Qua02202019

Last update04:00:19 PM

 


Back Você está aqui: Home Mundo Papa Francisco visita os Emirados Árabes

Mundo

Papa Francisco visita os Emirados Árabes


O papa Francisco é recebido pelo príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohammed bin Zayed al-Nahyan (dir.) em sua chegada aos Emirados Árabes Unidos -Andrew Medichini/AFP

 

O Papa Francisco começa sua visita aos Emirados Árabes neste domingo, dia 3, a primeira na História de um pontífice à Península Arábica, com o objetivo de fortalecer os laços com o Islã.

“ “Estou feliz de escrever em vossa querida terra uma nova página nas relações entre as religiões, confirmando que somos irmãos, apesar de diferentes”, afirmou o pontífice em uma mensagem em vídeo à população dos Emirados.

Francisco chegou a Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, para uma estada até terça-feira, na qual participará de um encontro inter-religioso e se reunirá com o imã sunita de Al Azhar, xeque Ahmed al Tayeb, a quem já visitou no Egito, em 2017, e define como “amigo e irmão querido”.

Defensor do diálogo com outras denominações cristãs e outras religiões e das visitas à “periferia”, o pontífice argentino já viajou várias vezes aos países muçulmanos: ao Oriente Médio e à Turquia, em 2014; ao Azerbaijão, em 2016; e ao Egito, em 2017.

O príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohamed bin Zayed Al Nahyan, elogiou seu convidado como “um homem de paz e amor”, expressando sua esperança de que “as futuras gerações prosperarão em paz e segurança”.

O sumo pontífice também afirmou que o país que vai visitar é “uma terra que tenta ser um modelo de convivência, de fraternidade humana e de encontro através de diversas civilizações e culturas, onde muitos encontram um lugar seguro para trabalhar e viver livremente no respeito da diversidade”.

CONTROLE REGILIOSO

Ao contrário de seu vizinho saudita, que proíbe a prática de outras religiões além do islamismo, os Emirados Árabes Unidos querem projetar uma imagem de um país tolerante. Entre sua população, 90% estrangeira, há muitos cristãos, especialmente trabalhadores indianos e filipinos.

Há cerca de um milhão de católicos neste país, adeptos de um Islã bastante moderado, cuja sociedade é bastante aberta ao mundo exterior.

Ainda assim, as autoridades controlam as práticas religiosas e reprimem a contestação política, ou a exploração da religião, até mesmo pelos islamistas.

“Nós não controlamos as orações na sexta-feira, mas as regulamos para o bem comum, para evitar a disseminação do discurso de ódio, como vimos em muitos países, inclusive na Europa”, explicou um líder dos Emirados à AFP.

No último dia de sua visita, nesta terça-feira, o papa Francisco celebrará uma missa, da qual mais de 130.000 pessoas participarão. Será o maior ato religioso já vivenciado pelo país, segundo a mídia local.

Os católicos que compareceram a uma missa ao ar livre na quarta-feira em Dubai fizeram fila por horas na St. Mary’s Catholic Church para conseguir ingressos para essa grande missa no estádio Zayed Sports City, em Abu Dhabi.

 (AFP)