Dom09262021

Last update05:18:46 PM

Back Você está aqui: Home Polícia

POLÍCIA AMBIENTAL RESGATA VEADO CAMPEIRO EM ÁGUAS DA PRATA, E JAGUATIRICA EM TAPIRATIBA

(Fotos Polícia Ambiental/Divulgação)

 

Nesta sexta-feira, 23 de julho, os Cabos César e Toribio, da Polícia Ambiental, conduziram dois animais silvestres que necessitavam de cuidados especiais ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), com sede na cidade de Jundiaí.

Um Veador Campeiro (Ozotoceros bezoarticus) foi resgatado no município de Águas da Prata com lesão na coluna.

Uma Jaguatirica (Leopardus pardalis) foi resgatada no município de Tapiratiba com lesão no fêmur.

Os dois mamíferos receberam cuidados emergenciais por veterinários da região, mas devido a gravidade das lesões foi necessário o encaminhamento ao CRAS para o recebimento de cuidados especializados.

Vale salientar que a Jaguatirica consta na listagem como animal ameaçado de extinção.

CORTE DE 52 ÁRVORES EM APP GERA MULTA DE R$ 26 MIL

(Foto Polícia Ambiental)

 

Nesta quinta-feira, 8 de julho, os Cabos Vanderlei e Elias em trabalho de fiscalização ambiental, estiveram em sítio da zona rural de São João da Boa Vista, onde constataram o corte de 52 árvores que estavam inseridas em APP, sem autorização do órgão ambiental competente. O serviço para o corte das árvores estava sendo realizada por uma máquina do tipo "retroescavadeira".

Diante da irregularidade os Policiais Ambientais lavraram Autos de Infração Ambiental de acordo com as leis em vigor, sem prejuízo da responsabilização penal.

Além da multa no valor de R$ 26.300,00 foi aplicada sanção de embargo na área objeto da autuação, e o maquinário foi apreendido/depósito até decisão junto ao  Atendimento Ambiental.

PROPRIEDADE RURAL MULTADA EM R$ 23.825,00 POR DESTRUIR/DANIFICAR VEGETAÇÃO NATIVA EM ÁREA COMUM


Em decorrência de ação de monitoramento dos quadrantes da área da 7ª Cia. da Polícia Ambiental que apontou por meio de um RIT (Relatório de Informações Técnicas) supressão de vegetação nativa, os Cabos Vanderlei e Elias foram até o sítio identificado nas informações, localizado na área rural de São João da Boa Vista. No local os Policiais Ambientais constataram a supressão de vegetação nativa secundária em estágio inicial de regeneração em área correspondente à 4,35 ha inserida em área comum sem que fosse apresentada a autorização do órgão ambiental competente, configurando assim o cometimento de infração ambiental.

Os policiais lavraram um Auto de Infração Ambiental no valor total de R$ 23.925,00, o que não causa prejuízo a responsabilidade penal conforme disposto no artigo 38 da Lei Federal 9.605/98. A área fica embargada até deliberação do Atendimento Ambiental.

SUSPEITO DE MATAR EX-PATRÃO EM MINAS GERAIS É PRESO EM SÃO JOÃO

(Imagem: Carioca - Notícias Policiais)

Um homem suspeito de matar o ex-patrão a facadas em Santa Rita de Caldas em agosto De 2020 foi preso pela Polícia Civil em São João da Boa Vista nesta quinta-feira, 27 de maio.

Segundo as investigações, o suspeito matou a vítima com 30 facadas após uma discussão motivada por ciúmes. O autor estava foragido desde a data do crime e foi encontrado após a polícia receber uma denúncia anônima de que ele estaria escondido na zona rural da cidade paulista, numa olaria localizada na vicinal que liga São João a Santo Antônio do Jardim.

Equipes da Polícia Civil foram ao local por volta das 5h30 desta quinta e conseguiram encontrar o indivíduo na casa de um tio. O homem ainda tentou fugir, mas acabou capturado. Após a prisão, o suspeito foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de São João, e posteriormente será encaminhado para a Penitenciária de Botelhos. (Imagem: Carioca – Notícias Policiais)

Fiscalização de pátio madeireiro gera apreensão de mercadorias e multas


No dia 15 de março a Polícia Ambiental de São João da Boa Vista realizou uma fiscalização no pátio de uma madeireira localizada na Rua Henrique Cabral de Vasconcellos, no Bairro do DER que resultou na aplicação de multas e apreensão de mercadorias.

Atuaram na fiscalização o Sargento Melizi, o Cabo Toribio, Cabo Cesar, Cabo Reis e o PM Moreli que apreenderam 57,0763 metros cúbicos de madeira nativa e aplicaram multa de R$ 49.843,41.

Os Policiais Ambientais realizaram no pátio madeireiro uma mensuração minuciosa de todos os estoques de madeira nativa existente no local, valendo-se do método de conferência peça a peça por espécie e tipo de corte e compararam com o Documento de Origem Florestal (DOF), e assim constataram a existência de 57,0763 metros cúbicos de madeira que foram "adquiridos" ilegalmente (estoque em excesso).

E ainda verificaram que 109,0684 metros cúbicos de madeira nativa foram "vendidos" de maneira ilegal (estoque em déficit). Diante dos fatos, foram elaborados 2 Autos de Infração Ambiental, sendo um por "adquirir" na modalidade de multa simples no valor de R$ 17.122,89 e o outro de R$ 32.720,52 por "vender" madeira ilegal nos termos do parágrafo.
A Policia Ambiental informou que pela venda de madeira ilegal o infrator responderá por crime ambiental nos termos da Lei Federal 9605/98, ficando ainda o estoque em excesso apreendido até a deliberação do atendimento ambiental.