Sex12132019

Last update07:53:46 PM

 


Back Você está aqui: Home Variedades

Variedades

Confraternizações: o que vestir?

Erioka Paiva, consultora de imagem dá dicas de looks para as festas de fim de ano

Dezembro já chegou e com ele mais um ano vai se despedindo. Nesse período, paramos para refletir sobre o que fizemos durante estes doze meses e planejamos o que faremos nos próximos. Em época de confraternizações, sempre bate aquela dúvida: o que vestir? O mais importante é adequar a roupa ao local e às pessoas que participarão do evento. Confira as dicas:

Confraternização de empresa

Primeiro de tudo, é importante ter em mente que apesar de ser uma celebração, ainda estamos no nosso “meio de trabalho” e que, na semana seguinte, a vida continuará a mesma, com o mesmo chefe, diretor e colegas. Por isso, alguns cuidados devem ser levados em consideração.

Como o momento é mais descontraído, um look informal é bem vindo, porém, decotes profundos, peças muito justas e curtas devem ser evitadas. Aqui o bom senso é quem fala, para evitar situações constrangedoras.

Almoço

Escolha uma roupa leve e fresca, de preferência com tecidos naturais e fluídos. Aposte em vestido ou macacão, com estampas, cores claras ou vibrantes e modelagens descontraídas. O comprimento midi e longo, além de darem um ar sofisticado e despretensioso ao look, nos deixam mais confortáveis em questão de movimento. Falando em conforto, escolha sapatos como: rasteirinhas, esquadrilhe e anabela.

Jantares

Aposte num macacão, vestido ou saia midi. Procure tecidos mais refinados, com brilho, bordado ou alfaiataria. Modelagens diferentes são ótimas para sair do dia-a-dia!  Nos pés, use um salto alto fino ou bloco. Os acessórios também são super bem vindos, como clutch, jóias ou bijuterias que tenham sua essência.

Happy Hour

A ocasião informal pede peças como camisa ou vestido (longo, midi ou altura do joelho), e não tão estruturadas. Nos acessórios, pode apostar desde salto fino, bloco e até sapatilha.

Premiações

Esse tipo de evento pede um look mais formal e elegante. Opte por um vestido longo ou macacão, não tem erro!

Mitos e Verdades da dieta vegana


Nutricionista fala sobre a aliimentação sem produtos animais

A sociedade está cada vez mais engajada com as causas animais e também com a preservação do meio ambiente. Prova disso é o crescente número de pessoas que tem mudado seu estilo de vida e forma de alimentação para fazer a sua parte na preservação do futuro do planeta. De acordo com uma pesquisa da GlobalData (2018), 70% de toda a população mundial está diminuindo ou abandonando o consumo de carne. Nos Estados Unidos, o número de pessoas que se declaram veganas subiu 600% nos últimos 3 anos.

Essa nova visão, que já chegou com força no Brasil, está intimamente ligada a uma mudança de pensamento e comportamento, onde consumidores estão mais interessados em saber de onde vem a comida, quais são os seus impactos sobre o meio ambiente e o que ela causa na vida dos animais. 

Mesmo sendo um tema amplamente discutido mundo afora, a dieta vegana ainda provoca certas dúvidas sobre os valores nutricionais dos alimentos ingeridos e sobre a saúde dos adeptos. Por isso, Alessandra Luglio, nutricionista e consultora da MOTHER Nutrients, empresa que produz suplementos alimentares à base de plantas, para falar sobre as verdades e mitos da Dieta Vegana. 

