Ter10232018

Last update05:46:29 PM

 


Back Você está aqui: Home Variedades

Variedades

90 anos de Mickey Mouse

 

 

 

 

 

O personagem mais amado do mundo comemora 90 anos de sua primeira aparição oficial em dia 18 de novembro, data de lançamento do seu primeiro curta “Steamboat Willie”

 

Passaram-se 90 anos desde sua criação e Mickey Mousecontinua vivo na memória de crianças e adultos ao redor do mundo e é a franquia número 1 daThe Walt Disney Company. Em seu nonagésimo aniversário, confira algumas curiosidades do personagem mais icônico do mundo:

1. No início, o personagem principal de Walt Disney não era Mickey...

E sim Oswald, o coelho sortudo. Walt Disney acreditava que o personagem seria um sucesso, mas em uma viagem para tentar conseguir dinheiro para a produção, os investidores deram uma resposta negativa e, como os direitos autorais do personagem pertenciam a eles, assumiram o controle do personagem.



2. O primeiro nome de Mickey Mouse, na verdade era...

Mortimer!Após a reunião com os investidores de Oswald, Walt Disney e sua esposa voltaram a Los Angeles em um trem onde, Walt passou o tempo criando um ratinho alegre e com grandes orelhas redondas.



3. O nome “Mickey” foi sugerido por outra pessoa

Lillian, esposa de Walt, achou o nome Mortimer muito pretensioso e sugeriu Mickey. A partir daí, nascia um astro!

4. Nem tudo foi sucesso no começo!

Após criar o personagem, Walt Disney começou a trabalhar imediatamente no primeiro desenho animado de Mickey Mouse: Plane Crazy. O entusiasmo desapareceu quando nenhum distribuidor quis comprar o filme. Em suasegundatentativa, Walt produziu outro desenho animado mudo intituladoMickey, The Gallopin’ Gaucho, porém a Warner Bros. havia iniciado os filmes falados.

5. A estreia de Mickey Mouse nos cinemas foi um grande marco...

ComSteamboat Willie, Mickey Mouse fez sua estreia nas telas de cinema em18 de novembrode 1928, no Colony Theatre de Nova York, como o astro do primeiro desenho animado com som sincronizado.

6. As primeiras palavras de Mickey foram...

“Hot Dog! Hot Dog”, a fala faz parte do curta-metragemThe Karnival Kid(1929). Daquele momento em diante, na maioria dos curtas de Mickey durante aSegundaGuerra Mundial foi o próprio Walt Disney que deu voz a Mickey.

7. Mickey Mouse possui nomes diferentes em alguns idiomas

Apesar do nome Mickey Mouse ser conhecido no mundo todo, em italiano, é chamado de Topolino; em alemão, é o Micky Maus; em espanhol, Raton Mickey; em sueco, Musse Pigg; e em mandarim, Mi Lao Shu.

8. Mickey participou da cerimônia do Oscar duas vezes

Em 1998, o personagem subiu ao palco para entregar um envelope ao ator Tom Selleck. Já em 2003, Mickey voltou a aparecer na cerimônia como animação ao lado da atriz Jennifer Garner.

9. Mickey Mouse chegou à televisão em 1950

Nesta década, Walt produziu um especial deNatalpara televisão chamado “One Hour in Wonderland”. O desenho clássicoRelojoeiros das Alturas(1937) também foi apresentado como parte das comemorações de fim de ano.

10. Mickey Mouse foi o primeiro personagem de desenhos animados a ser amplamente licenciado

O primeiro livro de Mickey Mouse foi publicado em 1930 e aIngersoll Watch Companyproduziu o primeiro relógio do Mickey em 1933.

Área “secreta” da Abadia de Westminster é reaberta ao público depois de 700 anos

Shutterstock-photo.eccles

Agora os visitantes podem conhecer a famosa cadeira de coroação de reis e rainhas e até a certidão de casamento do príncipe William com Kate Middleton.  É nesta igreja gótica anglicana que estão enterrados os reis ingleses, onde foram realizadas os casamentos reais mais espetaculares, onde vários monarcas foram coroados, onde foi realizado o funeral da princesa Diana, entre outros eventos.

Localizada ao lado do palácio de mesmo nome, a Abadia de Westminster tem mais de mil anos de história. Não estamos falando somente de um lugar com muitos objetos valiosos, mas também com muitos segredos.

