Ter12012020

Last update03:03:51 PM

 

Back Você está aqui: Home Mundo Pacientes na Bélgica e na Holanda foram reinfectados pela Covid-19. O Brasil tem casos em estudos

Mundo

Pacientes na Bélgica e na Holanda foram reinfectados pela Covid-19. O Brasil tem casos em estudos


Um paciente na Holanda e um na Bélgica sofreram uma segunda infecção pelo novo coronavírus (Sars-coV-2), informou nesta terça-feira a rede de TV holandesa NOS . Na segunda-feira pesquisadores de Hong Kong já haviam relatado o caso de um homem que foi reinfectado quatro meses e meio após ter sido declarado livre da Covid-19 . 

Segundo a virologista Marion Koopmans, citada pela emissora, o paciente holandês é uma pessoa idosa e com um sistema imunológico frágil. Koopmans disse que casos em que as pessoas estiveram doentes por um tempo longos, com melhoras e pioras, já eram conhecidos. Mas uma reinfecção autêntica, como na Holanda, Bélgica e Hong  Kong, exige testes genéticos nos vírus em ambas as infecções para analisar se as duas cepas divergem ligeiramente. Para a virologista, reinfecções já eram esperadas.

Já o paciente belga teve sintomas leves, segundo o virologista Marc Van Ranst. Mas, segundo ele, isso não é necessariamente uma boa notícia. Para Ranst, o caso mostra que os anticorpos desenvolvidos pelo paciente durante a primeira contaminação não foram suficientes para prevenir uma nova infecção por uma variante ligeiramente diferente do vírus.  Na avaliação dele, ainda não está claro se esses casos são raros ou se há muitas outras pessoas que podem ter reinfecções após seis ou sete meses.

NO BRASIL

Novos casos de contaminação de Covid-19 são investigados em São Paulo e Rio de Janeiro . Além da primeira reinfecção da Covid-19 em homem em Hong Kong , instituições brasileiras estão investigando 20 possíveis casos de segunda contaminação. As investigações são conduzidas pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Cerca de 16 dos casos suspeitos estão em São Paulo, enquanto os outros quatro são do Rio de Janeiro. Na última semana, o Hospital das Clínicas anunciou que  reservou uma ala de atendimento apenas para pacientes que suspeitam de nova contaminação de Covid-19.

O primeiro caso de reinfecção do novo coronavírus foi reportado pela USP. É o caso da enfermeira de Ribeirão Preto , que afirmou que tornou a ter sintomas 38 dias após supostamente se recuperar.

Cinco dias após sentir mal-estar, febre, dor de garganta, perda de paladar e olfato e dores de cabeça e muscular, ela voltou a testar positivo para Covid-19. Os sintomas ficaram por 12 dias, e ela ainda assim testou positivo novamente.

A nova contaminação de pacientes que já haviam contraído a Covid-19 pode impactar as pesquisas para uma vacina, já que isso pode implicar em pouca criação de anticorpos em algumas pessoas.

Com isso, é possível que apenas uma dose não seja eficaz contra a doença em alguns organismos. Também existe a possibilidade de que, diante de uma mutação, as pesquisas sejam comprometidas