Veganos podem sofrer de deficiência nutricional

MITO. "É um grande mito que cerca a dieta vegana. A normalidade é consumir alimentos de origem animal. Quando se exclui, parece que faltou algo, o que não é verdade. É bom deixar que claro que nós somos onívoros, ou seja, podemos escolher comer vegetais ou alimentos de origem animal. Não somos como os leões, por exemplo, que são carnívoros. E através dos alimentos vegetais nós conseguimos todos os nutrientes necessários para a vida humana, para a manutenção da saúde e para a nossa vitalidade. Existe uma exceçãohoje, devido ao estilo de vida moderno que nós humanos levamos, é o aporte da vitamina B12. Ela é uma vitamina sintetizada por bactérias que estão no solo. A vitamina B12 não está dentro dos alimentos, mas na parte externa dos alimentos. Como a maioria dos humanos hojevive em cidades e sem contato direto com o solo (consumimos alimentos lavados, descascados, comemos de garfo e faca), acabamos não tendo contato direto com a vitamina B12. Por isso, quando excluímos os alimentos de origem animal, acabamos não tendo contato com essa vitamina. Isso acontece porque os animais não fazem a higiene como os humanos e, ao contrário de nós, eles estão em contato com o solo e eles acumulam a vitamina B12 e por isso, o consumo de animais faz com que tenhamos essa vitamina. Mas é importante dizer que ela não foi sintetizada por eles. No caso da alimentação vegana, a vitamina B12 pode ser suplementada".

A dieta vegana ajuda na performance

VERDADE. "Hoje, com a evolução dos estudos e também com a prática por profissionais atletas da dieta vegana, já temos muito embasamento e muitos dados que comprovam que quem faz uso de uma dieta totalmente estrita vegana (à base de vegetais íntegros, come muitos cereais, leguminosas, frutas, legumes, verduras, sementes, castanhas) e tem uma dieta altamente rica em todos os nutrientes e, principalmente vitaminas, minerais e antioxidantes estão totalmente relacionados com a melhora de performance no esporte. Uma dieta vegetariana, livre de alimentos de origem animal, também faz com que não exista o consumo excessivo de proteínas. É que o consumo excessivo de proteínas leva a alguns problemas relacionados a performance, como por exemplo, digestão lenta. Um atleta que tem um processo de digestão lento reduz a performance. Além disso, o excesso de proteína, que é muito preconizado em dietas convencionais, acaba trazendo malefícios por conta da acidose que causa. A quebra de proteínas gera metabólitos secundários que acidificam o corpo e interferem diretamente na performance. Já uma dieta à base de vegetais é mais alcalina (o que ajuda na geração de energia), ela é rica em antioxidantes (que neutralizam os radicais livres que ajudam na performance), tem uma digestão mais rápida. Além disso, vários estudos mostram que o sangue de quem segue uma dieta vegana estrita é menos viscoso, mais fluido e com isso, os músculos recebem uma melhor irrigação, ajudando a levar mais oxigênio e mais nutrientes, o que também reflete em uma melhora na performance. Todos esses fatores somados mostram que sim, uma dieta vegana (rica e nutritiva, com o acompanhamento de um profissional), ajuda na performance em geral". 

Uma dieta vegana deixa você mais fraco

MITO. "Quem faz esse tipo de afirmação está baseada em mitos de que a dieta vegana vai trazer algum tipo de carência. Obviamente uma dieta desequilibrada e carente pode levar ao cansaço e fraqueza, o que não é verdade e não é o que é observado na prática de quem segue uma dieta vegana". 

Veganos perdem peso com facilidade

VERDADE. "Isso acontece pelo fato de que, ao retirar alimentos de origem animal, você acaba retirando drasticamente o teor de gordura da sua dieta. Com isso, você passa o dia consumindo menos calorias. O que faz uma pessoa perder peso, seja em uma dieta vegana ou não, é ela consumir menos calorias do que ela gasta. Quando se trata de veganos estritos no esporte, é um ponto de merece atenção pelo fato de um atleta que gasta muitas calorias, ele precisa estar atento e complementar essas calorias. Ou seja, ele precisa comer mais: mais arroz, mais feijão e mais proteínas vegetais para complementar tudo o que ele gasta". 