Um dos lugares mais apreciados no passado era seu ático, já que, além de abrigar elementos de grande relevância, contava com uma das melhores vistas de Londres. Há 700 anos, o ático foi fechado ao público. Mas, desde junho passado, reabriu suas portas para que visitantes de todo o mundo pudessem apreciar desde a esfinge da cabeça do rei Henrique VIII até a certidão de casamento do príncipe William e Kate Middleton.

O local foi reaberto como um museu e batizado de Galeria do Jubileu de Diamantes da Rainha, em comemoração ao aniversário de 60 anos da coroação da rainha Elisabeth II em 2012, data em que também começou a campanha de arrecadação de fundos, já que a abadia não recebe verbas nem da Igreja, nem da Coroa, nem do Estado.

Para melhorar o acesso, o arquiteto britânico Ptolemy Dean construiu uma nova torre, que tem ares de contemporaneidade e traços góticos (para não romper com a estética idealizada por Henrique III).

A nova torre tem formato de estrela, inspirada em um motivo encontrado na capela mariana de Henrique VII, que está dentro da abadia e é dedicada à Maria. Para chegar até lá, é possível ir de escada ou de elevador, já que ela está a 16 metros de altura. A vista panorâmica de Londres é uma das recompensas.

Ao todo, 300 peças estão em exposição e contam a história da igreja, que começou a ser construída no ano de 960 com os monges beneditinos, que se estabeleceram na ilha de Thorney (que logo se chamaria em Westminster).

Outro objeto que pode ser visto: a cadeira onde os reis foram coroados desde 1308, além do Retábulo de Westminster, a mais antiga representação de altar da Inglaterra.

Sem dúvida, é um lugar que não pode ficar de fora do roteiro quando se for visitar a capital inglesa.

Principais tendências de calçados verão 2019



 

Foi dada a largada para a estação mais quente do ano, e charme é a palavra de ordem nesta temporada. A alegria das cores, a sensualidade da transparência e o design arrojado prometem adornar seus pés e garantir que o look do dia seja digno de capa de revista. Rachel Toyama, fundadora do Paraíso Feminino, primeiro buscador de moda para mulheres, aponta as grandes apostas dos calçados para o verão 2019.

  • Verniz transparente/plástico:o plástico transparente com acabamento envernizado que foi destaque nos desfiles de inverno de grifes hypadas como Chanel e Balman ganharam os pés das fashionistas europeias neste verão. A transparência já é vista emsandálias, rasteirnhas e sapatos das principais coleções brasileiras. Presente tanto em detalhes fazendo um mix com couro ou camurça, quanto no calçado inteiro de vinil translúcido dando a impressão de que o solado está flutuando.
  • Tênis Dad Shoes e Sneakers:nada de delicadeza, quem vai brilhar sob à luz da próxima estação são os tênis com aparência mais pesada como osSneakerse Dad Shoes. Eles que vêm tanto na versão sóbria inteiro branco, ou multicoloridos trazendo ainda mais descontração para o look casual. Nada mais cool que reviver esta nostalgia dos anos 80/90!
  • Saltos trabalhados e em bloco:seja nas flats ou anabelas os materiais em corda e cortiçaterão presença garantida dando uma pagada natural que combinam super bem com o verão. Outro salto que não vai ficar de fora é o modelo blocado, que vem para estabelecer o conforto até nas alturas, eles ganham um charme a mais pela aplicação de bordados ou feitos em acrílico transparente, que é outra super tendência da nova estação.
  • Cores:e para fechar, não existe verão sem cor e 2018 está recheado de cores onde vem destacando principalmente as tonalidades de amarelo e lavanda. Mas calma que o baby blue, fúcsia e o ultra violet que foi eleito a cor do ano pela Pantone tambémterão seu lugar ao sol.

Exposição inédita mostra o trabalho com palha de carnaúba de artesãs que convivem com a seca

O talento de artesãs que trançam com maestria a palha de carnaúba, árvore nativa do semiárido, será apresentado na exposição “A Casa AMA Carnaúba”, a partir de5 de setembro, em São Paulo. Bolsas, mesas, luminárias, pufes, cestos, tapetes e outros objetos exclusivos são feitos manualmente pelas moradoras do Vale do Jaguaribe, a cerca de 180 quilômetros de Fortaleza, Ceará. A exposição é uma parceria da “A CASA museu do objeto brasileiro” com AMA, água mineral da Cervejaria Ambev que investe todo seu lucro para levar água às famílias do semiárido e ajudar no desenvolvimento da região.

