Ter01192021

Last update03:04:19 PM

 

Back Você está aqui: Home São João DIRETORA DA ANVISA FALA SOBRE VACINAS EM EVENTO VIRTUAL PROMOVIDO PELA UNIFAE

São João

DIRETORA DA ANVISA FALA SOBRE VACINAS EM EVENTO VIRTUAL PROMOVIDO PELA UNIFAE

Palestra do dia 03/12 será transmitida pela TV UNIFAE

As pesquisas sobre as vacinas no Brasil e no mundo para combater o Covid-19 e o papel da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), no acompanhamento e aprovação estas vacinas, estarão entre os temas a serem discutidos pela Dra. Alessandra Bastos Soares, Diretora da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, na próxima quinta-feira, (03), às 19hs, na webinar que será transmitida, ao vivo, pelo canal da TV UNIFAE no Youtube.

“É um assunto de relevância mundial e a UNIFAE recebe a Dra. Alessandra, mesmo que de forma remota, para esclarecer professores, alunos e comunidade externa acerca do cenário das pesquisas, pois o mundo espera ansiosamente uma vacina”, destaca a Pró-reitora do PROPEQ, Prof. Dra. Laura Ferreira de Rezende Franco, que promove o evento.

Currículo - Farmacêutica, formada pela Universidade Metodista de Piracicaba, Dra. Alessandra Bastos Soares é Membro da Sociedade Brasileira de Coaching com certificação em Personal & Professional Coaching e Leader as Coach. Tem 19 anos de atuação como Responsável Técnica em empresas do Setor Farmacêutico; Gestora nas áreas de Assuntos Regulatórios, Qualidade e Logística. Suporte Regulatório na área de Marketing e Vendas. Interface com órgãos reguladores competentes, com o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária e com o Sistema Único de Saúde.

A esperança das vacinas - As vacinas contra a Covid-19 estão sendo desenvolvidas em velocidade sem precedentes, e, além da rapidez, os projetos em andamento buscam comprovar a eficácia e a segurança de tecnologias inéditas. Entre as dez vacinas que chegaram aos estudos clínicos de fase 3, três propostas desenvolvidas na China utilizam a técnica conhecida como vacina de vírus inativado: a da Sinovac, que está em testes no Brasil em parceria com o Instituto Butantã e o governo de São Paulo, a da Sinopharm com Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan

Já a proposta britânica da farmacêutica AstraZeneca e da Universidade de Oxford usa um adenovírus de chimpanzé como vetor viral. Essa vacina encontra-se em fase de testes no Brasil, e o governo federal assinou um acordo de transferência de tecnologia para que a Fundação Oswaldo Cruz possa produzi-la.