Dieta sem carne não traz bons ganhos de hipertrofia

MITO. "A relação entre carne e hipertrofia muscular é um mito. Vale aqui citar uma frase de Patrick Baldwin, 'Como você vai ser forte como um touro sem comer carne? Você já viu um touro comendo carne? Não, porque os touros são vegetarianos'. Então, contanto que você faça a ingestão correta do seu aporte de proteínas seguindo uma dieta vegana, vocêterá hipertrofia igual a uma pessoa que come carne". 

É uma dieta cara e com poucas opções

MITO. "A dieta vegana é uma das formas mais eficazes de você melhorar o seu portfólio alimentar.Hojetemos um modelo ocidental de comer baseado em alimentos de origem animal, onde as carnes, os queijos e os ovos são os pratos principais. Quando excluímos essa quase uma dúzia de alimentos, nos deparamos com a possibilidade de comer muitos outros e aumenta o seu leque de opções. Nós temos uma enorme variedade de leguminosas, como feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja de vários formatos e variedade, e ainda cereais, raízes, frutas, verduras, legumes, sementes que acabam sendo pouco explorados na alimentação convencional. Quando saímos do estigma do 'ser tradicional', e se sente em uma condição de seguir um modelo diferenciado, você se abre e amplia muito mais as suas opções. E todos os alimentos citados são baratos se comparados às proteínas animais, que acabam sendo a parte mais cara da dieta. O que acontece é que as pessoas acabam querendo buscar substitutos aos alimentos de origem animal na versão vegetal, como por exemplo o leite vegetal, a carne vegetal, o queijo vegetal e isso, infelizmente ainda, por questões de uma demanda muito pequena e por conterem matérias primas mais caras, como as castanhas e os laticínios, encarece os produtos.

Marrocos lança exposição em São Paulo de olho no turista brasileiro

Marrocos Casablanca - ONMT Turismo de Marrocos

 

Semana Marroquina traz os mistérios e riquezas da cultura do destino africano

Para divulgar seus elementos culturais mais marcantes, o Turismo do Marrocos traz a São Paulo a Semana Marroquina, com abertura nesta terça-feira, dia 5 de novembrono Conjunto Nacional, em São Paulo. A exposição acontece até o dia12 de novembro, das 10h às 20h, e oferecerá ao público experiências únicas que só o fabuloso destino pode proporcionar.

A programaçãoterá diversas experiências gratuitas, como a presença de uma hennayate que oferecerá ao público a tradicional pintura de hena, o famoso calígrafo Filali Baba, que mostrará a arte da caligrafia árabe, um artesão trabalhando ao vivo e o grupo de música marroquina Benjelloun. O evento ainda contará com a tradicional Cerimônia do Chá, desfiles de cafetãs (peça emblemática do vestuário marroquino) da estilista Sana Redwani e exposição de fotos artísticas.

De acordo com dados do turismo internacional, cerca de 60 mil brasileiros visitaram o destino em 2018, número que representa um crescimento de 13% em relação ao ano anterior, e, para este ano, a previsão é de continuar o aumento na casa dos dois dígitos.

Serviço
Semana Marroquina
Data
: 6 a12 de novembrode 2019
Horário: 10h às 20h
Local: Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2073 – Consolação, São Paulo

Caminho Português de Santiago: roteiro pelo Centro de Portugal

Rota de peregrinação é uma das opções até a sagrada cidade espanhola

O Caminho de Santiago é uma das mais famosas peregrinações cristãs do mundo, levando milhares de pessoas à cidade espanhola todos os anos. Mas muita gente não imagina que não existe apenas um caminho, e sim vários, que passam por diferentes lugares e países. Portugal é um deles!

Há vários percursos para Santiago marcados em terras portuguesas, mas o mais famoso é conhecido como Caminho Português de Santiago, e parte de Lisboa. Essa trilha atravessa a charmosa região do Centro de Portugal, onde ficam Coimbra, Aveiro e a Serra da Estrela.