No início de 2018, AMA e A CASA começaram um trabalho de capacitação e inovação do artesanato feito com palha de carnaúba com cerca de 90 artesãs em Sítio Volta, Sítio Caiçara e Santa Luzia, além das cidades vizinhas Itaiçaba e Palhano. Sítio Volta e Sítio Caiçara, no município de Jaguaruana foram as primeiras comunidades atendidas por AMA. Por lá, a marca de água construiu poços profundos e sistemas de distribuição de água gerados por energia solar. No trabalho de capacitação, as artesãs aprenderam sobre processo de criação e precificação das peças e participaram de oficinas de trançado, tingimento e costura.

Antes, a seca típica do semiárido levava as famílias a caminharem até 6 horas por dia em busca de água. Com água limpa chegando em cada casa das comunidades, a realidade dos moradores começou a mudar e eles puderam dedicar seu tempo a atividades que geram renda, como o artesanato. “Primeiro, levamos água limpa e agora queremos ajudá-los a criar empregos, renda e a preservar a cultura nativa do trabalho com a carnaúba. A exposição é um exemplo do que é possível conquistar quando as pessoas têm o básico”, comemora Carla Crippa, diretora de sustentabilidade da Cervejaria Ambev e uma das idealizadoras de AMA.

O designer de artesanato Renato Imbroisi, que trabalha há 30 anos com comunidades, cooperativas e associações, assina a curadoria do projeto. A coordenação é de Eliane Guglieme e a supervisão de Renata Mellão, diretora geral d’A CASA.

Com o trabalho nas cinco comunidades, o projeto proporcionou a troca de saberes e experiências entre os pequenos povoados. Cada uma delas ficou responsável por coleções específicas. Enquanto algumas produziram peças com a fibra natural para a fabricação de bolsas, mesas e bancos, outras especializaram-se na criação de cestos, de diferentes tamanhos e modelos. Já as artesãs de Itaiçaba e Palhano criaram produtos feitos com palha de carnaúba tingida: são luminárias, pufes, cestos, tapetes e esteiras de cores vivas. Todas as peças estarão à venda na exposição.

Todo o projeto, desde a capacitação das artesãs até os objetos da mostra, está registrado no livro A CASA AMA Carnaúba, que também estará disponível no museu.

Serviço

A CASA AMA Carnaúba

Visitação:de6 de setembroa4 de novembrode 2018

Endereço:Avenida Pedroso de Morais, 1216 – Pinheiros, São Paulo, SP

Horário:deterça adomingo, das 10h às 18h30

German Lorca: Mosaico do Tempo, 70 Anos de Fotografia


A recente exposição do Itaú Cultural, em São Paulo, revisita vida e obra de German Lorca, um dos mais relevantes fotógrafos brasileiros, que permanece em atividade aos 96 anos.

German Lorca atuou em diferentes campos da fotografia e carrega a fama de grande fotógrafo de São Paulo, tendo acompanhado e registrado a modernização da cidade. Nascido em 1922, o artista segue experimentando as evoluções tecnológicas: guarda um grande acervo de câmeras, mas também fotografa com seu smartphone.

A exposição se distribui em dois andares do instituto para revisitar seu histórico de produção, apresentando suas fotografias mais icônicas, suas diferentes facetas de atuação – de fotografias autorais a imagens publicitárias –, sua história no Foto Cine Clube Bandeirante e seus registros da cidade de São Paulo. As mais de 150 fotografias do amplo acervo do artista disponíveis na mostra foram divididas em sete temas: Foto Cine Clube Bandeirante, fotografia de arte, fotografia publicitária, São Paulo, retratos, autorretratos e altos retratos – este composto de imagens de outros fotógrafos que retrataram o homenageado.

Para contar sua trajetória e construção de carreira, o espaço reúne ainda retratos de família, a primeira fotografia que tirou, autorretratos, certificados, troféus e medalhas, além de homenagens recebidas, como registros que outros fotógrafos fizeram do artista.

A curadoria é de Rubens Fernandes Jr., com assistência de José Henrique Lorca.

Além de séries e ensaios fotográficos, projeções, objetos e premiações, a exposição sintetiza a vivência pessoal e profissional de um grande contador de histórias, que continua registrando tudo o que desperta seu olhar aos 96 anos de idade.

