Dom03292020

Last update04:44:26 PM

 


Back Você está aqui: Home Polícia

Deficit de policiais civis na região do DEINTER-9, onde se inclui São João é o maior do Estado

No quadro acima os números oficiais de policiais na área da Delegacia Seccional de Polícia de São João da Boa Vista

As cidades que compõem o Depar­tamento de Polícia Judiciária do Interior Nove (Deinter 9), na região de Piracicaba, têm o maior deficit de policiais civis de todo Estado de São Paulo. Segundo a lei, a região precisater1.897 profissionais para prestar um serviço adequado à população e oferecer boas condições de trabalho, mas faltam pelo menos 853 policiais, um deficit alarmante de 45%. O índice é maior que a média de todo o Estado, que fica em 34%. A defasagem de cada região é calculada levando em consideração o número de policiais previstos em lei e o número de cargos ocupados. “Não podemos mais continuar trabalhando nessas condições. O governador precisa agir rápido para repor os quadros. A Polícia Civil está adoecendo, os policiais estão prejudicando a própria saúde para não deixar a população desassistida”, afirma a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (SINDPESP), Raquel Kobashi Gallinati.

Os reflexos desse sucateamento são sobrecarga de trabalho, acúmulo de funções e trabalho em escala de sobreaviso durante todo o mês, sem descanso. A presidente do SINDPESP visita Piracicaba nesta segunda-feira (22/07) para ouvir dos policiais qual o impacto desse deficit nas condições de trabalho e no atendimento à população. “Um policial civil, por exemplo, é obrigado a cumprir a função de quatro ou cinco. Desta forma, normas do direito internacional do trabalho são frontalmente desrespeitadas, pois não se permite ao profissional o direito ao descanso. Ele fica 24 horas de sobreaviso o mês inteiro”, avalia a presidente.

Atualmente, toda a região conta com 1.044 cargos ocupados, entre delegados, investigadores, escrivães, agentes policiais, agentes de telecomunicações, papiloscopistas e auxiliares de papiloscopista. Os dados para o cálculo são fornecidos pela Secretaria de Segurança Pública e se referem ao número de policiais em atividade até dezembro de 2018. Por isso, o deficit pode ser ainda maior, já que não estão contabilizadas as baixas provocadas por aposentadorias e exonerações que aconteceram desde 1º de janeiro deste ano até o momento.

Além do deficit de funcionários, outro problema enfrentado pela polícia são os baixos salários, as deficiências na estrutura e a falta de equipamentos básicos de segurança, como o colete à prova de balas. “Uma das promessas de campanha do governador era que a polícia paulista teria os melhores salários do Brasil até o final do seu mandato. Já se passaram seis meses e até o momento ele não definiu um índice, nem afirmou quando esse reajuste será aplicado”, completa Raquel.

Ameaça com faca no Velório Municipal

*foto ilustrativa

Nesta segunda-feira, dia 15, perto das 15h30, O cabo Rodrigo e o PM Paulo Henrique foram destacados para atender uma ocorrência no interior do Velório Municipal, localizado na Rua Cel Ernesto de Oliveira, onde, segundo as informações do solicitante, ocorria uma desinteligência e um dos envolvidos estaria armado com uma faca.

Os Policiais Militares foram para o local e abordaram um homem de 37 anos, encontram em sua cintura uma faca de cerca de 17 centímetros. Ao ser indagado sobre o que estava acontecendo no local e porque ele estava com a faca, o homem respondeu que iria matar seu cunhado de 44 anos que também estava no Velório.

Diante dos fatos o homem foi encaminhado à Delegacia de Polícia, onde o Delegado Fabiano Antunes de Almeida determinou o registro de um Boletiim de Ocorrência de Ameaça e Porte de Arma Branca, liberando as partes em seguida.

Polícia ambiental fiscaliza e embarga duas áreas rurais

 

Neste final de junho, entre os trabalhos de Policiais Ambientais, duas fiscalizações terminaram em multas e embargo da áreas.

No dia 27, o Sargento Melizi, o Cabo Elias e o Cabo Perternucci, após denúncia oriunda pelo SIGAM sobre imagens de satélite que mostravam parcelamento irregular do solo, foram até o Sítio Santa Isabel. Na propriedade os Policiais Ambientais depararam com um parcelamento irregular do solo – seis lotes subdivididos por cercas de arames.

Os Policiais Ambientais também constataram que a propriedade margeia um curso d´água, denominado Barreiro, cujo espelho d´água é menor que dez metros e que houve um bosqueamento mediante emprego de ferramentas manuais para suprimir a vegetação nativa secundaria em estágio inicial de regeneração da faixa marginal do manancial, numa área equivalente a 0.46 hectares.