A rota pelo Centro de Portugal começa na cidade deTomar, a 130 quilômetros da capital do país. O destino tem muita história para contar e está intimamente ligado com a trajetória da fé cristã, uma vez que lá ficava a sede portuguesa da Ordem dos Cavaleiros de Cristo, também conhecidos como os Templários. É lá que foi construído o grandioso Convento de Cristo, onde havia um oratório privativo para os cavaleiros.

Saindo de Tomar, o caminho passa por pequeninas vilas portuguesas que encantam os peregrinos com seu estilo de vida simples, próximo à natureza e repleto de fé. A primeira etapa consiste em 32 quilômetros atéAlvaiázere; depois, mais 33 para chegar a Rabaçal; e outros 18,5 quilômetros até Cernache.

Menos de 12 quilômetros ligam Cernache aCoimbra, um dos principais destinos da região. É lá que estão uma das universidades mais antigas do mundo, a Universidade de Coimbra, um centro histórico muito bem preservado e belíssimos parques. Do ponto de vista religioso, há a Sé Velha de Coimbra, a Igreja de Santa Clara-a-Nova, o Mosteiro e Igreja de Santa Clara-a-Velha, a Igreja de Santo António dos Olivais e a bela Capela de São Miguel, situada dentro do campus da universidade.

De Coimbra até o próximo destino são 23 quilômetros.Mealhada, uma cidade com 20 mil habitantes, é famosa pelo delicioso leitão à Bairrada e o excelente Parque da Cidade. Os peregrinos também gostam de visitar a Capela de Sant’Ana e a Igreja Paroquial.

Com mais 31 quilômetros, chega-se aÁgueda, que tem como cartão-postal as ruas cobertas de guarda-chuvas coloridos no verão. Mas seu patrimônio vai muito além disso, e inclui a Igreja de São Salvador da Trofa e a Igreja de Santa Eulália.

A última parada do Caminho Português de Santiago na região Central éAlbergaria-a-Velha, que fica a 31 quilômetros de Águeda. A cidade é conhecida pelos cenários repletos de moinhos de água, mas o que realmente fascina os peregrinos é o Monte da Senhora do Socorro, onde fica a Capela do Santuário da Senhora do Socorro, construída pelo cumprimento de uma promessa feita à santa no século 19. Dali tem-se uma vista deslumbrante para a serra.

Os peregrinos então seguem rumo ao norte do país, desbravando outra região portuguesa e uma parte da Espanha até chegar ao destino final: Santiago de Compostela, onde fica o túmulo do apóstolo Tiago.

Sony Music comemora o centenário de Jackson do Pandeiro e disponibiliza seis álbuns raros do artista em streaming

Jackson do Pandeirofoi e continua sendo uma escola dentro da música brasileira. Fato é que seu legado a cada ano fica mais forte. Todos não cansam de se deliciar com as impressionantes divisões rítmicas de seu canto e seu pandeiro, pelas quais ganhou a alcunha de “O Rei do Ritmo”, e pelas letras simples, mas muito bem feitas, que alternavam ingenuidade e malícia. O que poucos sabem é que foi também um dos artistas mais humildes de sua época, que tanto poderia brilhar sozinho num grande palco ou como um anônimo percussionista de estúdio em discos alheios. Seu centenário é celebrado em 31 de agosto, e é uma data mais do que significativa para que o marketing estratégico da Sony Music Brasil dê prosseguimento ao projeto de digitalização de seu catálogo. Restaurando tapes analógicos e projetos gráficos originais de seus antigos vinis, disponibiliza nas plataformas de streaming a partir desta sexta-feira (30), seis álbuns de carreira do cantor, uma coletânea e uma playlist especial.

