Dom09262021

Last update05:18:46 PM

Back Você está aqui: Home :: Mais +++ Evangelho do dia PREFEITO AMARILDO AFIRMA QUE NÃO FOI CONSULTADO SOBRE NOVA REGIONALIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E QUE É NECESSÁRIA UMA CONSULTA AOS GESTORES MUNICIPAIS DE FORMA MAIS AMPLA E CLARA.

PREFEITO AMARILDO AFIRMA QUE NÃO FOI CONSULTADO SOBRE NOVA REGIONALIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS E QUE É NECESSÁRIA UMA CONSULTA AOS GESTORES MUNICIPAIS DE FORMA MAIS AMPLA E CLARA.


O Governo de São Paulo, através da Secretaria do Desenvolvimento Regional (SDR) tem apresentado propostas de uma nova divisão regional dos municípios paulista, que chamam de Novo Agrupamento. Na nossa região são duas propostas: Agrupamento da Mogiana com 14 municípios e São João como sede. Neste formato a regional perderia dois municípios – Tambaú e Mococa – que iriam para a Nova Regional de Ribeirão Preto.

E o Agrupamento da Mantiqueira, que seria formado com os 14 municípios da região de São João e mais 4 – Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Itapira e Estiva Gerbi.

Vargem Grande do Sul que integra a atual Região de São João da Boa Vista perderia ou ganharia com esta nova divisão regional?

O Prefeito Amarildo Duzi Moraes da vizinha cidade, consultado por GAZETA, não pode avaliar o que seria melhor para o desenvolvimento do município que dirige, uma vez que não se discutiu esta nova proposta com a lucidez e responsabilidade que a questão merece.

As propostas foram, segundo ele, apenas ´apresentadas´, sem ouvir as lideranças que tem a responsabilidade de definir projetos de desenvolvimento da cidade e da região onde estão inseridos.

“Primeiro este assunto não foi discutido entre os prefeitos. Fui convidado para uma reunião em São João da Boa Vista, e naquele dia acompanhava a visita do Vice-Governador e quando cheguei a apresentação estava no final e soube que as propostas seriam encaminhadas e poderia haver sugestões. Na semana passada fui convidado para uma reunião em Mogi Guaçu, voltado para os 4 municípios – Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Itapira e Estiva Gerbi – e compareci porque achei que haveria uma discussão sobre as propostas, mas não houve. Apenas um funcionário do Seade apresentou a proposta da união da região de São João com os 4 municípios que formariam o Agrupamento da Mantiqueira.”

O Prefeito Amarildo se mostra muito preocupado com as novas propostas e afirmou que cobrou de Bargas Negri, presente no evento e que integra a equipe do governo, juntamente com outros prefeitos da região, colocando que os prefeitos gostariam e precisariam ser ouvidos.

Coloquei que não gostaríamos que a decisão viesse de cima, que a proposta não fosse enviada à Assembleia sem que os municípios fossem ouvidos. Ele garantiu que uma reunião com todos os prefeitos seria marcada para que cada um colocasse sua posição”, afirmou o prefeito.

Amarildo comentou também a forma como o apresentador da proposta encerrou descrição da formação das novas regiões – “Não se abriu a palavra para ninguém e disse apenas que se alguém tiver sugestões, que não concordar, deveria encaminhar propostas posteriormente o que é um absurdo.”

O diálogo, a discussão clara e objetiva das propostas, e como elas vão afetar diretamente os municípios é o ponto mais importante que deve ser amplamente, reiterou o Prefeito da vizinha cidade.

“Não é o que vai afetar o meu município, é o que vai afetar estas mudanças para São João, Itobi, Santo Antônio do Jardim, Aguaí e todos os outros municípios. Queremos fazer muitas perguntas e queremos respostas, não adianta querer fazer uma redivisão regional e não ser calcada em repostas de desenvolvimento. Lamentamos esta forma do governo de fazer estas reuniões e pensar em regionalização sem ouvir os municípios, Mas esperamos que este erro possa ser corrigido e possamos debater o que é melhor para nossa região, todos sem exceção, cidades maiores e cidades menores tem que ser ouvidas”.

Amarildo também falou sobre o modelo adotado hoje na distribuição de verbas aos municípios, tanto na esfera estadual como federal, e considera que isso precisa mudar, pois todos os municípios são importantes, grandes ou pequenos, inclusive muitos dos considerados pequenos são modelos de gestão e desenvolvimento.

O modelo atual de distribuição de recursos se baseia em política quando se deveria se basear em questões técnicas para de fato promover o desenvolvimento. Não podemos ligar municípios pequenos e grandes, e os pequenos ficar apenas com as sobras. Discutir quais os benefícios com a nova divisão regional, a questão geográfica será levada em consideração, o nível de desenvolvimento vai ser levado em consideração, e muitas outras considerações, em diversos planos, que devem colocadas na mesa para temos respostas e tomar as nossas decisões, Pois para ficar do jeito que está, eu entendo que não é a forma correta, Hoje a divisão de recursos é muito injusto com os pequenos municípios”.

E terminou reforçando que os interesses da região devem estar em primeiro lugar: “Sempre em primeiro lugar os interesses da região. Vou pensar o que é melhor para Vargem Grande do Sul, claro, mas num contexto regional para o meu município, e todos os prefeitos também vão pensar da mesma forma com certeza. Queremos regionalização, mas que a região ganhe e estamos dispostos a discutir este assunto e é isto que estamos aguardando para os próximos dias.”