O vendedor dos lotes foi multado em R$ 6.900,00 e a área embargada ate decisão do atendimento ambiental e ainda apurada as respectivas responsabilidades penais

CORTE DE ÁRVORES

No dia 28, o Cabo Da Silva e o Cabo Leme realizaram uma fiscalização no Sitio Ribeirão dos Porcos, e constataram a supressão de vegetação através de terraplenagem e construção de uma piscina e dois tanques artificiais, sem autorização do órgão ambiental competente, numa área equivalente a 0,09 hectares; e ainda o corte de 10 árvores na área de preservação permanente.

O proprietário foi multado em R$ 5.000,00 reais, e a área embargada conforme legislação vigente.

Polícia Ambiental apreende pescados vendidos em carro que circulava na cidade


 

Nesta sexta-feira, 7 de junho, a Polícia Ambiental interrompeu a comercialização de pescados sem comprovante de origem ou autorização do órgão competente. A venda era realizada em uma camionete que transitava pelos bairros da cidade e anunciava os pescados em um alto-falante instalado no veículo.

O veículo utilizado na venda dos pescados, uma Saveiro com placa de Pirassununga, foi interceptado na Rua Antonio Fonseca Castelo Branco, no Jardim Recanto do Jaguari, pelos Sargentos Dias e Melizi e Cabo Peternucci, todos da Polícia Ambiental.

Os policiais constataram que dois homens ocupavam a Saveiro onde estavam os peixes, acondicionados em caixas de isopor. Ambos confirmaram que residiam em Pirassununga e no ato da fiscalização não apresentaram qualquer comprovação da origem do 66,8 quilos de pescados com predominância de espécies nativas, havendo fortes indícios que a mercadoria era oriunda da pesca ilegal.

Além da apreensão dos peixes, foram elaborados dois autos de infração ambiental que totalizaram R$ 4.072,00.

Os pescados foram armazenados na sede do  1º Pelotão da Polícia Ambiental na cidade de Pirassununga, e a Saveiro recolhida na sede do 2º Pelotão em São João da Boa Vista

OPERAÇÃO PASSEIRIFORMES

Também na sexta-feira (7), em alusão a Semana do Meio Ambiente, foi realizada a Operação São Paulo mais Seguro/Passeiriformes, com emprego de seis equipes terrestres munidas de conhecimento técnico e ferramentas próprias para detecção de fraudes em anilhas, sob o comando do Tenente Ivo e Supervisão do Sargento Dias.

Os Policiais Ambientais fiscalizaram pontos pré determinados com o propósito de coibir o comercio ilegal de pássaros nativos nos municípios de São João da Boa Vista, Pirassununga. Limeira, Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Santa Cruz da Conceição e Tapiratiba.

O resultado da operação: fiscalizados 17 pontos suscetíveis, 19 pássaros apreendidos e reintroduzidos no ambiente natural, elaborados autos de infração que totalizaram R$ 13.072,00 em multas, apreendidas 5 anilhas de identificação (selo público) que apresentavam indícios de falsificação/adulteração.

 

PM prende em flagrante homem com carro roubado e mais de 9 mil em notas falsas

Foto ilustrativa

Ocorrência aconteceu na Vila Brasil

 

No final da manhã de domingo, dia 2 de junho, o Cabo Deylon e o PM Gian, prenderam em flagrante um homem com um carro roubado e moeda falsa na Vila Brasil, Os fatos aconteceram na Rua Alan Kardec, na Vila Brasil quando os Policiais Militares avistaram um Fiat/Strada branco, modelo 2017, placa QMT 9715 que tinha registro de roubo na cidade mineira de Campos Gerais.

Os PMs passaram a observar o carro, ocupado por um casal, até que tiveram certeza de uma abordagem segura.

O motorista de 36 anos, residente no Jardim das Azaléias ao ser abordado e questionado sobre o veículo disse que era “ripado", termo usado para veículos sem procedências, e afirmou que pagou por ele a quantia de R$ 3.000,00. Diante da afirmativa do condutor e por ter o Boletim de Ocorrência do Estado de Minas Gerais foi dada voz de prisão em Flagrante Delito ao Autor.

A passageira do veículo disse não saber da situação do carro e que franqueava a entrada na residência para verificar se havia mais ilícitos. Na busca domiciliar na casa indicada, os PMs encontraram R$ 9.930,00 em notas falsas; 50 folhas de cheques de procedências duvidosas e 1 gerador de energia que o autor disse ter adquirido em Aguai sem saber a procedência.

Levado para a delegacia o autor foi autuado em flagrante delito e encaminhado à Cadeia Pública.