São eles o compacto duplo “Nortista quatrocentão” (1958), no qual lançou o clássico “Tum, tum, tum” (“No tempo que eu era só/ E não tinha amor nenhum/ Meu coração batia mansinho/ Tum, tum tum”), um disco de 78 rpm (de duas faixas, gravado em 1959), com“Lágrimas”(um samba de sucesso no carnaval de 1960) e outro samba raro,“De Araraê”, além dos LPs“Jackson do Pandeiro é sucesso” (1967), “O dono do forró” (1971), “Sina de cigarra” (1972) e “Tem mulher tô lá” (1973), dos quais a que entrou para a galeria de clássicos do artista foi a faixa-título do álbum de 72: “Nasci com uma sina de cigarra/ Aonde eu chegar tem farra”.

Este tesouro que agora chega às plataformas digitais redescobre uma gama de forrós deliciosos que ficaram perdidos no tempo, somando-se a outros que já estavam disponibilizados, como o álbum “Jackson do Pandeiro” (1958), no qual lançou os clássicos “Chiclete com banana”, “Cantiga do sapo”, “Casaca de couro” e “Baião do bambolê”, e as coletâneas “O melhor de Jackson do Pandeiro” (1962) e “Casaca de couro – 14 grandes sucessos” (1995), todos do catálogo da Sony Music. Completam o pacote mais uma coletânea,“Os grandes sucessos de Jackson do Pandeiro” (1975) eplaylistcomemorativa“Jackson do Pandeiro – Forrozeiro do Brasil” (https://lnk.to/Jackson100), trazendo sucessos e relíquias de seu repertório, todos com minha curadoria.

Entre as raridades dessa leva, temos os forrós “Balanço de Maria”, “Forró em Campina” (exaltando a cidade de Campina Grande de sua mocidade, onde aprendeu a “tocar pandeiro nos forrós de lá”), “Sereno cai”, “Catirina” e “Quero sambar” (porque “sambar” também já foi um sinônimo de “forrozar”); o samba de roda “Eu e Dona Maria”, o coco “Coração velho”, muito atual, discorrendo sobre sua paixão por todos os estados nordestinos; outros números pitorescos, como “O pracinha”, sobre um jovem brasileiro que foi servir naSegundaGuerra e voltou vivo para contar a historia; um de temática rural, “O lavrador”, que louva o trabalho no campo após o período de seca (“Te prepara lavrador que tá na hora de plantar”); além da marcha “O bom torcedor”, que enumera seus times preferidos em cada parte do país.

 Soma-se a essas, canções engraçadas e críticas: os xotes “Mania de mangar”, “Tem mulher, tô lá” (“Se tiver de escolher a mulher ou o dinheiro/ É mulher que eu vou querer”) e “Nem vem que não tem” (“Pois eu não sou saco de carga pras mentiras de ninguém”); o rojão “Puxa saco”; os cocos “Pacato cidadão”, sobre um sujeito calmo até que pisem no seu calo e “Marieta” (“Nem que o diabo arranque o rabo/ Eu não deixo a minha preta”); o gaiato xote “Xarope de amendoim”, revelando um antídoto contra a impotência masculina; o xote “Cachimbo chato”, pivô de uma hilariante briga conjugal, e o forró “Chico chora” (“A mulher foi fazer compras/ Não voltou até agora/ Por isso é que Chico chora”).

  

Dos confins do Brasil ao estrelato nacional

Natural de Alagoa Grande, no interior da Paraíba, José Gomes Filho apurou o gosto pela música nordestina vendo sua mãe cantar cocos nas feiras de seu povoado pobre nos anos 1920 e 30, ao lado de um pequeno grupo de músicos, em troca de alguns trocados. Com o tempo, passou a acompanhá-la no zabumba. Após a morte do pai, mudou-se para Campina Grande, onde alternou o ofício de ajudante de padeiro, com bicos como pedreiro, pintor de paredes e limpador de fossa, mas sem esquecer a música, tocando onde quer que houvesse uma oportunidade, fosse baile, seresta, feira ou cabaré. Por essa época é que tornou-se exímio tocador de pandeiro. Fã de filmes de faroeste, tinha desde pequeno o apelido de Jack (por causa de seu ídolo, o ator Jack Perrin), daí que mais tarde já passou a ser chamado de “Jack do Pandeiro”.

