de Antioquia, que também foi bispo e mártir, escreveu esta bela reflexão - "Seremos reconhecidos pelos frutos."
O nascimento de João o Baptista está repleto de milagres. Um arcanjo anunciou a vinda de Nosso Senhor e Salvador, Jesus; igualmente, um arcanjo anuncia o nascimento de João (Lc 1, 13) e diz: «será cheio do Espírito Santo já desde o ventre da sua mãe» (Lc 1, 16). O povo judaico não via que Nosso Senhor realizava «milagres e prodígios» e curava muitas doenças, mas João exulta de alegria estando ainda no seio materno; não se consegue detê-lo e, à chegada da mãe de Jesus, a criança tenta sair do seio de Isabel: «Pois, logo que chegou aos meus ouvidos a tua saudação, o menino saltou de alegria no meu seio» (Lc 1,44). Ainda no seio de sua mãe, João recebeu o Espírito Santo . A Escritura diz depois: «E reconduzirá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus» (Lc 1, 16). João reconduziu «um grande número»; o Senhor não reconduziu apenas um grande número, mas todos. Com efeito, a Sua obra é reconduzir todos os homens a Deus Pai . A meu ver, o mistério de João realiza-se no mundo até aos nossos dias. Todo aquele que está destinado a crer em Cristo Jesus necessita primeiro que o espírito e a força de João entrem na sua alma para «proporcionar ao Senhor um povo com boas disposições» (Lc 1, 17) e para que, nas asperezas do seu coração, toda a ravina seja preenchida, todo o monte e colina sejam abatidos. Não foi apenas naquele tempo que os caminhos foram aplainados e as veredas endireitadas (Lc 3, 5); ainda hoje o espírito e a força de João precedem o advento do Senhor, nosso Salvador. Ó sublimidade do mistério do Senhor e do Seu desígnio sobre o mundo!

EVANGELHO DO DIA

Evangelho do dia – Pão da vida!

Terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Lucas 1,46-56
Naquele tempo, 46 Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47 e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48 porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49 porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50 e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem. 51 Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52 Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53 Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54 Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55 conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56 Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa. - Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.


O texto muito bonito de Ludolfo de Saxe (1300-1374), dominicano, intitulado: «Pôs os olhos na humildade da Sua serva» (Lc 1, 48) diz que: "...
A escolha de Maria, feita por Deus entre todas as mulheres para Se revestir da nossa carne, foi também prefigurada pelo manto de Gedeão (Jz 6, 36 ss.)... A Virgem Maria é este manto com o qual Jesus fez para Si uma túnica. O manto de Gedeão recebeu o orvalho do céu sem ficar adulterado; Maria concebeu o Homem-Deus sem alterar a sua virgindade

EVANGELHO DO DIA

Evangelho do dia – Pão da vida!

Sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 – 3ª Semana do Advento

Mateus 1,18-24
18 A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19 José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20 Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21 Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. 22 Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”. 24 Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa. - Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.

Reflexão
Deus intervém na vida de uma moça, ou melhor, de uma adolescente. O grande diferencial de Maria é que ela soube dar primazia ao grande amor, que é Deus. Ela escuta Deus. E por ter escutado e deixado Deus falar, e por ter dado crédito ao desejo do Altíssimo é que ela se torna grande e se evidencia entre todas as pessoas. Maria, obedecendo a Deus, sai do anonimato: "Eu sou a tua serva, faça-se em mim segundo a tua vontade". E José? Nada sabemos dele antes destes fatos bíblicos. O que podemos deduzir é que devia ser alguém muito especial. Do contrário, Deus não o teria escolhido para ser o pai adotivo do menino Jesus. E a Sagrada Escritura diz tudo sobre ele, dizendo tão somente que era justo. Ser justo, no contexto bíblico, era ser cumpridor dos Mandamentos. Daqui concluímos que devia ser um moço muito especial, dado à santidade de vida.

EVANGELHO DO DIA

Evangelho do dia – Pão da vida!

Segunda-feira, 21 de dezembro de 2015 - 4ª Semana do Advento

Lucas 1, 39-45
39 Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40 Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42 Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43 Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44 Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 4 5Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. - Glória a vós, Senhor.

