Ter01192021

Last update03:53:45 PM

 

Back Você está aqui: Home São João PROJETO DA PSICOLOGIA UNIFAE É FINALISTA NO DESAFIO UNIVERSITÁRIO

São João

PROJETO DA PSICOLOGIA UNIFAE É FINALISTA NO DESAFIO UNIVERSITÁRIO

O projeto de extensão “Primeira infância: da avaliação às políticas públicas de prevenção”, representado pela Profa. Dra. Betânia Alves Dell'Agli (foto), docente do curso de Psicologia da UNIFAE, está entre os 10 finalistas do Desafio Universitário, que recebeu inscrições de 156 projetos de Instituições de ensino superior de todo o país.

No dia 1º. de dezembro serão conhecidos os vencedores, que farão jus a um prêmio de R$ 10 mil para implementação do projeto no primeiro semestre de 2021. Os vencedores também receberão mentoria durante todo o processo.

“A Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), parceira do Desafio Universitário, fará a publicação dos projetos finalistas, que será lançada tanto em formato físico quanto digital, em português e espanhol, e disponibilizada em todos os países em que a Instituição está presente”, explica a Profa. Betânia.

“Os integrantes dos grupos vão figurar como coautores da obra e todos os finalistas também receberão um certificado de participação. É uma grande conquista para a UNIFAE, pois, vamos ganhar visibilidade por meio da divulgação nos canais de comunicação dos organizadores, bem como na cerimônia online de entrega dos prêmios, que contará com convidados de destaque no campo da Primeira Infância e da Educação Superior, além de autoridades públicas e da imprensa.”

Sobre o projeto

O projeto já existe e detectou um aumento das crianças com transtornos do neurodesenvolvimento. “Nosso objetivo agora é promover a avaliação e intervenção precoce, a fim de diminuir ou minimizar os déficits de crianças nessa condição. Além disso, a partir dos dados, é possível refletir sobre as políticas públicas vigentes, com o intuito de reflexão e esclarecimento sobre a necessidade de intervenção nessa etapa de desenvolvimento.”, enfatiza a Profa. Betânia.

Os beneficiários serão famílias de nível socioeconômico baixo, crianças de 0 a 6 anos de idade, de todas as etnias e gênero. As gestantes serão recrutadas no programa de Teleatendimento a Gestantes da UNIFAE, e as crianças em creches e escolas públicas do município. Os professores e cuidadores também vão receber orientação para intervenção precoce.

Concluindo, a Profa. Betânia conta como será implantado o projeto: “Estão previstas três etapas de ação: o seguimento das gestantes, a avaliação das crianças de 0 a 6 anos, e a orientação à família e à escola. Para tanto, vamos trabalhar de forma multidisciplinar, envolvendo os cursos de Psicologia, Medicina e Fisioterapia da UNIFAE.”