Descoberto por Genival Melo, divulgador da Copacabana Discos, de passagem pela capital pernambucana, Jackson foi logo contratado e estourou no Brasil inteiro em 1953 com seu primeiro disco, trazendo “Forró em Limoeiro” e a mesma “Sebastiana”, nessa altura acompanhado de outra radioatriz, Almira Castilho, que se tornou sua esposa e como já tinha estudo, foi responsável também por sua alfabetização. Sim, aos 34 anos, ele ainda era analfabeto. Dali para que aportasse no Riode Janeiroforam apenas seis meses. Chegou à (então) Capital Federal consagrado, logo descolando um contrato com a mítica Rádio Nacional. Sete anos após Luiz Gonzaga terexplodido a música nordestina nacionalmente, Jackson foi importante por dar um novo gás a esse cancioneiro, popularizando gêneros diferentes como cocos e rojões.

Trend alert: os acessórios de cabelo do momento

(Z Magazine)

O poder do acessório todo mundo já conhece: ele transforma qualquer look básico em algo extraordinário. Não é a toa queBlair Waldorf, a maior referência fashion de “Gossip Girl”, reina a sua turma de amigas com o poder de uma tiara. Também quer ser uma Queen B?A Zseparou inspirações e dicas de acessórios decabelo, que não vão sair da sua cabeça e serão perfeitos para um bad hair day. Let’s check!

Tiaras

A queridinha! Ela pode ser encontrada em cetim ou veludo, com aplicações, como bordados, estampas ou nós. Escolha a uma para chamar de sua e let’s rule!

 

Presilhas

Que tal dar um toque fun ao look? As presilhas voltaram para ficar e, melhor, com palavras superdivertidas e aplicações descoladas para conversar com sua personalidade. Mas, para quem gosta da vibe clássica, a dica é investir em modelos sofisticados, como aqueles com aplicação em pérolas. Lindas, né?

 Scrunchies

Essa é uma tendência que voltou com tudo! Diretamente dos anos 80, os scrunchies são super fofos, e dão aquele up no look em um bad hair day!

 Faixas

Como a tiara, a faixa também é uma opção mais delicada. Ela existe de diferentes texturas e aplicações e pode ser utilizada com diferentes amarrações. Choose yours!

 Lenços

What a vibe! Esse item é o mais atemporal de todos. Além de dar um toque vintage ao look, ele é um daqueles acessórios que mostra a alma fashion de longe. Faixa, turbante, detalhe no rabo de cavalo ou até mesmo à la camponesa, o lenço pode ser usado de diferentes formas e com estampas variadas. Qual vai ser o seu?

Mega Fashion Week no Brás em São Paulo


O maior evento de moda atacado do Brasil contará com desfiles e principais tendências de moda para Primavera/Verão2020

O Mega Polo Moda, maior shopping de moda atacado do país, realiza nos dias 29 e 30 de julho o Mega Fashion Week. O mais tradicional evento do calendário de moda  atacadista chega à sua 27ª edição e apresentará as tendências para Primavera/Verão 2020. Para deixar o evento ainda mais rico e promover experiência e atualização, o Mega Polo Moda fará palestras com grandes nomes do cenário nacional para falar de negócios, trazer conteúdo de qualidade para os clientes que aproveitam os dois dias também para abastecerem suas lojas.

No dia 29 pela manhã,  Pedro Janot falará da sua expertise como CEO da Zara, que trouxe a operação da marca para o Brasil. O economista Ricardo Amorim fechará o primeiro dia do MFW, fazendo um panorama sobre o cenário econômico atual e perspectivas para o futuro.

