Qua08052020

Last update04:04:23 PM

 

Back Você está aqui: Home Mundo OMS diz que pandemia de covid-19 é "uma grande onda", não é sazonal

Mundo

OMS diz que pandemia de covid-19 é "uma grande onda", não é sazonal

Paciente tem temperatura medida para entrar em centro de saúde em Los Angeles, na Califórnia (EUA) (Imagem: Valerie Macon/AFP)

A OMS (Organização Mundial da Saúde) disse hoje que o novo coronavírus não tem um comportamento sazonal, como acontece com a influenza. "As pessoas ainda estão pensando sobre estações do ano. O que todos precisamos ter na cabeça é que esse é um novo vírus e... esse está se comportando de forma diferente", disse Margaret Harris durante briefing virtual em Genebra, fazendo um apelo à vigilância para que aplique medidas para conter a transmissão que está se espalhando em grandes aglomerações.

Ela também alertou contra pensar em termos de ondas de vírus, afirmando: "Será uma grande onda." No Brasil, a média diária de mortes ainda está acima de 1.000. Atualmente, o país já passou dos 87,6 mil óbitos registrados oficialmente, segundo o Ministério da Saúde. Em todo o mundo, já são mais de 646 mil mortes.

Europa retoma restrições

Na Europa, países já se preparam para uma série de surtos da Covid-19 pelo continente, impulsionados pelas férias de verão, o que motivou a fala da OMS. Na região, países começam a reimpor restrições de movimentação.

Na segunda-feira, o governador da Catalunha —uma das áreas da Espanha mais atingidas pelo ressurgimento do coronavírus - disse que a situação já é semelhante à anterior ao confinamento nacional decretado em março

A Bélgica anunciou que a partir desta quarta-feira os habitantes só poderão se encontrar no máximo com cinco pessoas fora de seu círculo familiar - até então, a "bolha social" permitida era de 15 pessoas. As medidas vieram depois que o país registrou 1.952 novos casos na semana passada, mais de 70% acima do número da semana anterior. Autoridades descreveram a situação como preocupante. As restrições na Bélgica foram anunciadas na segunda-feira pela primeira-ministra Sophie Wilmès, que deixou claro, no entanto, que um segundo confinamento obrigatório pode ser inevitável no país

A França, por sua vez, ordenou um toque de recolher obrigatório para o polo turístico de Quiberon, muito popular entre britânicos na costa atlântica do país, após um surto de coronavírus, com mais de 50 infecções. Os parques e jardins da região também ficarão fechados à noite, numa tentativa de evitar grandes aglomerações, especialmente de jovens. As autoridades estão em alerta máximo em toda a França devido às viagens durante as férias de verão.

Agravando os temores, em muitos países do sudeste europeu, como Sérvia e Croácia, observa-se um aumento significativo de novas infecções pelo coronavírus. A OMS já alertou que a região pode fazer ressurgir a pandemia no continente inteiro.