Reflexão
Hoje a reflexão é a transcrição do texto escrito por Madre Tereza de Calcutá, que será canonizada brevemente. Vale a pena refletir sobre estas afirmações...
«Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se à pressa para a montanha».
Depois de ter sido visitada pelo anjo, Maria foi a correr ter com a sua prima Isabel, que estava grávida. E a criança que ia nascer, João Batista, saltou de alegria no seio de Isabel. Que maravilha! Deus todo poderoso escolheu uma criança que ia nascer para anunciar a vinda do Seu Filho! Pelo mistério da Anunciação e da Visitação, Maria representa o próprio modelo da vida que devíamos levar. Primeiro, acolheu Jesus na sua existência; depois, partilhou o que recebeu. Cada vez que recebemos a Sagrada Comunhão, Jesus, o Verbo, torna-Se carne na nossa vida - dom de Deus, ao mesmo tempo belo, gracioso, singular. Assim foi a primeira Eucaristia: o oferecimento por Maria do seu Filho, que estava nela, nela em quem Ele tinha estabelecido o primeiro altar. Maria, a única que podia afirmar com absoluta confiança: «Isto é o meu corpo», ofereceu, a partir deste primeiro momento, o seu próprio corpo, a sua força, todo o seu ser, para a formação do Corpo de Cristo. A nossa Mãe, a Igreja, elevou as mulheres a uma grande honra diante de Deus, ao proclamar Maria Mãe da Igreja.

EVANGELHO DO DIA

Evangelho do dia – Pão da vida!

Quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 – 3ª Semana do Advento

Mateus 1,1-17
1 Livro da origem de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. 2 Abraão gerou Isaac; Isaac gerou Jacó; Jacó gerou Judá e seus irmãos. 3 Judá gerou Farés e Zara, cuja mãe era Tamar. Farés gerou Esrom; Esrom gerou Aram; 4 Aram gerou Aminadab; Aminadab gerou Naasson; Naasson gerou Salmon; 5 Salmon gerou Booz, cuja mãe era Raab. Booz gerou Obed, cuja mãe era Rute. Obed gerou Jessé. 6 Jessé gerou o rei Davi. Davi gerou Salomão, daquela que tinha sido mulher de Urias. 7 Salomão gerou Roboão; Roboão gerou Abias; Abias gerou Asa; 8 Asa gerou Josafá; Josafá gerou Jorão. Jorão gerou Ozias; 9 Ozias gerou Jotão; Jotão gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias; 10 Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amon; Amon gerou Josias. 11 Josias gerou Jeconias e seus irmãos, no tempo do exílio na Babilônia. 12 Depois do exílio na Babilônia, Jeconias gerou Salatiel; Salatiel gerou Zorobabel; 13 Zorobabel gerou Abiud; Abiud gerou Eliaquim; Eliaquim gerou Azor; 14 Azor gerou Sadoc; Sadoc gerou Aquim; Aquim gerou Eliud; 15 Eliud gerou Eleazar; Eleazar gerou Matã; Matã gerou Jacó. 16 Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. 17 Assim, as gerações desde Abraão até Davi são catorze; de Davi até o exílio na Babilônia catorze; e do exílio na Babilônia até Cristo, catorze. - Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.

Reflexão
Todos temos uma história concreta. Com Jesus não foi diferente. Em sua natureza humana Ele também teve origem numa família concreta, num lugar concreto. Deus se misturou na história humana. Não podemos conceber que existem duas histórias: uma humana e outra divina. Absolutamente! A história divina se misturou com a história humana e vice-versa. Vale fazer notar que Mateus nomeia quatro mulheres: Tamar, Raab, Rute e Betsabea. Porém, nenhuma delas se “encaixava” nos padrões normais da história “sagrada” que estava na cabeça das pessoas de então. Duas eram prostitutas e duas eram estrangeiras. Mateus faz isto certamente para dizer-nos que Jesus desde sempre foi solidário com os pecadores e que a Salvação não tem fronteiras, é para todos.