 

SERVIÇO

German Lorca: Mosaico do Tempo, 70 Anos de Fotografia

Até 4 de novembro

Visitação: terça a sexta9hàs20h00; sábado, domingo e feriado11hàs20h00
Itaú Cultural - Av. Paulista, 149, Bela Vista

GRATIS

Água aromatizada: receitas funcionais para fazer em casa

Ingredientes simples podem deixar a bebida mais atraente e saborosa

A hidratação é essencial para manter a saúde do organismo. Cada pessoa necessita de uma quantidade ideal de água por dia para matar a sede, regular a temperatura corporal e até acabar com uma falsa sensação de fome.

Para quem tem dificuldade em cumprir esta meta, medidas como adicionar frutas e outros produtos à água podem ajudar a colocar essa recomendação em prática. É o que afirma a nutricionista do Hospital Santa Cruz, Jennifer Partika. “As águas aromatizadas têm conquistado mais adeptos não só porque auxiliam na hidratação, mas também porque são opção para quem tem dificuldade em consumir a água em seu modo natural. Além disso, também são uma boa alternativa para substituir os refrigerantes e sucos artificiais”, destaca.

Ainda, a nutricionista reitera que os ingredientes adicionados na bebida durante a preparação estão diretamente ligados às características funcionais a serem obtidas. “Os benefícios alcançados têm tudo a ver com o valor nutricional do ingrediente consumido, então depende do objetivo de cada um: emagrecimento, controle da ansiedade, reforço do sistema imunológico, entre outros”.

Água com gengibre

Além de combater azias e proteger o estômago contra úlceras, o gengibre atua como antioxidante e anti-inflamatório. Esta receita reforça o sistema imunológico e ajuda a manter longe gripes e resfriados. Como fazer? Uma garrafinha de 500 ml de água mineral natural com quatro ou cinco rodelas de gengibre.

Água com limão

Além de ser fonte de energia, o limão facilita a digestão, reforça o sistema imunológico, reduz inflamações e refresca o hálito. Como fazer? Esprema um limão em um copo de água.

Água com pepino

O pepino é rico em antioxidantes, rico em vitamina K, diminui a pressão sanguínea e rejuvenesce a pele. Como fazer? Uma xícara de fatias de pepino com 500 ml de água ou um pepino para um litro de água.

Água com maçã e canela

A canela é fonte de vitamina K, ferro, cálcio, magnésio e fibra dietética. Fortalece o sistema imunológico, estimula a circulação sanguínea e a temperatura corporal e acelera o metabolismo. Já a maçã é fonte de fibras e de substâncias antioxidantes, que ajudam na digestão e evitam a prisão de ventre. Contém vitamina A, C e E, biotina e ácido fólico. Como fazer? Misture um litro de água com fatias de uma maçã e um ramo de canela.

Água com abacaxi e lavanda

O abacaxi ajuda na digestão, é rico em vitamina C, que auxilia no fortalecimento do sistema imunológico. A lavanda acalma e relaxa. Como fazer? Misture em um copo uma fatia de abacaxi com a coroa, um ramo de lavanda e 300 ml de água com gás. Se quiser, adiciona 4 cubos de gelo.

Água com laranja

A laranja é rica em vitamina C, ácido fólico, cálcio, potássio, magnésio, fósforo, ferro, fibras, pectina e flavonoides. A fruta combate o colesterol, controla a pressão sanguínea, estimula as funções intestinais, previne gripes e infecções, além de reforçar as defesas do organismo.

Há muitas formas de fazer águas saborizadas com laranja. Duas delas são:

Com essas receitas, é possível incrementar bebidas simples, como a água, e deixá-las ainda mais saborosas.

5 lugares para visitar no Dia da Independência do Brasil

"Independência ou morte!". Há 195 anos,DomPedro I bradava o grito que ficou marcado na história. Mas antes de se rebelar contra Portugal e marcar o dia7 de setembro, o Princípe e sua tropa partiram do Riode Janeiropara São Paulo. No roteiro elaborado pelaViajaNet, é possível seguir os passos do monarca e aprender mais sobre essa época. Confira os principais pontos da cidade relacionados à data.

 

Parque da Independência

A primeira parada é o Parque da Independência. Afinal, foi na Colina do Ipiranga, às margens do riacho que leva o mesmo nome, que D. Pedro puxou a espada e determinou que o Brasil não seria mais uma colônia portuguesa. Composto por mais de 160 mil m², o local abriga uma grande área verde, além do Museu do Ipiranga e a Casa do Grito, capazes de aprofundar a visão do visitante sobre o fato patriótico com exposições e utensílios reais.