A programação do evento é ampla e começa às 6h da manhã com um café da manhã para os convidados. As lojas abrem em seguida com os atendimentos aos clientes. Às 9h30 acontecerá um desfile conceitual assinado por Gustavo Silvestre, logo após a primeira palestra do dia. Os desfiles das marcas do shopping acontecem nos dois dias às 14h e às 16h. No total serão mais de 400 looks desfilados com o melhor da moda feminina, masculina e infantil que estará em todo o país nos meses mais quentes do ano.

Os desfiles são coordenados pela Cia Paulista de Moda com a direção de Reginaldo Fonseca. O styling é assinado por Gustavo Silvestre, criador do Projeto Ponto Firme, desfilado na última edição do SPFW.

Sobre o Mega Polo Moda

Localizado no maior centro atacadista de moda do Brasil e da América Latina, o Mega Polo Moda oferece aos lojistas e revendedores, uma seleção completa e diversificada de moda, antecipando as novidades de cada temporada.  O Mega Polo Moda é mais que um shopping atacadista, é uma plataforma colaborativa de negócios da moda, pensada para dividir todo seu conhecimento e curadoria com seus clientes.  

Serviço:

27ª Edição Mega Fashion Week

Shopping Mega Polo Moda – Rua Barão de Ladário, 566/670 – Brás – São Paulo

Horário: das 6h às 20h

Dias: 29 e 30 de julho

EAPIC 2019

Projeto Cem Anos da Cripta da Catedral da Sé

Série de concertos dá acesso inédito e gratuito a espaços pouco conhecidos da Catedral da Sé

Em 2019 a Cripta da Catedral da Sé completa 100 anos. Produzida pelo Ministério da Cidadania e pelo Estúdio Centro, com o patrocínio da Sabesp e do Governo do Estado de São Paulo,a “Série Concertos 100 Anos da Cripta da Catedral da Sé” traz 30 apresentações reunindo grandes nomes e revelações da música instrumental e do canto coral brasileiros.  

Os eventos serão todos gratuitos, com concertos na própria cripta e em outros locais de acesso restrito da catedral (como os salões do piano e do coro).“Será uma oportunidade inédita de paulistanos e turistas apreciarem esses locais ao som de repertórios que destacarão obras da música clássica e popular brasileira e internacional em formações tão diversas como piano solo, madrigais, canto gregoriano e até o diálogo do beatbox com estilos mais ligados ao clássico”, afirmaCamilo Cassoli, Diretor Geral doProjeto.  

A partir da história da Cripta, serão destacados repertórios que relacionarão diversos momentos históricos da cidade de São Paulo a partir da Praça da Sé e de sua Catedral. Ganharão destaque especial os povos que compõem a cidade, com a presença de grupos de suas diversas origens.

 
Os concertos acontecem aos sábados, às 16 horas, e serão todos gratuitosTodos
terão em média uma hora de duração, com transmissão ao vivo pela internet.

A programação irá de Julho de 2019 a Março de 2020.A programação da série, conteúdos exclusivos e a íntegra dos concertos já realizados poderão ser acessadas nas redes do projeto:  instagram/concertoscripta,facebook/concertoscripta  e no sitewww.concertoscripta.com.br



ESTRÉIA

A apresentação de estreia (06/07) será com o violonista Alessandro Penezzi,vencedor (em parceria com Yamandu Costa) do prêmio de Melhor Disco Instrumental Brasileiro de 2018 no Prêmio da Música Brasileira. Além de peças próprias para o violão solo, Penezzi apresentará obras de grandes nomes ligados ao violão paulista como Garoto, Paulinho Nogueira e Antônio Rago. Complementando o programa:  “A Catedral”, de Agustín Barrios, e “Sons de Carrilhão”, de João Pernambuco: ícones do repertório mundial do instrumento que poderão ficar ainda mais interessantes no contexto da apresentação na Cripta. 

