Sab09212019

Last update03:26:56 PM

Copyright © 2019 Gazeta de São João. Todos os direitos reservados.
Designed by JoomlArt.com.
Joomla! é um software livre com licença GNU/GPL v2.0

 


Back Você está aqui: Home Mundo

Mundo

Capturado homem mais procurado da França

INTERPOL/AFP/Arquivos

O homem mais procurado da França, Redoine Faid, foi detido na madrugada desta quarta-feira (3), três meses depois de sua espetacular fuga de helicóptero de uma prisão onde cumpria pena de 25 anos.  Este fã de filmes de gângsteres, especializado no roubo de carros-fortes, foi detido às 4h da madrugada (hora local), em um apartamento em Créteil, ao norte de Paris, onde nasceu e cresceu.

Faid foi localizado com várias armas, mas, no momento de sua detenção, não ofereceu resistência. Não houve nenhum ferido na operação, que terminou ainda com seis detidos, um deles, irmão do criminoso.

 Redoine Faid, de 46 anos, cumpria pena de 25 anos por uma tentativa frustrada de assalto, em 2010, que resultou na morte de um policial.

Em 1º de julho, protagonizou uma fuga no estilo de Hollywood. Três homens armados sequestraram um piloto de helicóptero e o obrigaram a pousar no pátio da prisão. Em apenas poucos minutos fugiram com Faid a bordo. Desde então, a polícia lançou uma intensa operação para descobrir seu paradeiro.

Redoine Faid já havia fugido em 2013 da prisão de Lille-Séquedin (norte), em uma operação muito mais violenta, na qual usaram explosivos e houve vários reféns. Foi encontrado um mês depois em um hotel na região parisiense.

Este amante do cinema se inspirou em vários filmes na hora de cometer seus assaltos. Em sua autobiografia, “Braqueur, des cités au grand banditisme” (“Ladrão, dos bairros pobres à grande bandidagem”, em tradução livre), publicada em 2010, contou que estudou o comportamento dos protagonistas do filme “Heat”, protagonizado por Al Pacino, e aprendeu que, para ser um bom ladrão, é preciso ser “minucioso”.

Pela primeira vez, uma mulher é nomeada economista-chefe do FMI

837

Pela primeira vez, uma mulher é nomeada economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI). A diretora-geral do FMI – Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, confirmou Gita Gopinath no cargo de conselheira Econômica e Diretora do Departamento de Pesquisa do FMI em substituição a Maurice Obstfeld, que anunciou em julho sua aposentaria no final deste ano.

Gita Gopinath é professora de Estudos Internacionais e Economia da Universidade de Harvard, co-editora da American Economic Review e co-diretora do Programa Internacional de Finanças e Macroeconomia do National Bureau of Economic Research (NBER).

A economista é autora de 40 artigos científicos sobre taxas de câmbio, comércio e investimento, crises financeiras internacionais, política monetária, dívida e crises de mercados emergentes.

De origem indiana, Gita Gopinath nasceu cidadã americana e cidadã ultramarina da Índia. Ela é Ph.D. em economia da Universidade de Princeton, em 2001, depois de ganhar um B.A. da Universidade de Delhi e M.A. graus da Delhi School of Economics e University of Washington.

Pela primeira vez, montadora dona da Mercedes-Benz não será gerida por um alemão

A Daimler AG, montadora dona da marca  Mercedes-Benz, não será gerida por um alemão pela primeira vez na sua história. A partir do próximo ano, o sueco Ola Kaellenius, de 49 anos, substitui Dieter Zetsche, de 65 anos, no cargo desde 2006, informou a empresa nesta quarta-feira (26).

Com Ola Kallenius, estamos nomeando um executivo da Daimler reconhecido, com experiência internacional e bem-sucedido”, disse o presidente Manfred Bischoff.

A troca de cargos ocorre em um período turbulento para a montadora alemã. A empresa, assim como outras do setor, é investigada por alterações em testes de emissores de poluentes. Em junho, a Mercedes-Benz fez um recall de 800 mil veículos para substituir um software que mascarava o níveis poluentes.

Apesar de ter ultrapassado a BMW como maior vendedora de carros de luxo, a Mercedes-Benz prevê dificuldades no mercado. Neste ano, ela foi a primeira das grandes montadoras a reduzir metas anuais de vendas devido as tensões comerciais e a pressão por investimentos em carros elétricos, informou a Bloomberg.

A empresa também está encaminhando uma divisão de segmentos entre carros, caminhões e serviços. A nova estrutura pretende dar mais flexibilidade de negócio aos gestores.

Kallenius entrou para a Daimler AG em 1993 depois de estudar administração e finanças na Suécia e na Suíça. Ele trabalhou na sede da empresa em Stuttgart, e também em unidades britânicas e americanas.

Premiê do Japão é reeleito como líder de seu partido

O Primeiro Ministro do Japão, Shinzo Abe, foi reeleito nesta quinta-feira (20/09) como presidente do conservador Partido Liberal-Democrático, o que garante sua manutenção no cargo de chefe de governo.