 Alocado também no Parque da Independência, o Monumento não pode estar de fora dessa lista, já que indica o local exato do ocorrido. Também conhecido como Altar da Pátria, a escultura foi construída pelo artista Ettore Ximenes em parceria com o arquiteto Manfredo Manfredi em 1926. A cripta acoplada à estátua guarda os restos mortais do próprio D. Pedro I, da Imperatriz Leopoldina e de D. Amélia, asegundaImperatriz do Brasil.

Pateo do Collegio

Quando desembarcou do Rio para São Paulo, D. Pedro I ficou hospedado no Pateo do Collegio, mesmo local que dava espaço para um teatro chamado "Casa da Ópera". Em seu retorno após o decreto, o jovem foi surpreendido com um salão cheio de pessoas que aplaudiam e gritavam "Viva o primeiro rei brasileiro", em sua homenagem.

Solar da Marquesa de Santos

Na mesma época em que proclamou a Independência, D. Pedro I passou aterum relacionamento extraconjulgal com Maria Domitila. O Princípe, que até então era casado com a Imperatriz Leopoldina, deu à sua amante diversos títulos, entre eles, Marquesa de Santos. Sempre à frente do seu tempo, a casa que foi de Domitila entre 1834 e 1867 foi palco para diversas festas luxuosas para pessoas importantes da sociedade na época ehojeé sede do Museu da Cidade de São Paulo, que conta com acervos sobre a trajetória da megalópe.

Praça Patriarca

Inaugurada em 1912, a Praça fica bem no centro da cidade, próximo ao Viaduto do Chá. A princípio, o lugar não aparentaternenhuma relação com o ocorrido, já que leva o nome de José Bonifácio de Andrada e Silva. No entanto, o que nem todos sabem é que Bonifácio foi a cabeça pensante por trás da separação entre Portugal e as terras brasileiras. Desde 1972, é possível observar uma estátua da autoridade feita de bronze e projetada por Alfredo Ceschiatti.

Da tradição à modernidade na aplicação das filigranas

 

Fonte: Vanessa de Castro | Croquis: Riusley Figueiredo

Olha só que interessante. Quem diria que faríamos uma seleção somente defiligranas? Sim, esse nosso especial de croquis desenvolvidos pelo estilistaRiusley Figueiredotraz como foco esses “pequenos desenhos” produzidos com linhas coloridas, branca, preta ou ocre e, que podem modificar completamente o visual do denim. O estilista ressalta exatamente o processo feito à mão que traz identidade para a peça ou até marcas que criam suas próprias filigranas.

Com tantos anos de carreira dentro do segmento jeanswear Riusley aprendeu como ninguém a trabalhar esse detalhe tão precioso. Confira o lindo depoimento que conta um pouco a história da filigrana.

“Venho de uma época em que se tratava FILIGRANA, de costura do bolso traseiro. Isso (essa costura) era feita na máquina, às vezes marcada com um giz ou no olho mesmo! Sem nenhum detalhe ou até mesmo cuidado! Com o passar dos anos, algumas empresas atentaram que, isso poderia fazer uma diferença total em suas peças, tornando identidade de bordado para definir sua marca! Eram muitas vezes usadas de formas diferentes, chamativas, finalizadas com pedrarias, metais, entre outros.

Entendemos com o passar dos anos que, esse detalhe outrora tão pouco usado e valorizado, poderia também propor um traço para os detalhes da peça, tanto frente como costas, dando impressão de aumento de bumbum, com opções atenuantes e elevados! Por muito tempo se usou vetores, artes prontas, programadas em traços mais retos e geométricos.
Nesse momento, algumas marcas, para ter um produto ainda mais diferente e único, tem investido em criar seus próprios FILIGRANAS”.

Aqui, Riusley Figueiredo apresenta essa originalidade em riscos feitos à mão livre, como uma obra-prima. “Trabalhei com mistura de pontos, traços e cores, propondo opções diferentes em uma só arte, numa brincadeira de cores entre bordados, costura e travetes…..Abuse de sua criatividade, assinando cada detalhe com um traço que decodifique sua marca só no olhar”, finaliza.

Entre ondas, pespontos transpassados, linhas enviesadas, cruzadas ou sobrepostas, finas, grossas ou trabalhadas, surgem costuras nos tons ocre, mostarda, laranja queimado, azul marinho; azul bic e chocolate.

EAPIC 2018