Na semana seguinte (13/7),na sala do piano, será a vez dogrupo Brazu Quintêse apresentar. Com peças autorais inspiradas na cultura brasileira regional. o grupo tem como marca uma inusitada união da formação de câmara com a guitarra.

sábadodia 20/7,será a vez doMadrigal Encanto: com um repertório com obras de Anton Brukner, John Rutter, Marlos Nobre, Dorival Caymmi e outros, apresentadas na Cripta.

30 CONCERTOS 

Os 30 concertos relacionarão 4 linhas temáticas principais: “Uma praça e suas camadas” (com repertórios e sonoridades explorando diferentes momentos da praça da Sé e do desenvolvimento da Cidade de São Paulo: desde quando ali havia a Mata Atlântica atéhoje, com os desafios para o presente e o futuro); “Povos de São Paulo” (com grupos e solistas das diversas origens que formaram a cidade, a começar pelas matrizes indígena, européia e africana, chegando até os imigrantes mais recentes); “4 Elementos” (abordando repertórios ligados a Água, Ar, Terra e Fogo, e como esses se relacionam com a arquitetura e a história da Catedral); “Espaço e Tempo na Música Sacra” (com a execução de peças de diferentes épocas e estilos explorando sonoridades diversas dos espaços da Catedral da Sé). 

CURIOSIDADES SOBRE A CRIPTA

- A cripta está a 7 metros de profundidade em relação à Praça da Sé. Foi projetada pelo alemão Maximilian Emil Hehl, professor de arquitetura e engenharia da Escola Politécnica. 

- Abriga 32 câmaras mortuárias, 18 delas ocupadas por personagens ligados à igreja e à cidade de São Paulo.

- Seguindo a tradição das catedrais européias, a Cripta da Catedral da Sé abriga personagens fundamentais da história da cidade. Os restos mortais do cacique Tibiriçá (considerado o primeiro cidadão paulistano) e do Regente Feijó (que governou o Brasil enquantoDomPedro II era criança) estão no local, em túmulos com esculturas em bronze (e em tamanho real) retratando passagens de suas vidas. 

- Possui duas destacadas esculturas de Jó e São Jerônimo, produzidas por Francisco Leopoldo e Silva em Roma. O artista foi colega de Brecheret, com quem estudou na Academia da França. 

- Tem um conjunto de 4 vitrais destacando elementos da flora e agricultura presentes no Brasil. Durante a construção da Catedral, os vitrais serviam de iluminação parcial à Cripta. Com a catedral pronta, foram cobertos pela própria catedral (ehojesão destacados por iluminação elétrica). Foram produzidos pela Casa Conrado, a mesma responsável pelos vitrais do Mercadão. 

- Os detalhes em metal da Cripta foram fundidos em bronze no Liceu de Artes e Ofícios. 

- Relevos produzidos por Ferdinando Frick destacam anjos com trombetas e uma ampulheta, remetendo ao cenas do juízo final.

- Dentre os sepultados na cripta, está o frei Bartolomeu de Gusmão: considerado o inventor do balão. Nascido em São Vicente, viveu na Espanha no Século XVII, foi acusado de bruxaria pela inquisição e inspirou um dos personagens principais de José Saramago no livro Memorial do Convento. 

- O corpo de Santos Dumont ficou guardado na Cripta durante julho e dezembro de 1932, na revolução constitucionalista, até ser transportado em segurança para ser sepultado no Riode Janeiro

- O mais recente sepultado na Cripta foiDomPaulo Evaristo Arns, em 2016. O texto em latim diante de seu mausoléu descreve sua importância pela preservação dos pelos Direitos Humanos.

- Outra parte interessante da cripta é onde ficam as réplicas de relíquias, como a da coroa de Cristo, a do sudário, a do chicote que açoitou Cristo e a dos cravos que perfuraram o corpo de Cristo.