A vitória nas eleições internas possibilita que Abe, de 63 anos de idade, possa concluir seu terceiro mandato como primeiro-ministro e se transformar no líder mais longevo da história do Japão.

Nas eleições internas do partido, Abe derrotou sem grandes dificuldades Shigeru Ishiba, ex-ministro da Defesa do país asiático. O atual premier recebeu 553 votos, enquanto seu rival conseguiu apenas 253.

"Farei todo o esforço, com toda a minha alma, para cumprir meu papel como fizeram meus antecessores", afirmou Abe, que pretende iniciar uma remodelação em seu governo já no próximo mês. Ele chefiou o governo japonês por um ano, entre 2006 e 2007, e assumiu novamente o cargo em setembro de 2012. Atualmente, é o terceiro primeiro-ministro mais longevo do Japão desde a Segunda Guerra Mundial.

‘Vice’ do Estado Islâmico no Iraque é condenado à morte

O líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, foi declarado morto em diversas ocasiões - AL-FURQAN MEDIA/AFP/Arquivos

Um “vice” do chefe do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) foi condenado à morte nesta quarta-feira por um tribunal de Bagdá, informaram fontes judiciais.

“O Tribunal Penal de Karkh pronunciou seu veredicto e condenou o terrorista Ismail Alwan Salman al Ithawi à morte por enforcamento”, disse o porta-voz do Supremo Tribunal, Abdul Sattar Bayrakdar.

O jihadista “ocupou vários cargos (de responsabilidade) dentro da organização terrorista Daesh”, explica um comunicado do tribunal, usando a sigla em árabe do EI.

O condenado “havia fugido para a Síria e mantinha relações com líderes tribais, e depois cruzou para a Turquia após a libertação da maioria das áreas” ocupadas pelos jihadistas, destaca o texto, que lembra que este membro do EI foi capturado graças à colaboração turca.

As autoridades iraquianas haviam anunciado que Ismail Alwan Salman al Ithawi foi repatriado em 15 de fevereiro, depois de sua captura na Turquia através de uma operação conjunta dos serviços de inteligência do Iraque, da Turquia e dos Estados Unidos.

Uma autoridade iraquiana dos Suqur (“falcões”), a célula dos serviços secretos encarregada de capturar membros do EI, afirmou à AFP que sua organização “conseguiu infiltrar-se nos mais altos níveis da organização extremista e acompanhou todos os movimentos de Ismail Alwan Salman Al Ithawi, de 55 anos, natural de Ramadi (oeste)”. Sua tarefa dentro do EI era atuar como o chefe do comitê que nomeava os “emires” e “walis” (os mais altos cargos) da organização, e também para designar “o ministro encarregado das fatwas do EI”, explicou.

Ministério da Defesa russo apresenta novas provas sobre a derrubada de avião que matou 298 pessoas

O Ministério da Defesa russo realizou nesta segunda-feira (17) um briefing dedicado à queda do avião MH17 da companhia Malaysia Airlines em 2014 na Ucrânia. A entidade militar da Rússia afirmou ter identificado o número inicial do míssil que abateu o avião após analisar os destroços do projétil. Este número de série, atribuído pelo fabricante, é 8720.

Assim, o míssil número 886847349 foi produzido em 1986 em uma fábrica na região de Moscou. De acordo com o ministério, após ser produzido o míssil foi enviado para uma unidade militar da República Socialista Soviética da Ucrânia e não foi trazido de volta para a Rússia. A Rússia, segundo a entidade, já informou a comissão holandesa que investiga o acidente aéreo que o míssil, após sua produção, nunca saiu do território ucraniano.

O projétil estava no serviço de uma unidade militar implantada na região ucraniana de Lvov. O destacamento de mísseis desta unidade militar participou várias vezes da chamada ATO (Operação Antiterrorista em russo, nome oficial dado pelas autoridades ucranianas ao conflito armado no leste do país) em Donbass.

Além de estar envolvida na tragédia do MH17, a Ucrânia manipulou também a investigação, afirmou o ministério, apresentando como prova uma conversa gravada de militares ucranianos que, segundo a análise fonoscópica, teve lugar na região de Odessa em 2016 antes de umas manobras.

Caso MH17

Em 17 de julho de 2014, um Boeing 777 da companhia Malaysia Airlines, que fazia o voo MH17 de Amsterdã para Kuala Lumpur, foi atingido por um míssil quando sobrevoava a região de Donetsk, no leste da Ucrânia. A bordo da aeronave seguiam 298 pessoas, a maioria holandeses; não houve sobreviventes.

Kiev acusou a milícia de Donbass pela catástrofe, que negou as acusações, afirmando que as repúblicas autoproclamadas de Donetsk e Lugansk não dispunham de armas capazes de abater uma aeronave.

Mais tarde, o Centro Comum de Investigação (JIT, em inglês) apresentou os resultados preliminares da segunda investigação da tragédia, segundo a qual o sistema Buk que derrubou o Boeing da Malásia veio das Forças Armadas da Rússia.

Moscou não reconheceu os resultados, argumentando que a equipe do JIT tinha ignorado dados e testemunhas da parte russa.

Coreias abrem escritório conjunto para coordenar atividades

Coreia do Sul e Coreia do Norte abriram nesta sexta-feira (14/09) um escritório conjunto de coordenação, na localidade norte-coreana de Kaesong, em mais um movimento de aproximação entre os dois países antes da visita do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a Pyongyang na próxima semana.

"Um novo capítulo da história se abre hoje aqui", declarou o ministro sul-coreano da Unificação, Cho Myoung-gyon, durante a cerimônia de abertura do escritório. "Este escritório de coordenação é um novo símbolo de paz criado conjuntamente pelo Sul e o Norte", acrescentou.

O local inclui escritórios separados para o Norte e o Sul, assim como uma sala de conferências comum.

As duas Coreias buscam facilitar os intercâmbios com a abertura deste escritório, que foi acertada após a primeira cúpula entre Moon e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, no final de abril, segundo o ministério da Unificação.

Os dois países tentam multiplicar os projetos conjuntos em numerosos âmbitos desde a reunião de Kim e Moon em Panmunjom, o povoado da Zona Desmilitarizada que divide a península onde se firmou o armistício da guerra da Coreia (1950-53).

Moon começará na próxima terça-feira (18/09), em Pyongyang, uma visita de três dias que será a terceira cúpula intercoreana este ano.

O presidente sul-coreano se tornou no último ano o artífice de um rápido degelo na península, que permitiu um encontro histórico entre Kim e o presidente americano, Donald Trump, em junho passado, em Singapura.

Fome no mundo voltou a níveis de dez anos atrás, diz ONU

821 milhões são atingidos

O relatório “Estado da Insegurança Alimentar e Nutrição no Mundo em 2018”, divulgado nesta terça-feira (11/09), mostra que a fome no mundo regressou aos níveis registados há 10 anos. O estudo revela que o número de pessoas subnutridas aumentou de 804 milhões em 2016 para cerca de 821 milhões no ano passado.

Segundo a pesquisa, a variação do clima e os eventos climáticos extremos, como secas e cheias, são os principais responsáveis pelo aumento da fome, além dos conflitos e da desaceleração econômica.

Os dados mostram que, sem esforços urgentes, a comunidade internacional não vai cumprir o objetivo de erradicar a fome até 2030. A situação, diz a ONU, está piorando na América do Sul e em algumas regiões da África. A tendência de decréscimo da fome na Ásia também desacelera de forma significativa. O relatório também afirma que pouco progresso tem sido obtido em outras áreas – em especial, no desenvolvimento retardado de crianças e na obesidade infantil. Havia 151 milhões de crianças com menos de cinco anos com crescimento retardado no ano passado, comparado a 165 milhões em 2012. Cerca de 39% destas crianças estão na Ásia e mais de metade, 55%, estão na África.

Além da FAO, o relatório foi preparado por outras quatro agências da ONU, Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Fida, Programa Mundial de Alimentos, PMA, Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e Organização Mundial da Saúde, OMS.

Em nota conjunta, as agências dizem que os dados do relatório “são um sinal claro de que existe muito trabalho para ser feito para alcançar o objetivo de não deixar ninguém para trás em relação à segurança alimentar e nutrição”.

Itália encontra 'tesouro' de 300 moedas de ouro romanas

O governo da Itália anunciou a descoberta de um "tesouro" de 300 moedas de ouro da época romana em Como, no norte do país.  A ânfora com as moedas, que estão em excelente estado de conservação, foi achada na última quarta-feira (05/09), durante escavações para a construção de um edifício no centro histórico da cidade, a um metro de profundidade. O tesouro data dos século 4 e 5 d.C. e pode valer "milhões de euros", de acordo com a Superintendência para os Bens Culturais de Milão, cidade que fica a cerca de 50 quilômetros de Como. Também foram achados uma barra de ouro e outros dois objetos.

"Como foi fundada pelos romanos, então essas descobertas são naturais, mas esse pode ser um dos tesouros romanos mais importantes já encontrados", afirmou o presidente da Sociedade Arqueológica Comense, Giancarlo Frigerio. Segundo ele, a área onde as moedas foram achadas abrigava residências privadas dos nobres romanos, e a ânfora pode ter sido escondida nos muros de uma casa para escapar de saques. "Para mim, esse é um caso mais que excepcional, é um daqueles que marcam o percurso da história", comemorou nesta segunda-feira (10) o ministro dos Bens Culturais Alberto Bonisoli.

As moedas teriam sido cunhadas durante as eras dos imperadores Honório (393-423), Valentiniano III (424-455) e Líbio Severo (461-465) e devem permanecer na cidade de Como.